Posts de Jbcampos (368)

A eternidade silenciosa da escrita filosófica

A eternidade silenciosa da escrita filosófica

jbcampos

 

No vácuo existe um desmesurado “chip” onde ficam ordenadamente registradas as palavras descritas dos fatos. A palavra sacramentada na escrita é luz divina eternizada naquilo que o coração dita. A poesia ou qualquer enredo é a repetição de dulcíssimo segredo arquitetado em profundo degredo. Diferenciada no mais puro e santificado arremedo. Repetições alimentares espargidas nos altares do medo. É a cura invisível de bocejantes no cio e, de depauperados doentios.

 

A palavra é a cura de todos os males, ou infelizmente é a destruição de milhares de lares.

 

Depende de como é pensada. Pense bem, pois, é recomendável.

 

Paz & Amor 

Saiba mais…

Ah... Se aquela chave falasse...

Ah... Se aquela chave falasse...

Jbcampos

 

Para que serve uma chave sobre o chão onusto de tantos passos já passados e robustos por viandantes tristes ou divertidos à palhaços, com dores de amores repassados pelos seus próprios passos, conjugados a anciões de jovens corações de aço? Aquela chave desbotada indicava uma longa vida girada e, revirada em nada e nesta estrada perdida. Chave qual parecia indicar a resolução de problemas. A todo o momento de alegria ou tormento abrindo o caminho para algum pensamento. Quiçá, algum escaninho daninho de falso ou autêntico documento de belo cenário. Uma certidão de amor, de batistério ou sério mistério de algum casamento em flor em algum cemitério. Quanto segredo guarda atrás de uma porta em seu silencioso degredo. Ah... Se aquela chave falasse... A chave do sucesso, a chave do céu, a chave do coração, da emoção, da paixão, do escritório, do banheiro do estacionamento refeita por algum importante chaveiro daquele momento, do consultório, do cofre milionário da casa bancária, bancando a otária, às vezes esperando a troca de mão do gerente a do ladrão. A chave do carro moderno, que confusão, de tão disputada tornou-se mixa por qualquer mixaria hodierna. Provocando tiro a tirar vida havida na sorte e agora na morte do homem de terno. Chave de alusão à ilusão. Chave do inverno. Chave do inferno... Chave da Terra onde em si mesma se encerra...

 

A chave da vida, a chave da morte

A chave do amor, a chave da sorte.

 

A chave é multifacetada no bem e no mal.

 

Seja uma chave do amor!

 

O Clari m da Paz

Saiba mais…

Aos pés da cruz

Aos pés da cruz

jbcampos

Santa Sé.
Maculada 
a nobre fé. 
Aos pés da Cruz juraste-me amar 
em nome do mais Santo dos santos. 
e destruíste o nosso amorável lar.

E o pranto? 

Por   que 
o  tanto? 
Eis meu 
espanto: 
Num dia 
a arrelia 
destruiu 
a minha 
fantasia. 
É a hora 
do sublime 
incondicional 
a perdoar o mal. 
Muito embora, agora 
vás embora a outro lugar. 

Sejas feliz, meu amor 
Ao divagares por aonde fores. 

É assim que se deve amar!

Saiba mais…

Amor de Eros

Amor de Eros

jbcampos

 

E

E R O S

R

O

S

E

Era

o Eros,

o fetiche,

o prazeroso

e o mais sincero.

Quiçá, o mais gostoso.

O mais antigo na Nova Era.

Em si só,  eternamente  existe.

Ei-lo nesta romana  e  familiar capela.

A louvar e a excomungar o inescrupuloso mal.

Eis os anjos gregos misteriosos,

Imaculados, e ou,  indecorosos.

O perdão nele é sacramentado.

Hercúleo e apolíneo - delineado.

Amor intensificado,  e revelado.

Saudável candelabro realizado

no maior tesouro entesourado

no mais puro ouro; "purificado".

 

Ame com a boa verdade;

E estará livre da maldade.

 

Grato amiga Sofia, você me inspirou a falar de Eros.

