Posts de Ciducha Seefelder (140)

Poetisa e Escritora

Hoje e ...sempre!

 

 

Hoje... e sempre!


Ontem chorava
a ausência inoportuna
de quem eu mais quis!
Hoje,  acordei feliz!
Ensaiei até uma canção
comemorando a volta do meu amor
que é antigo posseiro
do meu irrequieto coração!
Amanhã,
recordaremos  juntos
todos os momentos
por nós vividos...
E que jamais serão esquecidos!

 

Ciducha

 

Saiba mais…
Poetisa e Escritora

Houve um tempo (só nosso...!)

 
 
Houve um tempo...(só nosso!)
 
 
Qual aquele que não se sente inflado
em receber palavras que marcaram o tempo,
fixaram-se na lenbrança,
duplicaram-nos.
fazendo-nos existir duplamente
ignorando o poder
de viver no coração de alguém...
Quem??
 
São lisongeios que nos enchem a alma
e ficamos à mercê da pergunta se tanto merecemos...
Não é apenas uma resposta...
mas um fato que existiu e muito nos marcou.
 
Esse costume ficou encalacrado em mim
da mesma maneira e,quem sabe,o tempo,
este devastador,nos tenha mudado,
e,a idade,essa esponja que suga o brilho dos olhares
já não nos faz os mesmos...
Houve um tempo...!
Ciducha Seefelder
 
 
Saiba mais…
Poetisa e Escritora

TALVEZ...

 
 
TALVEZ...
 
Um dia, quem sabe...
Talvez possamos viver sem pejo ou culpa,
nossa tão esperada união.
 
Juntos,
plenos e indivisíveis,
fogo e água,
perfeição... sem mágoa.
Sei que somos
momentos permanentes,
de encanto.
 
Juntos,
voamos eternos,
um eterno vôo,
infinda emoção!
 
Dividir nossos sentidos,
 diuturnamente
como sempre sonhamos,
De mãos dadas, seguiremos em frente,
sem olhar para trás!
 
Um dia quem sabe... talvez!
 
Ciducha Seefelder
 
 
 
 

Saiba mais…
Poetisa e Escritora

Volta..eu te espero

 
 
 
Volta...eu te espero
 
Estarei te esperando
com a porta entreaberta
em silêncio,
calada...
Invada-me!
 
Serei tua,
toda nua,
para explorar desejos e lampejos,
que tomam nossos corpos tão sedentos!
 
Quero desmaiar
nos teus braços,
aconchegar-me...
envolver-me...
perder-me...
e, encontrar-me!
 
Em mágicos delirios.
encontraremos o que buscamos,
e me darás...
e eu te darei...
e então eu sei...
Com certeza:--Voltarás para mim!
Volta...?!
Ciducha Seefelder
 
 
 
Saiba mais…
Poetisa e Escritora

Olhos

 

Olhos




Querido, estás vendo meus olhos?
Podem ver bem dentro dos teus...
Você me pertence.
Eu te pertenço.
E não se trata de um mero sonho!

Querido, que ânsia é essa,
que te aprisiona,
nesse mutismo insano?

Que tempo é esse, tão estranho,
escuro, que rouba do teu semblante,
o brilho dos teus olhos?

Querido, deixa rebrotar o sol,
na manhã do nosso tempo,
renascendo nossa esperança!

Deixa, querido, que o amor
tome cômodo no teu peito,
definitiva e lindamente,
como a índole dos mares!

Estás vendo meus olhos?
São teus...


 

Ciducha Seefelder

 

 

 

 

 

 

 

Saiba mais…
Poetisa e Escritora

Um sorriso ou sorrir?

 
 
 
UM SORRISO OU SORRIR?

 

Um sorriso ou sorrir?
Eis a questão!
Mas não quer saber meu coração...
Só quer sorrir porque está a sentir
a doce alegria do sorriso em mim!

Depois de tanto tempo, tanto silêncio...
Depois dessa estrada longa
que cansou minha alma, tanta delonga...

