DEPOIS QUE MORRER

Depois que morrer
não quero palmas nem lágrimas,
bastar-me-á uma sombra silenciosa
onde corra um fio de água
e cresça uma papoila mais rubra que
o meu sangue arrefecido.

Se houver quem me queira imortal
cale-se
e leia, sem estremecimento de estrela,
as palavras que tiver deixado escritas.

Mesmo que as não entenda,
elas saberão mostrar quem eu fui!

Em 10.Mai.2018
PC

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

This reply was deleted.