Sussurro das Águas.

Sussurro das Águas.

Meu demônio de saia curta
Rouba-me a alma, que caminho luzente
Pois neste vão ao solo batido 
Seu corpo, delonga sobre o meu!

E na rocha simplesmente ágata
Minha língua, abre a sua boca
Lunática e perdida aos querubins
Tornando-se, sussurro das águas!

Ó miúda borboleta estrelada
Entre sua vida eu adormeço
E paro sobre cada anoitecer!

Pois te amo nas dornas do universo
E me levanto do próprio submundo
Que pra ele tato, louvar-te apaixonado.

Ednaldo F. Santos 

3542084791?profile=original

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

This reply was deleted.