Sou abraçada novamente
pela alegria de viver
por isso deixe-me ser,
portadora de sorrisos
mensageira de sorrir!

Vida!... Vida!...
Deixe-me ser feliz!
No meu sorriso
no meu sorrir...

Ciducha Seefelder


 




 
Saiba mais…
Poetisa e Escritora

Fim!

 
 
 
Fim!
 
 
Meu coração bate,
Num acelerado ritmo,
Irregular,
Ao relembrar nossos
Momentos de intimidade....
 
 
Fugazes, é verdade!
Sim, nada mais restou....
Nosso conluio, se foi!
E com ele, todos os meus devaneios
Apenas saudade e vontade deixou...
 
 
A noite chega.......
O silêncio  se instala,
E eu me dou conta
Que..........sim........
-------É o fim!
 
Ciducha Seefelder
 
 
 

Saiba mais…
Poetisa e Escritora

Para você meu amor (in memorian)

 
 
(in memorian)


Hoje, o dia amanheceu cabisbaixo...
eu não sabia porque.
Agora eu já sei...
descobri que morri um pouquinho,
que perdi um pedacinho de mim,
talvez o melhor...
foi-se para sempre.

Essa parte preciosa que eu perdi,
era meu porto seguro,

minha balsa,
meu cúmplice,
minha tábua de salvação,
meu amigo,
e por que não dizer?
O meu amor!

Foram-se os sonhos...
os projetos, agora órfãos de pai,
deitando-se sonolentos
na cama do "nunca mais"...
que dor!
Que sensação mais estranha!

O vazio se estende a perder de vista
não há mais conquista
pela qual batalhar.

Deponho as armas e choro,
sem no entanto, lamentar.
Nós pudemos tudo nessa vida!
Tivemos pouco...
Eu nada posso contra a morte...
ela é maior que tudo!

Adeus, meu amor.
Descanse em paz...
                           em paz...
Santos 01/01/2011
Ciducha Seefelder
 
 
 
 

Saiba mais…
Poetisa e Escritora

No escuro do meu quarto

 
 
No escuro do meu quarto..
 
...ouço os silêncios das casas,das salas,
 
dos quartos noturnos,
 
dos murmúrios ouvidos
 
só pelos próprios ouvidos,
 
a desejar o outro que não é ouvido!
 
Esse confessar-se assim,sem contestação....
 
Do abrir o coração,sem ouvir reparos,
 
Olhares ,quem sabe,de desaprovação,
 
numa fala corrente,ligeira,sem olhares de viés....
 
Ah...escrever...dizer o que se sente...
 
Desejar.....volatizar-se assim...
 
Dar pareceres,emitir opiniões,discutir,
 
Esbravejar,e ouvir novamente,só os silêncios
 
Das casas,das salas e dos quartos noturnos!..
 
Ciducha Seefelder
Santos/06/02/2019 às 3hs
 
 

                   
 

Saiba mais…
Poetisa e Escritora

Quem sois?/Quem sou/Ciducha e Eugenio

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

És quem ri o riso solto

Que habita minha espera...

E és a um só tempo,

Meu bálsamo e minha fera.

 

És quem me acalanta num simples gesto

E me dá rumo e sentido...

E és quem comigo visita outro mundo,

Pouco importa se perdido.

 

És também quem não se cansa

De viver comigo este amor sem fim...

E és quem sempre volta com saudades,

Pois não sabes viver sem mim!

 

 

 

 

Sou aquele que por ti olha

Que te preenche os vazios

Quem te sossega as tristezas

Quando os teus olhos são rios

Mas também sou quem te adora

Sem peias nem tibiezas

 

Tenho por ti a ternura

Que te embala as noites tristes

Sempre que se instala a dor

Sou quem tu sempre sentiste

Aquele que na loucura

Sabe sempre dar-te amor

 

E nas tuas utopias

Sei fingir que estou contente

Trago-te afagos sentidos

Mesmo se a dor é pungente

Não ta dou a entender

Guardo p’ra mim os gemidos

 

 

 

 

 

Arte e Formatação:

AugustaBS

 

Saiba mais…
Poetisa e Escritora

Amantes do amor

 
 
Amantes do amor
 
 
Precisamos nos libertar, amor...
não de nós mesmos,
que isso me mataria!
Precisamos nos libertar do mundo
e nos condenarmos aos nossos corações
para todo o sempre!
 
