Blog 2.0

Janela para a eternidade

Nunca desafia a memória;

deixa em paz o amor que esgotou:

nada é eterno!...

A árvore que derrubas hoje

é a que te fará falta

no deserto de amanhã.

Caminha a cantar

mesmo só e sem paisagem

porque és um todo

a gravitar na órbita do sonho.

E a memória?!...

Ah, a memória, deixa-a buscar

o amor na via dolorosa

que asfaltas sobre ti mesmo:

pássaro em rumo

contra a janela para a eternidade!

 

S. J.C. 02/03/2011

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

  • PRATA BABPEAPAZ

    Estimado poeta, Jaime:

    Na intensidade de seus versos, ensinamentos valiosos... Acredito nos rumos e estratégias com as quais podemos modificar e escolher para reencontrar novas oportunidades!

    Um beijo

    Graça 

  • Janela para eternidade...

    Ler e reler sábias, poéticas, palavras.

    Forte mensagem!

    Obrigada

     

     

  • DIAMANTE BABPEAPAZ
    Poema intenso, mágico e alquimista, que nos desvenda a memória como "pássaro sem rumo / contra a janela para a eternidade! É necessário possuir alma sensivelmente poética para transmitir esta bela mensagem; da mesma forma, para compreendê-la. Parabéns, querido poeta! Beijossssssssssssssssssss

  • 3542684434?profile=original
  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    Seguir sempre adiante,sem ao menos olhar pra trás.Um pouco dificil,mas necessário para um bom viver.

    Bjss

This reply was deleted.