Posts de Aurea Charpinel (7)

Soneto: Promessa

Boa tarde, amigos do Peapaz.

Depois de uma longa ausência, é um prazer estar aqui com vocês e fazer  minha primeira postagem. Ainda estou meio destreinada, rss, escrevi um soneto respondendo ao rondel "Ai, menina, por que choras?", publicado no Peapaz em 2011. Vou deixar o link do rondel, para os que ainda não o leram poderem relacionar os dois, está bem? Ontem fiz a mesma postagem no facebook, hoje repetirei o que disse lá sobre o rondel:

Ele foi inspirado numa cena real da minha infância que hoje me faz rir, rss...

Foi num recital da ABI, eu tinha cerca de 10 anos. Vi que muitas meninas, depois de recitar, recebiam flores de suas mães. Depois que fiz a minha apresentação, Maria Sabina (nossa professora) mandou-me voltar ao palco. Pensei: "oba, chegou a minha vez de ganhar flores!"...  e fiquei ali esperando com "cara de tacho", mas minha mãe não aparecia, rss... não sabia que o retorno era pra agradecer. Mas eu não estava nem aí pros aplausos, queria mesmo era ganhar flores da minha mãe...

Neste link está o rondel:
E aqui o soneto de hoje:
3541940497?profile=original
Promessa
3541940591?profile=original
Se chorei pelas flores que eu queria
hoje sei... tu me deste mais ainda.
Certamente, com a tua voz tão linda
me embalaste... eras minha poesia.
3541940591?profile=originalMinha mãe... sei que não precisaria
renascer, só pra me sentir bem-vinda...
Sim, me amavas. Jogavas-me à "berlinda"
e eu, entrando no palco... estremecia.
3541940591?profile=originalEsse medo me fez mais corajosa.
Se o enfrentei, foi porque me amaste tanto.
Esse amor vale mais do que mil rosas...
3541940591?profile=originalMãe querida, ofereço-te um soneto
que aprendi com teus versos, com teu canto...
Voltarei a compor. Eu te prometo. 3541940591?profile=original
Aurea Charpinel.
Saiba mais…

Canções para os meus netinhos

 

Fiz esta publicação exclusivamente para vocês, queridos amigos. Não pude postar "para todos" porque apareceria na pesquisa do Google e minha filha morre de ciúmes da Ananda, acha perigoso mostrar suas fotos na internet, mas permitiu que eu o compartilhasse particularmente. No Youtube ele está como "não listado", enquanto que o do Francisco pode ser visto por todos , meu filho e minha nora não têm esse receio. Luca já completou um aninho e ainda estou lhe devendo uma composição, espero que minha inspiração não demore a voltar, rss...
Compus a "Canção para Ananda Krishna" em 2003, quando ela fez 4 aninhos, especialmente para a sua "Festa da Cinderela".
O "Acalanto para Francisco" quando ele ainda era bebê, no início de 2004.
Espero que gostem e que não reparem a minha corujice de vó, rss, quando vocês tiverem netinhos saberão que é inevitável. Dizem que netos são filhos com açúcar, sabiam?



Saiba mais…

Rondel: "Ai, menina, por que choras?"

 

3541634428?profile=originalTela de Modigliani


 

Ai, menina, por que choras?

(Aurea Charpinel)


Ai, menina, por que choras?
Já vai chegar tua vez.
Vão-se noites, vêm auroras...
Abre os olhos que tu vês.

Deixa que os dias e as horas
Respondam aos teus porquês...
Ai, menina, por que choras?
Já vai chegar tua vez.

Prova essa torta de amoras,
Foi tua mamãe quem fez.
As flores que tu namoras
Ela vai dar-te em buquês...
Ai, menina, por que choras?


Link da imagem:

http://hoocher.com/Amedeo_Modigliani/Little_Girl_in_Blue_1918.jpg

 

 

Saiba mais…

Despedida

 

Queridos amigos.

