Blog 2.0

Castigo e solidão

3541978542?profile=original

Esse amor que trago comigo
Tão intenso quanto silencioso, 
É um réu confesso e sofrido,
Cheio de sentimentos culposos.

Sem ter perdão nem piedade
Foi julgado sem compaixão,
Seus rancores e saudades
Causaram sua condenação.

Como num sacrilégio eu vos digo,
Fechou-se a alça do alçapão
Preso aos seus anseios como castigo
Encontra-se meu solitário coração

Imagens cedida pelo google imagens

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

This reply was deleted.