Posts de Ismael Gaião da Costa (5)

Às vezes eu acho que a vida é um porreAssim mesmo quero teimar em viver...Porém consciente que hei de morrer,Não faço, jamais, versos como quem morre.Da minha tristeza um poema se escorre.Se faço meus versos estando a sofrer...Se quero um alguém para me socorrer,Eu sei, que o poema é quem mais me socorre.É ele que acalma e me trás esperança...Tal qual o sorriso de uma criança...Que ainda é tão pouco, mas que sobrevive!Meu verso é a vida que pulsa na veia,É como o amor sob a lua cheia.- Pois eu faço versos só como quem vive!Ismael Gaião da CostaRecife, 24/07/2009
Saiba mais…

Não foi perdida

(À amiga Jadnete Ana da Silva Cordeiro)Quantas obras do bem aqui fizeste!Quantas outras tu tinhas por fazer!Mas o homem que só do mal se veste,Batalhou pra tentar te interromper.Teu caminho cruzou, te pôs ao chão,Em um ato de pura malvadezaE a notícia correu de mão em mão,Mas não fez abalar tua nobreza.Quem nasceu para só fazer o bemE viveu rodeada de só amigos,Não se abate partindo para o além.Bem melhor estarás na outra vida,Desmentindo quem disse nos artigos,Que essa bala, em ti posta, foi perdida.Ismael GaiãoRecife, 23 de julho de 2010.
Saiba mais…

ATRÁS DO AMOR

Se Deus não quis nos ter no mesmo tetoAlgo melhor pra nós nos reservouComo estás e também como eu estouTalvez que seja o destino corretoSe foi a vida que nos separouE se não tenho mais o teu afetoMesmo que eu queira ser teu prediletoSe não consigo é só porque não souEntão eu sigo, busco outro destinoPra esquecer meu sonho de meninoCicatrizando a dor e a feridaProcurarei quem me faça felizJá que contigo o destino não quisEu vou atrás do amor da minha vida.Ismael GaiãoRecife, 31 de maio de 2009
Saiba mais…

SONETO DOS SONHOS QUE SE VÃO

Quantas vezes no tempo de criançaEu sonhei ser famoso e muito ricoMas o tempo passou e agora eu ficoVendo ir-se do peito a esperançaHoje eu sei não serei um jogadorPois já acho difícil até andarE a voz rouca que impede o meu falarJá me frustra os sonhos de cantorUm galã de novelas não sereiPois o rosto de jovem se enrugouE o futuro tão próspero que espereiDe tão pouco ficou em quase nadaE dos sonhos que tive apenas souUm velhinho que agrada a garotadaIsmael Gaião da Costa - 31/08/1993
Saiba mais…