Posts de Neide Himenes (52)

Não te vejo

                                                      

                 

Tento dormir e, penso em
Ao adormecer sonho contigo
Em passeio matinal,uma flor comigo
Oferecida,presenteado por ti.

Mãos dadas mornas e, macias
Passos curtos sem demora
No olhar o amor delicado aflora
Um banco, sentemo-nos; jura se inicia.

Troca de olhares
Troca de beijos
Juras e cantares
Acordo:--não te vejo!

Neide Himenes

Saiba mais…

Dedo de prosa

Dedo de prosa

Um dedo de prosa
Falaremos do cravo
Da rosa.

Do céu encantado
Tão prosa
De estrelas cravejado.

Do primeiro baile
Dois pra lá, dois pra cá
Meu vestido de faile.

Do primeiro passo
Olhar encontrado
O descompasso.

Calados sem falar
Diremos no olhar
O desejo de só amar.

Neide Himenes

Saiba mais…

Oxalá me diga

                  Benção  meu  Pai

                  Oxalá  me diga

                  Respostas para meus ais

                  Na direção certa e, eu siga.

 

                 Os frutos da pitangueira

                 Tão doces que me remetem à infancia 

                  Em belas tardes fagueiras

                  Sem medo ,sem discrepância.

 

                 Oxalá não termine

                 Os sonhos de Janaina 

                 Crédula, sonhadora, não declina

                 Sempre adorável  menina.

 

     Neide  Himenes

 

 

 

                   

 

 

 

Saiba mais…

Noites Ociosas

          Palavras  doces que são acalanto

       Cantas ao meu ouvido

       Eu embevecida, apaixonada

       Me enrosco e, vem o pranto.

 

       Mas são lágrimas gloriosas

      Do bem que me transmite

     Seu abraço é um convite

     Amor, desejos, em noites ociosas.

 

 Neide Himenes

Saiba mais…

O justo

                      Poemas ao vento

                     Oração ao céu

                    Vento no catavento

                    Tristeza ao léu

 

                 Versos para cantar

                 Ave voa no céu 

                Cantiga para embalar

                Abelha fazendo o mel

 

              Poesia e pão bento

             Nuvem branca no céu

             Vivendo no passo lento

            O justo não será réu.

 

Neide   Himenes 

Saiba mais…

Um olhar além

       Diante de meus olhos

           O mar!

O mar é meu confessor

Eu pecador  confesso

       O meu cantar.

 

 Meu olhar além

Muito além,além 

     Mar!

Amém, eu te reverêncio

Eu pequeno gão de areia

Em  esplendido berço

    Que meneia.

 

Tua grandiosidade magestosa

Sem que seja generoso

Eu com minha pequenês

Sei que me ouves:--toda vêz!

 

 Neide  Himenes

     

Saiba mais…

Vinde à mim

     Vinde à mim!

    Cantos sonoros de pássaros,junto com a fresca manhã.

     Me  sorrí  a branca magnólia.

     Um morno raio de sol vem ,e olha.

     Quem deu a mordida na maçã?

 

     Vinde à mim!

    Abelhinhas laboriosas, mostre seu sugar de flores

   Mel tão doce misto de odores,todas as cores da violeta.

    No ar exótico perfume de jasmim.

 

Neide Himenes

 

 

 

 

 

Saiba mais…

Subindo ao céu

      A melodia soou aos meus ouvidos,com o encanto de notas

melodiosas elevando-me ao infinito em leveza e, suavidade.

   Meu corpo levita, a alma sobe aos céus. Oh céus! meu

ser quer movimento.

    Dance comigo!!!!

 

Neide Himenes

Saiba mais…

Cores violáceas

 

                              Voarei com as asas da poesia

                              Alcançarei nuvens rosáceas

                              Pássaro de asas voláceas

                              Magenta é a minha nostalgia

 

                              Um mergulho no jardim

                              De rosas impécaveis

                               Violetas, cravos irretocáveis

                               Enebriante perfume de jasmim

 

                              Nas asas da poesia

                              Um pouso nos olivares

                              Verdes, verdes meus olhares

                              Minha alma extasia

 

                              Asas com cores violáceas

                              Minha poesia viaja

                              Enquanto carinho haja

                              Em nuvens rosáceas.                                                                                      Neide Himenes         

Saiba mais…

Pontos invisíveis

Vou costurando minha mágoa

com pontos invisíveis.

Linha transparente e,alguns nós

que amarro em minha anágua.

 

Na urdidura de minha solidão

formando imenso véu

que cobre e inibe

os conflitos de meu coração.

 

Ponto sobre ponto, e alinhavo

marcas se sobrepõe em silêncio.

Profundas  e guardadas

nessa solidão que sou escravo.

 

Neide Himenes

 

 

Saiba mais…