Blog 2.0

Porque escrevo?

Não sei porque escrevo

talvez nunca venha a saber

 

sinto a maresia

quando ainda é arte

 

de resto, a vida flui

desde o primeiro passo.

 

Certos sentimentos

sujeitam-nos às lágrimas

se indigestos...

 

Não sei se me invento

num monte de palavras

sem rimas nem medos

ou se entrego-me

ao tato

na ponta dos dedos

 

...e na “cascadela” da espiga

em meio aos apupos

após a cantiga

escrevo com rima

e não sei porquê!

 

S. J. Campos 20/09/2011

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    Releio teu poema... e admiro-te sempre. Beijossssssssssss

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    Ainda bem que escreves Jaime.

    beijo

  • Escrevemos, nós poetas, pela necessidade vital de poder expressar o belo que nossas retinas podem ver no altar da natureza e também pela necessidade de compartilhar nossos mais caros sentimentos. O maior deles, o amor, move nossa mão e é por isso que você " entrega-se ao tato na ponta dos dedos". 
  • Escreves porque consegues perceber, de forma maravilhosamente poética,que

    a vida flui

    desde o primeiro passo.

     

    Parabéns!!!

  • TOP BABPEAPAZ

    Você escreve, caro Jaime, porque tem necessidade de colocar o que sabe para fora.  E faz isto muito bem.

    Abraço

  • DIAMANTE BABPEAPAZ
    Jaime querido, és a própria Poesia! Como privar-nos da materialização dos teus ricos sentimentos através do "[...] tato // na ponta dos dedos?" Gosto muito, muito, muito de ti, mesmo que não o diga sempre. Beijossssssssss
  • PRATA BABPEAPAZ
    Maravilha,"e na "cascadela" da espiga"......Abraço
  • Jaime,

    Ainda bem que escreves e do teu jeito peculiar.

    Beijo

    Nanda

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    Não lembro quem foi que postou em seu comentátio. Mas vou repetir.

    "Podes até nem saber porque escreves. Mas eu sei porque te leio."

    Bjssss

  • Interessante poema - PORQUE ESCREVO!

    É um interrogar presente em todos os que escrevemos.

    Também me interrogo...

    É a necessidade desta forma perfeita de comunicar num dialogar mais completo e de maior intensidade !

    Parabéns Poeta Jaime Silva Valente!

    Beijinho,

    ZCH

This reply was deleted.