Posts de Maria Iraci Leal (20)

Poetisa e Escritora

Águas rainhas... (Cuidemos da realeza)

Águas rainhas... (Cuidemos da realeza)

Um dos mais belos poemas, quase prece,
são as águas, rainhas montanha abaixo,
descendo pelos paredões como cascatas,
milagre de vida que a natureza oferece...

São tantas, fluindo de todas as partes,
cai do céu como um beijo molhado,
inspiradoras pingando nas vidraças,
ainda é vida, a nossa água potável.

Benditas no escorrer por nossas faces,
de todos os corações as lágrimas,
pela poluição que aos poucos mata
a natureza, envenena o que se bebe.

São águas, rainhas que limpam a terra.

São as águas que conservam o planeta!

Maria Iraci Leal/MIL
POA/RS/Brasil
18/01/2015
Obra protegida

Saiba mais…
Poetisa e Escritora

Terra em transformação...

Mundo em transformação
 

Terra em transformação...
Um momento tão delicado
Uma etapa de transformação
Imperiosa e decisiva, radical!
A Terra treme se revolve
Debaixo de nossos pés dá seu sinal
Desmancha-se, abre-se em crostas
Como a areia fina que não tem chão...
O mar se agiganta, empurrado por vibrações
Que das profundezas sobem à superfície
Desastres e tragédias, muitos mortos
Será o fim de tudo, o mundo está no final?
Não!!! É apenas uma transformação
Dura e imperiosa, visceral...
Muitos partem da carne
Outros ficam pra mudar os rumos
Mudar vidas e destinos
Modificar estruturas
Conceitos e valores...
Não lamentar os que se vão
Pois já cumpriram sua missão...
Os que ficam devem semear a nova era
Do amor fraterno e incondicional!
Maria Iraci Leal/MIL
09/11/2012

♥Melodia Sentimental-Villa Lobos sung by Nadine Sierra♥

Saiba mais…
Poetisa e Escritora

O músico solitário e seu sax... / Poemas MIL

O músico solitário e seu sax...

Em dias vazios e horas noturnas
Sem companhia e sem alento
Vislumbro a noite em concerto
E da janela do meu quarto
O músico solitário e seu sax...
O solitário músico do prédio ao lado
Que brinda a noite com seu sax
O espaço enche-se de sonoridade
Sinfonia que enleva os abandonados...
Das janelas todas as noites há espreita
Há sempre espera da companhia
Da magia que só a música suscita
O aconchego para as almas tristes
Alívio para solidão de suas madrugadas...
Vislumbro a noite em concerto
Da janela de meu quarto
O músico solitário e seu sax
Que com sua música espalha
A melodia que toca o sentimento
Enternece e aquieta a alma!

Maria Iraci leal/MIL
POA/RS/Brasil
30/10/2012
Obra protegida

Saiba mais…
Poetisa e Escritora

Taças do amor / Poemas MIL

Taças do amor

Bebo em teus lábios taças deliciosas.
Que... como felicidade de tua boca escorre,
doce sabor de amor, um gosto de mel
que se derrama do teu beijo precioso!

Sorvo das taças de minhas quimeras,
os belos amanheceres que me ofereces,
em teus braços calorosos que me cingem.
carinho e ternura de que tanto me cercas!

Bebo em ti toda a entrega e plenitude,
na paz que tanto me dás e o abrigo
de um sentimento em sua infinitude!

Do teu ósculo o apetite que transborda,
gotas de paixão que me brindas
nos dias e noites que passo ao teu lado!

Maria Iraci Leal/MIL
POA/RS/Brasil
09/10/2012
Obra protegida

Saiba mais…
Poetisa e Escritora

Ao entardecer / Poemas MIL

Ao entardecerPegou um punhado de sonhos
Caminhou em direção ao crepúsculo
Despedindo-se do sol que partia
ao infinito e dava passagem à noite!

A claridade já findara o seu ciclo
Deixando a magia da penumbra
Uma atmosfera de encontro
E lá ele estava ansioso na espera!

Para tomá-la em seus braços
Beijar-lhe os lábios, afagar seus cabelos
Unirem-se e com todos os seus sonhos
Seguirem juntos à luz do crepúsculo!

Um entardecer magnífico, uma tela da vida
O encontro de muitos sonhos que se juntam
Enquanto o astro-rei se despede no infinito!

Maria Iraci Leal/MIL
POA/RS/Brasil
03/10/2012
Obra protegida

Saiba mais…
Poetisa e Escritora

Recolhimento (inspirado na imagem) / Poema MIL

Recolhimento
(Inspirado na imagem)

Recolho-me ao silêncio,
ao meu mundo abstrato,
onde não existem fórmulas
e quando tornar a falar o será,
quando o vento tenha levado
os escombros e os restos...
Gravetos que machucam meus pés,
estão ao meu redor, no meu caminho,
ai de mim sem meus cães amigos!
Recolho-me ao meu mundo,
a felicidade que me tenho,
mas me faço ouvidos moucos,
faço-me de lerdo e senil,
entrego ao esquecimento,
tudo que sei, vi e ouvi, que padeci!
Foi tanta a inconsciência
e não mais me maltrate o homem vil,
em minha boca emudeço
da vida que não reconheço.
Busco a luz, o carinho e apreço
e se um dia, ah se um dia
a falar eu tornar, o será
depois que as sombras faleçam,
sumam ao longe, no descampado,
levem consigo todas suas cargas,
até lá então mudo fico!

