Blog 2.0

Velocino de Ouro

3541971856?profile=originalVelocino de Ouro

Edir Pina de Barros

 

Quando eu sair das luzes da ribalta,

e enfim  tudo acabar, cair o pano,

liberta desse louco amor tirano,

hei de seguir serena, em paz, incauta.

 

Mesmo que sinta, ainda, a tua falta,

falta de teu carinho e olor humano,

superarei a dor da perda, o dano,

pois sou, no mar da vida, uma argonauta.

 

Eu vencerei  os mares e os dragões,

renascerei do fundo dos porões,

e envergarei o aço do destino.

 

Assim eu sou – renasço dos escombros

de quem eu fui -  e volto tendo aos ombros

a espada e o meu troféu: o  Velocino.

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

This reply was deleted.