Blog 2.0

NA APATIA DO SOL...

3541745243?profile=original

Imagem Google

Nascemos puros como uma flor de lótus

Frágeis /fortes e fecundos...

Filhos da luminosidade plena do mistério.

Vivemos glórias, misérias, flagelos, delícias...

Em um tempo condensado de brevidade/monotonia

Enlevados de vaidades, verdades e ou ilusões.

Mergulhados em lapsos da alienação de uma invulnerabilidade eterna.

Encantados de amores, cores, felicidades, quimeras.

 

[Velozes centelhas da efemeridade]

 

Porém nossa existência é resoluta,

Seu mais certo objetivo: o leal pacto com o escárnio da fatalidade

Quando na apatia do sol descorado,

Esmaecemos na inevitabilidade.

 

Lufague 

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

  • Silvia, Mônica, Jorge, Paolo, Lúcia, Charles, Vóny, Arlete, Marcial , Waulene e Hilde (que favoritou) cada apreciação, cada observação se esclarece como um elogio, como aprovação e assim eu sou só satisfação, rsrs. Muito obrigada por cada participação sinto-me prestigiada e influenciada.

     

     

    Grato carinho, Lu 

    3542865213?profile=original

  • PRATA BABPEAPAZ

    Nossa !

    Ler-te é um prazer, com tuas imagens (postadas e escritas) que se fixam em nossas mentes...

    Grata por dividi-las conosco.

  • PRATA BABPEAPAZ

    MUITO BELO.

    BEIJOS,

    ARLETE.

  • Que maravilha, Lucia!

    Céus!

    Adoro tudo quanto escreves, sabes disso... vem de longe!

    Minha querida vergo-me perante tanto talento e sensibilidade!

    Beijo em ti, Vóny Ferreira 3542865045?profile=original

  • Nesse belo poema, você descreve muito bem o ser humano e sua maneira bipolar de agir! 

    Tenho a impressão que durante a vida somos um pouco de tudo e que dela sempre estamos sugando algo mais pra nossa coleção emocional de conhecimento! 

    Em relação a morte, creio que ela não exista. Nosso espírito é livre de barreiras e continuaremos existindo de uma outra forma e numa nova condição. Como dizia o filósofo Lavoisier: "Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma."

    Beijos. Foi e será sempre um prazer visitar sua página para ler ótimos trabalhos como este!

                                                             Charlles

  • BRONZE BABPEAPAZ

    Aplausos poetisa.

    Beijos Lu.

    3542865153?profile=original

  • Cético como o tema, o poema flue com rigor, eloquência e se conclui magistralmente. Bravo !

  • TOP BABPEAPAZ

    "Vida e Morte, Severina", na visão de Lufague.  Excelente...

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    "Velozes centelhas da efemeridade".

    Grandes verdades. Quando se nasce, grandes tributos nos acompanham. Mas com o tempo, vão ficando escassos e muitos até desaparecem do nosso interior.

    Mais um lindissimo e inteligente trabalho.

    Parabéns.

    Bjsss

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    O ciclo da Vida e Morte, num poema maravilhoso e inteligente! Parabéns! Beijossssssssssss

This reply was deleted.