CONTORNOS...


3541719441?profile=original

Pelas bordas, eiras e beiras
Nos contornos da sedução
Roçam carícias em profusão
Num frenesi de emoções
Mãos famintas procuram

Espertas... Travessas... Despertam
Deslizam molecas e inquietas
Nas curvas... Labirintos profundos
Pela pele intumescida do ventre
Numa farta languidez em festa

Sentidos aguçados... Estremecidos
Bocas que procuram pelo beijo
Ao comando sedento dos lábios
Explode gostoso desejo
A natureza exuberante festeja

Seios e coxas enlouquecem
Corpos entregues ao prazer
Virilidade provoca e enrijece
Na bandeira do mastro em riste
Sopra lá da gruta uma prece

É a força e volúpia do sexo
Que suave logo acontece
No enlaço dos braços
No suor que escorre do abraço
Na conexão sinfônica do amor

Do coito... Do orgasmo...
Do ato profano e sagrado
No altar... No fogo do leito
Dois amantes satisfeitos
Um no colo doutro... Adormecem!

Hildebrando Menezes

http://www.recantodasletras.com.br/poesiasdeamor/2065504

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    Leio e assisto à cena, tão eloquentes são os versos que acabo de ler.

    Parabéns, querido Hilde!

    Beijossssssssssss

  • Ah! Esqueci-me de lhe dizer. Eu levo a vida a rir, tem que ser assim... mas sou bastante sensível e percebi de imediato que a forma como sente no seu poema CONTORNOS, é de verdadeiro amor por uma mulher e não desejo por uma mulher qualquer.

    Eu sei o quer é o amor...

    Mas, a vida é assim...

    Muito amor fraternal para si,

    ZCH

  • Oi! Escritor Hildebrando,Continuo a gargalhar e, agora, porque estamos em consonância, relativamente ao Bocage, na área que referi, claro.

    Quando ele quer imitar Camões, que é inimitável, aí eu aprecio...

    Camões, Grande Camões, quão Semelhante

    Camões, grande Camões, quão semelhante 
    Acho teu fado ao meu, quando os cotejo! 
    Igual causa nos fez, perdendo o Tejo, 
    Arrostar co'o sacrílego gigante; 

    Como tu, junto ao Ganges sussurrante, 
    Da penúria cruel no horror me vejo; 
    Como tu, gostos vãos, que em vão desejo, 
    Também carpindo estou, saudoso amante. 

    Ludíbrio, como tu, da Sorte dura 
    Meu fim demando ao Céu, pela certeza 
    De que só terei paz na sepultura. 

    Modelo meu tu és, mas... oh, tristeza!... 
    Se te imito nos transes da Ventura, 
    Não te imito nos dons da Natureza. 

    Bocage, in 'Rimas'

    Desejo um bom fim de semana e muita inspiração poética!

    ZCH

     

    É bom sonhar...

    ZCH

     

  • Arletinha,

    Claro que eu sei que é brincadeira. Nossa sólida e transparente amizade

    nos permite essa permuta deliciosa, até porque VOCÊ é quem me nutre

    dos mais engraçados e melhores e-mails de piadas que depois repasso

    tudo no facebook e lá causam o maior "frisson". Infelizmente falar sobre

    sexo ainda é um tabu aqui ou em qualquer lugar e daí estar me deliciando

    tanto com este texto provocativo. Um beijo carinhoso minha adorável

    parceira de duos harmônicos e musicais hehehe! 

  • Olá, Poetisa Zélia nada me encanta mais que o riso franco, limpo, aberto, honesto

    quanto esse teu que consegui abrir em teu rosto. Sonhei à noite com Cora Coralina

    e ela me disse que embora tivesse "corado" com meu poeminha, também lá do

    outro plano onde levita tinha se "tocado" diante do que havia lido e também acordei

    sorrindo diante do imaginário que perpassa em cada mente. Também não sou adepto

    do Bocage, embora o considere um Mestre da P......A ..."poetaria" para não dizer

    outra palavra hehehe! Um ótimo final de semana pra ti também querida. Sou fã incondicional

    das pessoas de bom-humor e VOCÊ ganhou, de GRAÇA, a minha admiração

    porque demonstra ser uma pessoa de altíssimo astral. Beijos. Hilde

  • Olá, Poeta Sensual Hildebrando!

    Vá lá eu saber porque me deu tanta vontade de rir?!.. Tenho que fazer uma reflexão filosófica para descobrir...

    Mas,deixa dizer-lhe um segredo:

    Não sonhei de noite, não, dormi tranquilamente,mas,a verdade é que acordei a rir e ainda estou  a  rir à gargalhada!!!

    Eu rio com muita facilidade e tenho sentido de humor. Mas ainda nenhum poeta o tinha conseguido desta forma...

    Não leve a mal. Seu poema está extraodinaria e minuciosamente bem escrito.

    Gostei de ler porque é sensual.

    Por exemplo da poesia erótica do Grande Bocage eu não gosto...

    Parabéns e um ótimo fim de semana!

    ZCH

  • PRATA BABPEAPAZ

    Hilde, esse negocio de orientador é pura brincadeira!  Aqui  tem. Conheço a mulher, ela cobra cursos, ensina a fazer strip  e um monte de coisas. São os tais personals. 

    É evidente que não faz o meu gênero. Acho muito fútil.
    Prefiro ser auto-didata! rsrsrs
    Beijos. Arlete
  • Arletinha! Ai que delícia poder dançar um Ravel contigo. Eu vi que todo mundo aqui se assanhou.

    Eu adoro assanhar e ser assanhado também fluindo a imaginação de cada qual. Para que serve

    a poesia se não for pra tocar às pessoas? Quanto a orientar queridinha está aí algo que cada qual sabe

    fazer muito bem sozinho. NÃO É VERO? Mas perguntemos a Zélia a razão do seu gostoso riso que fez

    transbordar o meu daqui a quase assustar a vizinhança com a gargalhada estridente que saiu da minha

    boca rasgando as paredes. Obrigado queridos vocês premiaram meus rabiscos com a interpretação generosa e o riso franco, farto e aberto tornando meu poeminha ainda mais molhadinho hehehe!

  • PRATA BABPEAPAZ

    Hildinho! Aceito o convite para dançar o Bolero de Ravel contigo. Adoro estas escalas ascendentes.

    Sem dúvida que os confrades e confreiras saem daqui atiçados!!! rsrsrs  Vai me dizer que não!

    O autor rsrs pode vir a ser um orientador sexual, heim?rrsrsrs

  • m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-o-!!! mereçe vários repetecos....rsrsrs haja fôlego pra ler e reler...abração!!

This reply was deleted.