Blog 2.0

Insensata poesia

3542072928?profile=original

Insensata poesia

Em instantes o teu corpo

inteiro

escaldante e brejeiro

enlaça com a mão impura

O meu rosto, meus braços, meus seios

mas com tanta candura

que me perco em devaneios.

 

Atônita e maliciosa criatura

Ardente sol vermelho em meu cativeiro

e é todo faminto

que desfila pela casa toda

e pula

em cima da cama

não silencia e me chama de dama

e

passam segundos intensos,

sedentos como se não fossem os primeiros.

 

Mas sei que o tempo

não passa

na minha pele emudecida e devassa

e por mais que eu faça

está entorpecida

vencida e

na confusão dos meus desejos

embebida em teus cheiros

e pulsante em teus beijos

que falam de um amor verdadeiro

que se houve um dia

se perdeu

nas metáforas

dos versos desta insensata poesia.

SorrisodeRosas

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

This reply was deleted.