Blog 2.0

A FESTA

As cortinas correram se encontrar no meio da vidraça

Pra não deixar o sol ver nada

O tapete, desenrolado como ele só

Queria assistir um filme com a TV

O sofá todo assanhado

Abraçado com duas almofadas

As cadeiras dançavam de quatro

A lareira toda acesa

Era a mais brilhante da festa

O lustre piscou para o relógio

Que deu 12 badaladas altaneiras

As caixas de som pulsavam e pulavam

E as taças de vinho brindavam sem parar

Os quadros tão quadrados

Assistiam a tudo indignados

Só a mesa ficou só

Com as lembranças dela

E uma vela apagada...

 

SIGMAR MONTEMOR

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

This reply was deleted.