Paraíso

Querendo conhecer o paraíso, saí a procura de alguém para me levar até lá.

Quero encontrar no paraíso uma criança que chamou pelo pai, quando fui no aniversário de meu tempo.

Quero levar comigo um grande amor. Este amor se chama esperança. Esperança sempre me ajudou a encontrar algo que preciso.

Dizem que no paraíso existem muitas crianças. Dizem também que existem mulheres vestidas de preto com lenço cobrindo o rosto.

Lá elas só falam em nome do amor. Falam também da esperança. Aquele meu amor.

Alimentam de fé. Estão sempre com um rosário nas mãos. Não gritam e o silêncio é absoluto.

Esse lugar, o paraíso, impõe respeito e nem precisa chamar a atenção de quem chega para não falar alto. Às vezes houve uma voz rouca que vem de longe, repetindo o que falam.

No paraíso, não há maldade. Vivem somente com amor e só fazem o bem. Vestem de branco e ajoelham aos pés dos humildes. Não falam de riqueza nem de roubo.

Não sentem saudade. Lá o passado não existe. Apenas o presente. Não é presente que dão para os aniversariantes não, é o tempo atual.

Não há neste lugar o futuro. Ah! Existe somente para quem chega de visita, vindo da terra, onde morava. No paraíso o amor aproxima da gente e com a gente fica amigo eternamente.

Sei que vou conhecer o paraíso que tanto falam. Quando aqui na terra, o cansaço derrubar meu corpo e somente a pluma da vida der a mão ao amor e então no paraíso poderemos entrar.

 

Autoria: José Hilton Rosa

 

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

This reply was deleted.