 

Gostei muito deste espaço tão acolhedor, onde conheci tantas pessoas maravilhosas, mas preciso me despedir, infelizmente. Farei o mesmo no "Mural dos Escritores" e no "Verso e Prosa", onde também sou membro. O motivo é muito simples: não sou Poeta nem Escritora, apenas escrevo as letras das minhas composições. Não posso tentar ser o que não sou. Tenho alguns poucos sonetos, trovas e cordéis, mas não seriam suficientes para que eu fizesse uma postagem a cada dois meses. Fico muito ansiosa tentando participar de algo que não está ao meu alcance, espremendo a inspiração pra escrever uns versinhos bobos, rss, quando me atrevi num texto em prosa foi pior a emenda que o soneto: acabei excluindo a minha postagem "Buscando sinais". Peço desculpas aos amigos que me incentivaram com seus comentários, mas a minha autocrítica é realmente muito severa.
Se me fosse permitido manter o perfil mesmo sem postar regularmente, certamente o faria e com muito gosto, pra deixar com vocês os vídeos das minhas composições (só postei 6, tenho ainda outros 3 que estão no Youtube). Mas não acho justo pedir uma exceção, regras são regras, não é mesmo? Mesmo com o coração apertadinho, creio ser o melhor a fazer.
Continuarei inscrita no "Clube Caiubi de Compositores", no "Oficina da Voz" e no "Balcão do Músico" (minhas praias, rss), sites também da Ning.
Uma pena lá não existir o calor humano que encontrei na PEAPAZ, de onde levarei muita saudade. Foi uma experiência enriquecedora aventurar-me em praias que não são minhas, tentando aprender a nadar fiz amizades preciosas, "né"?
Tinha que ter um "né" na minha despedida, rss...
Obrigada, queridos amigos. Agradeço especialmente à Sílvia Mota e à Denise Severgnini, que me abriram as portas da PEAPAZ e também do coração.
Um abraço em cada um de vocês, com todo o meu carinho.
Aurea.

 

Como presentinho de despedida, deixo com vocês um pouco da minha vida. Rimou, rss...

 

Viajando no tempo:

 

3541633496?profile=original

De menina a vovozinha:

 

3541633634?profile=original

 

 

Em Novembro de 2009 veio mais um netinho, não posso deixá-lo de fora, "né"?


 

3541633651?profile=original

 

 

 

 

Saiba mais…

Essência de Mulher

3541632440?profile=original

"Jeune Femme au Chapeau de Paille" - Renoir

 

 

Essência de Mulher

 

(Aurea Charpinel)



Num soneto à mulher, o que eu diria?
Tanto amor cabe em versos tão exatos?
Certamente. Sonetos são extratos
Da mais pura e mais bela poesia...

E quem sabe, por ser tão preciosa
A mulher foi contida pelo homem?
Pouco a pouco os amantes a consomem
Como quem come pétalas de rosa...

Ao voltar às raízes de sua terra
Vai brotando uma rosa pequenina
E a neblina sorri, descendo a serra...

Mais parece um sorriso de menina
E gotinhas de dor ainda encerra
Mas a essência do amor jamais termina...

 


 

 

Saiba mais…

Deixa passar...

(música, letra, piano e voz de Aurea Charpinel)

Claude Monet - Water Lilies Clique para ouvir: Deixa Passar (Aurea Charpinel) 1.mp3 Deixa passar deixar rolar, porque viver pode ser bem fácil... Vai devagar vai sem olhar pra trás pra que pensar demais? Relaxa... Muda de tom vê como é bom cantar a música vem de graça... Dá um perdão dá tua mão, porque na vida tudo vem e passa... Passam as águas passa o verão passam as mágoas do meu coração... Passam as águas passa o verão só Deus não passa... Dá-me tua mão. (Aurea Charpinel) .
Saiba mais…

Composições do musical "Os Sinos da Candelária"