 
Precisamos ser insensatos, loucos
cada vez mais loucos
por esse amor que nos alimenta
que nos sacia a alma e o corpo
Amantes do amor...
é o que somos!
É o que sempre seremos
e com isso somos felizes!
 
 
Parece pouco?...
Engana-se quem pensa...
amar o amor, como nós amamos
é muito mais do que todos têm!
É uma oração
que antes mesmo de pronunciá-la
já se diz amém...
 
Ciducha Seefelder
 
Santos/2015

 
(quadro de René Magritte)

Saiba mais…
Poetisa e Escritora

Compreendi que te amo

 

Compreendi que te amo


Compreendi que te amo
a cada expectativa frustrada
a cada novo sobressalto
a cada palavra esperada
que nunca chegou...


Compreendi que te amo no medo de não    vê-lo chegar
na tua indiferença
na inquietação de minh'alma
que te espera...

Compreendi que te amo
quando negaste acreditar no amor
quando falei com outras pessoas
e percebi que a vida fervilhava à minha volta
mas eu estava só...


Uma frase tua...
Apenas uma frase eu precisava
para mudar tudo e reaver minhas esperanças
ou uma palavra, quem sabe a palavra certa,
mas calaste...


Foram sempre tantas ausências
o meu amor tratado como impertinência
esquecido num canto, em pranto...
compreendi que te amo...
tanto!!!

Ciducha Seefelder

Santos, 29.08.2007

Poema inspirado na música interpretada

pela Zizi Possi...

"Ho capito che ti amo
Quando ho visto che bastava una tua frase
Per far sì che una serata come un'altra
Cominciasse per incanto a illuminarsi"

 

 

 

Saiba mais…
Poetisa e Escritora

Por que...?

 
 
 
 
 
Por que?


Queria entender...
Algo foi pensado, falado... 
Algo mudou, certamente,
nada seria mais
como antigamente!
 
Meu rosto ficou no passado,
não veio com a alma,
insistente
para o presente...


Ainda vejo meus sonhos
 tão vivos dentro de mim!
Porém esquecidos.
relegados ao passado...
Eram sonhos irreais.
talvez demais...

Mas os fantasmas me perseguem,
por onde quer que eu vá!
São teimosos os meus fantasmas,
e não consigo escapar.
Me perseguem dia e noite,
de mãos dadas com a sua lembrança...

Então, diga-me: - Por que...?
Ciducha Seefelder


 

Saiba mais…
Poetisa e Escritora

Vontade de você

 
 
 
 
 
Vontade de você
Ontem me fugistes 
como se te traido  houvera!!!
O desejo de ingressar
por entre teus poros...
É insistente...

Ontem me aparecestes
como se marcado tivéssemos...
Gostei.. te insinuavas o amor...
já tão inexistente,
Ausente tanto tempo...

Graciosamente eu me esquivava...
querendo.
Já me falha a memória.
Mas nunca o gosto dos sabores
que de ti possuo.

Tua força, tuas necessidades...
minhas também.
Teus anseios me pertencem...
Instalar-me, ficar, permanecer.
Sentir os calores que de ti emanam...
e ali ficar plantada, fincada, a te esperar.

Encostar-te no meu ventre,
sentir tuas mãos nos meus cabelos.
Voltar ao passado...
puxando-me...
Extasiar-me com teu olhar,
o brilho deles a me fitar,
pedindo-me, implorando-me...

Ler e reler
tuas queixas, teus ciúmes,
tuas carências e sentir essa vontade
impossível de querer
voltar ao passado!
 


