Blog 2 (PEAPAZ)

Janelas do céu .

Reflexiva atravesso o jardimo cheiro das flores a inebriar minha alma.A tarde está calma,Mas há agitação dentro de mim.Não esqueço aquele olhar distante,Perdido entre seus aisÉ a vida indo emboraPara a terra do "nunca mais".Nunca mais haverá abraçosNem risos pela casa.Olhares cúmplices cercando a mesa.Eu, aqui , totalmente incapazDe controlar tanta tristeza!Como dizer adeusPara quem mora dentro de mim?Como explicar ausênciaSe a presença é constante?E não acredito no fim?Abro as cortinas do céuE lágrimas rolamPara dentro do peitoEssa é uma dor que não tem jeitoSó olho pra cima, pra Deus,Por minhas janelas azuisE peço em silêncio:Acalme essa dor ,ajude-me a levar essa cruz
Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

  • Belo e sensível poema, querida poetisa. Apenas uma reflexão: podemos apenas ignorar o que está fora de nós, nunca o que está impresso no âmago de nossa alma. Não se trata do que está lá fora, mas do que está dentro. Importante é que as janelas do céu estejam sempre abertas, pois a vida acontece no aqui e agora.

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    Ainda que em dor, teu poema espraia muito amor e ternura.

    Belo!

    Beijossssssssssss

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    Belo poema que traz a suavidade como tema principal

    Lindo!

    beijo

This reply was deleted.