VERSO CALADO

 

 

rosas+e+chuva.gif

 

VERSO CALADO

 

Deitou o verso o poeta insone
por sobre a mesa fria do silencio
olhando-o tênue luz do casarío
ao adentrar da lua por cicerone.


E ali se fizeram horas de nostalgias
entre paredes de vasta amplidão:
lembranças, clareiras na escuridão,
desenhos e ais de melancolias.


Repaginou-se só, calcinado
às luzes inscritas nas estrelas
com mesmo sentir de poeta alado:


Ter a poesia do verso calado
com voz aguerrida e enfim trazê-la
Ao chão de prata do poeta ilhado.
 
Vilma Piva
Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

  • BRONZE BABPEAPAZ

    Com palavras precisas e rigorozamente alinhadas fez-se a mensagem num Soneto. Artezanal, inspirado, comunicativo e forte. Parabéns Vilma ! (Aliás Piva é um sobrenome de responsabilidade na Poesia pátria... o Roberto aplaudiria, certamente !) 2012 beijos procê. PAOLO LIM

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    Um Verso Calado que tudo diz. Pra quê mais?

    Parabéns poetisa.

    Bjsss

  • Querida poetamiga Vilma, uma obra prima o teu soneto! Tecido com maestria de mestra da poesia. Parabéns!!!

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    Gotas de sentimento, sob a forma de poema.

    Conteúdo temático grandioso.

    Beijossssssssssssss

    3542777142?profile=original

  • Jorge, querido Poeta, sinto-me feliz, honrada com teu comentário. Gratissima!!

     

  • Sueli, querida, me sinto feliz com tua leitura. Gratissima!!

     

  • O verso que se cala em poesia tem muito a dizer. Lindo poema, Vilma! Parabéns!!

This reply was deleted.