Fim da era

Fim da era

3542055533?profile=original

 

Alguns ares de vingança

contra a fumaça dos carros

me vem à cabeça doida

ou doída de tanto bater

no concreto dessas nuvens,

da mais pura concretude,

que são a culpa e o ódio dos homens...

 

Esparsos são o calor e a

inocência; não vicejam,

nem aqui nem ali, a rigor,

nem lá e nem acolá, porque

também não se pode dizer

desses cidadãos que nos

tornamos algo de bom...

 

Na escassez desses motivos

me contento em rememorar

antigas fotos de álbuns

velhos: as reminiscências

de incensos queimados ao

alvorecer do fim da

era dos ventos ruidosos...

 

Mauricio Duarte (Divyam Anuragi)

 

 

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

  • Muito obrigado amigo Iván Santana. Grin.gif  É verdade, a nossa Terra está enferma tanto ecologicamente quanto moralmente.  Esperemos que ocorra uma mudança; esperança sempre.  Abraço grande.

  • Triste es,  ver lejanos aquellos días en que la Tierra gozaba de salud. 

    La locura del andante la hirió y la  enfermó.

    Triste recuerdo de la Tierra hermosa. 

    Gusto de leerte, amigo Mauricio. 

    3544027519?profile=original

This reply was deleted.