Saiba mais…

Só para você meu amor

                                       Só para você meu amor
                                                    jbcampos 


                                                        Eu,
                                                       E você;
                                                      Quem diria,
                                                       Ao lhe conhecer,
                                                          Não ousaria lhe dizer
                                                             Como o amor lhe diria:
                                                                É luz do seu próprio ser.
                                                                  Quando esteve aqui,
                                                                  Deu-me o prazer.
                                                                 Ao me falar,
                                                               Porém,
                                                             o seu
                                                           olhar
                                                           me dizia.
                                                            Logo senti
                                                              O que mediria:
                                                                 Do verbo mensurar.
                                                                     E a mim me fez sentir
                                                                      Sabedoria, paz e alegria:
                                                                      Desenvolver-me - ei sozinha,
                                                                     Pouco importa a minha vizinha.
                                                                   Tanto  faz  na sala, ou na cozinha.
                                                                Então, entendi o que a mim me dizia;
                                                              Tanto faz, qualquer  lugar  é  o lugar.
                                                             Conquanto, preste bem atenção,
                                                            Muitos  lhe  pedem  a  mão.
                                                           Jamais sonegue, não.
                                                           Você tem para dar
                                                             Doe seu coração,
                                                                  Dê minha irmã,
                                                                       Ao famélico,
                                                                             Esfaimado,
                                                                                 Sequioso,
                                                                                     Dê amor.
                                                                                         Àquele
                                                                                      Que  está
                                                                                  Ao  seu lado,
                                                                          Porém, não  pare,
                                                                 De dar, nem  de amar.
                                                          Àquele que está amuado.
                                                     Veja o tamanho da sua dor.
                                                 Seja   feliz   ao   não  fazer
                                                Do seu prazer  mau juiz.
                                                  Assim é esta  vida
                                                       E  nada  mais.
                                                            Aqui se faz
                                                                  Para ser
                                                                       Feliz.
                                                                           Paz.
                                                                              Ás.

Saiba mais…

Amigo da solidão

 


Amigo da Solidão
Jbcampos

A
Solidão 
É a boa amiga.
Inspiradora ambigua.
Adjutora de febril favor.
É a professora do escritor.
Às vezes é linda rapariga
Àquele que nela se liga.
Mensageira da flora.
Odor que não explora
O magoado coração. 
Aquele que olha ao lado
E ficando desapontado e apontando
O dolorido coração corrompido pelo estampido
Da própria e cega visão. Quisera enxergar o sentido
Da decantada, maltratada e mal-falada solidão. 
Não pense assim, dela não, meu irmão.
Essa é a sua invenção.
No amor próprio
Descobrirá
O seu
Valor.
Sentirá
Que você 
Estando em você
Jamais estará à mercê
Dessa pseudoescuridão.
Cultive o valor do seu amor próprio, 
Assim como deve amar ao próximo. 
E, jamais sentirá a solidão.
Solidão é uma questão
De interpretação.

O Clarim da Paz
Saiba mais…

Do plantio se faz a colheita

Do plantio se faz a colheita

Jbcampos

 

Quero paz, caridade e fé, porém, longe da hipocrisia.

A verdade é mais profunda quando a experimento na própria pele.

Uns têm muito.

Muitos nada têm.

A maldade humana é galopante.

Os crimes são hediondos em todas as classes sociais.

O planeta sofre de psicopatia extrassensorial.

O planeta é o que é, há milênios.

O mal é proporcional à população.

Não se pode falar a verdade, pois, sutilmente existe um plano mefistofélico para repeli-la.

O povo não vê, e adora ouvir o que quer.

Porém, aquele que enxergar a superficialidade desta efêmera vida, vai tentar fazer o bem, amar a tudo, sem prejulgamento, apenas amar, mesmo que jamais saiba praticá-lo, pois, apenas a intenção é o que se consegue.

 

Afinal, o bem existe!

 

Ame, ame e ame se for capaz... Porém, amar está além da ideia... Implica em profunda sabedoria...

 

Após, muito analisar, desde a mais tenra idade, cheguei a uma simples conclusão a qual o meu modesto entendimento alcançou: Estou literalmente colhendo o fruto advindo da semente que semeei! Divindade alguma vai impedir de que eu colha o fruto do meu merecimento, ponto. Laconicamente: Ponto! Fora disto não vejo justiça alguma!

 

Observação: A vida é assim; mesmo que eu não queira!

 

Ah... Se a vida continua pós-morte... Na minha simples opinião, literalmente sim!

 

O anacoreta.

Saiba mais…

Por que você está triste?

Por que você está triste?
jbcampos

É fácil perguntar, mas difícil é estar no seu lugar.
Tudo pode redundar, pois, muito se viveu sem nela
meditar. Refiro-me à morte. Nem se fez nela pensar.
Nesta vida tudo há de passar, até a morte que nivela
curva de trivela, numa longa reta há de se transformar.

Todos serão: José

“Deus escreve reto por linhas tortas”.

Saiba mais…