 
Ciducha Seefelder
 
 

Saiba mais…
Poetisa e Escritora

Leviandade

 
 
Leviandade
 
É preciso que eu desabafe,
em defesa do meu coração...
Ele não é culpado,
não tem ao menos que pedir perdão!
Pois tornou-se assim, tão leviano
lenta e sofridamente,
ao longo do tempo, ano após ano...
 

Foram tantas dores!
Tantas ausências
escoltadas pelo insano silêncio,
tantos bilhetes escritos com amor,
relegados ao torpor
do esquecimento...
 
Resolvi repensar a minha vida,
que diga-se de passagem,
está mais para o fim...
E o que eu fiz de mim?
 
Vou colocar ponto final,
num caso especial...
que eu sempre o chamei de amor,
meu doce e imensurável amor!
Não está sendo fácil...
e sei que doerá por muito tempo,
talvez para sempre... 

Acontece,
que eu redescobri a alegria de viver,
jogando pela janela, meus mais íntimos medos...
De muitos, eu já havia me livrado,
nas teias do meu sonho abandonado...
 
Mas às vezes, ainda me assombram,
porém sem terrorismo,
como se me advertissem:
 Você precisa, você merece ser feliz!
 
Nesses momentos, o meu recado,
segue sozinho querendo ser dado...
 
- Me tome para si,
matizando com seu brilho colorido,
com sua constante luz,
que aos confins dos céus já me conduz...
Deixe-me seguí-la, felicidade,
ainda que seja com
Leviandade
Ciducha Seefelder
 

Saiba mais…
Poetisa e Escritora

Meu amor...onde estás?

 
 
 
MEU AMOR...ONDE ESTÁS?
 
 
 
Onde estás que não respondes?
Em que lugar te escondes?
Há muito te mandei um grito,
que desde então,percorre o infinito..
Onde estás,meu amor?
 
Teu nome foi um eco do passado,
um eco de soluços e prantos;
foi tudo que eu amei,
aonde assim resumi:
---Dores,prazer,ventura....
amor,encantos!
 
Por maiores que sejam,tenham sido
ou possam vir a ser
as vicissitudes da minha vida,
nunca se apagará da minha mente,
a lembrança do meu amor! 
 
Onde estás?
Ciducha Seefelder
 
 

 

Saiba mais…
Poetisa e Escritora

Não importa...!

 

Enquanto a lua passeia lá no céu,
em mim,passeia uma saudade
misto de dor e ansiedade
onde o seu rosto é o personagem!
 
Você,que eu já tive nos meus braços
que reencontrei,sem nunca ter perdido
que vai morrendo aos poucos,
junto comigo...
nesse amor que faz tanto sentido!
 
A lua pára,pra chorar de vez em quando
e é quando eu vou,
ainda mais,morrendo e amando
como algum dia,na primeira vez...
 
Não nos dissemos adeus...
jamais!
E no entanto,é doce esse meu pranto
tentando lembrar onde ficou
em que estrela se perdeu,morreu...
o nosso encanto.
 
Não importa...!
Ciducha Seefelder
 
 
 
 
 

Saiba mais…
Poetisa e Escritora

Faça outra vez

 
 
 
 
 
 
.
 
Faça outra vez!
 
Ainda que em sonho,
o olhar sereno,
de olhar inquieto... irrequieto!
Pousa outra vez
no meu ombro tenso,
sua mão amena
com que, suave,
aplacaste, tantas vezes,
minha alma intolerante!
Torne outra vez,
de alguma forma,
pois não se conforma
com sua ausência,
o meu jeito de ser

Faça-me mulher
outra vez!
De alguma forma
tome minha mão,
ensine-me novamente
o que não aprendi,
ou esqueci, não sei...
  
Não me negue o que preciso,
não me roube o juízo,
não me deixe assim...
às margens de mim.

Faça outra vez!
Como já me fez tantas vezes:
- Feliz!
Ciducha Seefelder
 
 

Saiba mais…