Maria Iraci Leal/MIL
POA/RS/Brasil/ 04/08/2012
Obra protegida

Saiba mais…
Poetisa e Escritora

Além do crepúsculo / Poema MIL

Além do crepúsculo 

Se teus olhos turvos
Pela dor do sonho partido
Não podem ver o brilho da lua
Libertarem-se deste nostálgico dia
Ainda assim a tua alma triste
Pode desfazer-se da amargura
Evadir-se ao longe, além do crepúsculo
Onde te espera a luz das estrelas
E se teu coração em pedaços rompido
Atravessar a negritude deste dia
Viajar ao longe, além do crepúsculo
Conhecerás a morada infinita
Onde habitam todos os sonhos
Saberás que esta tua desdita
É um acidente de percalço
Uma pedra no teu sapato
Nas lutas do cotidiano
Saberás que além dos maus dias
Há sempre um crepúsculo
Para ir além, buscar as estrelas
Buscar outros sonhos!

Maria Iraci Leal/MIL
POA/RS/Brasil
29/07/2012

♥Brian Kennedy. You Raise Me Up. Secret Garden Feat♥
Saiba mais…
Poetisa e Escritora

Libertad de ser libre... / Poema MIL

Libertad de ser libre...

No siempre las rejas de la prisión
Haga un hombre cautivo
Por su canción de la emoción
Libre como un pájaro alza el vuelo
Además de los espacios se oye
El hombre que vive en la carne
Puede escapar al infinito
Con sus ideas y pensamientos
En la bondad de su corazón
Puede mover y cambiar el mundo
Disolver y tirar de las barras
La ignorancia y sus males
Las guerras y conflictos
No siempre la prisión encadena el alma
El hombre es libre para creer
Haciendo un mundo propio
Escapar de su cautiverio
Viajar por la imaginación
Este hombre nunca va a ser un preso
Haga lo que es o alguien
Y si por mala suerte es atrapado
Vivirá esta desgracia como aprendizaje
Hasta el día en que es posible
Decir adiós, de ser completamente
Para su completa libertad, cuerpo y mente
Estar al frente de su propia existencia
"Sin tomar parte en el caos"
O vaya para siempre
Para encontrar a Dios “

María Iraci Leal / MIL
POA / RS / Brasil
17/07/2012

Saiba mais…
Poetisa e Escritora

Tiempo para ser feliz... / Poema MIL

Tiempo para ser feliz...

Hora de ir y venir
Volver al pasado, recordar
Sonriendo felices aventuras
Eliminar el llanto llorado
Si ha habido penas
Descartar esas viejas cargas
Eliminar los conflictos sin sentido
Para todo el pasado
El tiempo, un tiempo precioso
Piezas de los momentos
Se perpetuará
No se dejen atrapar
En el sufrimiento y el dolor
Sólo para recordar
Esa es la lección de la vida
Hora, minutos, segundos
Momentos de los cuales la vida se hace
Nada más que eso
A cada uno vive a su manera
Con alegría y euforismo
Para perseguir y conquistar
Los ideales y las metas
Sin miedo a nada
Buscando la armonía
Con el objetivo de ser feliz!

María Leal Iraci / MIL
POA / RS / Brasil
15/07/2012

Saiba mais…
Poetisa e Escritora

Venga la esperanza / Poema MIL

Venga la esperanza

Venga la esperanza
Para creer en tiempos mejores
Para ser libre y correr por las calles
Sin miedo a la violencia
Para vivir con más alegría
No las bombas o las guerras
Respeto entre los pueblos
Un mundo mejor sin hambre
Cada ser humano alcanzar sus sueños
Venga la esperanza
Para vivir nuestras fantasías
Buscando la luz de las estrellas
Caminando en la belleza de la noche
Iluminado por los rayos de la luna
Caminando por las calles
Confiado y sonriente
Con la esperanza del día
Para soñar y creer
Que el sol brillará para todos
Escribir poesía
De la felicidad y los finales felices
Y que el hambre y las guerras
Fue sólo una pesadilla!

Maria Iraci Leal / MIL
POA / RS / Brasil
09/07/2012

Saiba mais…
Poetisa e Escritora

Sensata utopia! Poema MIL

 

Sensata utopia!

 

Deixo o absoluto concreto
Esqueço o sensato real
Lanço-me ao sonho sem nexo
Atravesso o ilimitado
Descarto o improvável
Beijo a alienação
Minhas asas são
A supremacia da vontade
Meu eu em liberdade
Dispenso a forma
Transgrido normas
O incabível já não me vale
Fique meu corpo na Terra
Entre as areias da submissão
Minh’alma vai ao Cosmos
Sem estrada nem direção
Deitar numa nuvem cor de rosa
Planar o impossível e inimaginável
Olhar a chuva que cai
Molha de amor e dá vida
Ser um átomo que se move
Dança, canta e ri pela nebulosa
Desvenda o livro das origens! 

Maria Iraci Leal/MIL
POA/RS/Brasil
16/07/2010

Saiba mais…
Poetisa e Escritora

Aqueles dias... Poema MIL

Aqueles dias... 

Sabe aqueles dias
Que você pensa na sua sorte
Os tantos e tantos revezes
Que insistem em ofuscar seu imo
Matar a esperança da alma
É um daqueles dias bem tristes
Em que o sorriso foge da face
Faz sentir-se pano velho e puído
Cobertor rasgado que não aquece
Os sonhos se evadiram
Nada tem graça ou acalenta
Somente o desesperado anseio
De esquecer-se e de tudo que existe
Fugir para o sol
Pegar carona em seus raios
Buscar na paz infinita um milagre...
Pegar carona num raio de sol
O sentido e a luz que arde
Em Deus Pai força e abrigo
Deixar para trás este dia tão triste
Superando com fé e alegria... 

Maria Iraci Leal/MIL
POA/RS/Brasil
10/06/2012

Saiba mais…