Elenco (Rio de Janeiro - RJ - 1994/1995) ( aqui estão reunidas 5 das 18 composições, com as respectivas letras) Clique para ouvir: MINHA CASA.mp3 LAMENTO DE CRIANÇA.mp3 EU CORRI ATRÁS .mp3 O MENINO E O GUARDA.mp3 LÁ VEM O ARRASTÃO .mp3 Músicas e Letras de Aurea Charpinel Direção de Ilclemar Nunes Direção Musical de Ubirajara Cabral MINHA CASA Ouvir: MINHA CASA.mp3 Solos: Vítor Botelho, Priscila Assum e Cláudia Gomes ( coro de atores do elenco ) Minha casa não tem portão Nem janela para fechar Água só tem a da chuva E a luz vem do sol e do luar Mas, também, para que portão Nós não temos o que guardar Somos meninos da rua Das esquinas Do rio e do mar Todos os dias Eu durmo na calçada Tem gente que passa E finge que não vê Pensa, talvez Que não pode fazer nada Olhe pra mim Eu só conto com você Muitos prometem Mas nunca fazem nada Dão entrevistas No jornal e na TV Juram gostar De menor abandonado Pura mentira Só contamos com você LAMENTO DE CRIANÇA Ouvir: LAMENTO DE CRIANÇA.mp3 Voz: Rafael Mondego Eu só quero um pedaço de pão E o direito de existir De sorrir e cantar, mas você Me diz sempre não Quero um espaço no seu coração Um compasso em sua canção Um cantinho só meu, mas você Me diz sempre não Então, se eu tomar o que é seu Não se faça de vítima, amigo Porque você tem uma dívida comigo Você que nasceu nesse berço esplêndido E finge não ver esse rio Onde as margens plácidas Ouviram um lamento de criança Com as faces pálidas Esquálidas... Tão pálidas... EU CORRI ATRÁS Ouvir: EU CORRI ATRÁS .mp3 Voz: Marco Aurélio Hamellin Já conheço essa história... Direitos da Criança Direitos do Homem Eu não agüento mais Também já fui pobre Passei até fome Mas eu corri atrás Mas eu corri atrás Trabalho, não brinco Às vezes, até no domingo E saio cedinho Nem leio o jornal de manhã Não jogo Não bebo Não vou ao cinema Nem mesmo ao Maracanã Direito à segurança E à propriedade Já não existem mais Eu vou p'ra Miami Odeio esta cidade Quero viver em paz Quero viver em paz Meus filhos nem podem Andar de relógio na rua A minha mulher Faz tempo não usa a aliança Se um dia me invoco E mato um pivete Me dizem "Pobre criança" Direitos da Criança Direitos do Homem O MENINO E O GUARDA Ouvir: O MENINO E O GUARDA.mp3 Dueto: Rafael Mondego e Luís Cláudio Menino: Não, não me leve Não me leve, Seu Guarda Minha vida já não tem graça Deixe ao menos Que eu possa correr pela praça Eu só tenho minha cidade Não, não me faça Perder também a liberdade Não, não me leve Não me leve, Seu Guarda Sou apenas um menino Deixe ao menos Que eu possa escolher O meu destino Eu só troco minha cidade Por uma casa Uma casa de verdade Quem sabe Você tem um cantinho p'ra mim Quem sabe, Seu Guarda Você, sem a farda Nem é tão mau assim Quem sabe, Seu Guarda Quem sabe, Seu Guarda Guarda: Não vem com essa conversa Eu te conheço bem Já sei das tuas manhas Como ninguém Carinha de anjo Canivete na mão Pivete, eu te manjo Não me tentes, não Tem gente que se mete A defender ladrão E diz que os inocentes Só querem pão Sinto Escondido nesse olhar De menino Um bandido Querendo me enrolar LÁ VEM O ARRASTÃO Ouvir: LÁ VEM O ARRASTÃO .mp3 CORATOR (coro de atores) Quem puder que se esconda no mar, uma onda de gente chegou... Onda gigante de gente com fome que assalta a cidade e exige da gente o pão que lhe falta levando consigo o que o mundo lhe negou... Quem puder que se esconda no mar, uma onda de gente chegou... Onda gigante de gente sofrida que invade a areia e semeia entre a gente a revolta contida que um dia, em silêncio, sua dor germinou... Quem puder que se esconda no mar, uma onda de gente chegou... Onda de gente que já não tem vida nem medo da morte e explode na gente o clamor de vingança da voz que não canta mas não se calou... Quem puder ajudar não se esconda no mar deixe o seu coração mergulhar nessa onda e buscar, bem no fundo a razão da fome no mundo... .
Saiba mais…