Posts de Arlete Brasil Deretti Fernandes (494)

PRATA BABPEAPAZ

Homenagem à Denise

Poesia à Denise

Olhos azuis,

Cor da imensidão

Onde se espelham

Estrelas e luas!

 

Sorriso de poetisa,

Palavras doces e ternas.

Cantando a existência,

Homenagem ao amor,

À amizade, à vida!

 

De repente, tua bela voz

Calou.

 

Hoje, flores erguem-se

à tua passagem,

à tua alegria.

Lembrando teu porte

E graça.

 

Pássaros à tua volta

Formam um bailado,

Nas árvores próximas.

Aos sons da lira que

Desenrolaste.

 

Amaste, voaste

Para outros espaços

Onde a luz e a justiça

Cantadas por ti em loas,

Virão ao teu encontro

Com a almejada paz!

 

 

Saiba mais…
PRATA BABPEAPAZ

Queria ser uma flor

Queria ser uma flor, a rosa.
De todas a mais delicada.
Queria ser pedra preciosa
que cintila ao sol, na madrugada.

Ao surgir de seus primeiros raios,
a iluminar a natureza inteira,
eu saio a vagar, a procurar-te,
até chegar a lua branca e faceira.

Meu destino será amar-te para sempre,
a plainar pela imensidão do Universo,
qual ave a chamar a companheira.

Esta cicatriz jamais se fechará,
espero encontrar-te em outra vida,
minha saudade só assim se aplacará.

Saiba mais…
PRATA BABPEAPAZ

Silenciosa contemplação

Como beija-flor, adejei à tua volta, aspirando teu perfume.
Entre sombras rendadas levitei, sentindo o desenho que ficou ...
Ansiei teus beijos quentes. Anelei teu amor ardente.
Aconcheguei-me ao ninho macio de teus braços,


Acalentei minha vida em teus abraços.
Articulamos juntos, com toda a calma
Aquarela de alegrias, de lutas e sentimentos
Ancorei minha vida neste refúgio de folhas outonais,
Nichos lindos e cheirosos a abrigar-nos.


Ao assentarmo-nos em bancos de rosmaninhos.
Parece que chorei de saudades.
Da minha infância, da adolescência,
De minha avó, meus irmãos e pais.

Saiba mais…
PRATA BABPEAPAZ

A estação das flores

Setembro corre veloz em seus corcéis e anuncia a chegada da Primavera.
Esperamos os brotos que voltam a reverdecer, como as nossas esperanças de um mundo mais feliz que temos que construir.
As flores reabrem mostrando-nos belos coloridos, embora suas vidas sejam curtas, nao negam-nos a sua beleza e o seu viço.
Já ouviste o canto de uma flor quando oferece generosamente suas pétalas, suas cores e seu perfume?
O beija-flor bailando vem visitá-las e passa o pólen para as demais enquanto baila e traça retas nos ares.
As abelhas vem visitá-las e com as joaninhas enfeitam a Natureza .
É preciso ouví-las, olhar o seu zumbido misturado ao som do vento, até chegarem em seus favos e depositarem o mel delicioso que oferecem.
Tudo é movimento. Uma carreira de formigas passa em sua avenida. Tudo isso é uma linguagem para se decifrar.
Sem dúvida que o amor alí está, mas há muito mais.

Arlete Deretti Fernandes

Saiba mais…
PRATA BABPEAPAZ

 

Assim como uma ponte une espaços,

Aperta  fortes laços.

E laços delicados,

De Amor e de Paz,

a ponte conduz abraços!

 

Cá estou para cumprimentá-lo(a).

Pelos momentos que desfrutamos juntos

(e que ainda vamos desfrutar)

Neste ano único,

porque todos os instantes

sempre sào únicos

no panorama de nossas vidas.

 

Foi muito bom conhecer você,

Apreciar seu caráter,

Sua fisionomia,

Sua poesia,

Sua mensagem,

Seu objetivo,

Sua individualidade,

Sua alegria,

Sua sensibilidade, 

Seu talento.

 

Muito aprendi com você.

A lição da Amizade,

Da Solidariedade,

Do Afeto.

Da compreensào,

da Simplicidade.

Cada vida uma história,

 

Fragmentos,

Vivências,

Experiências,

Esforços de superação.

Respeitar, sempre enriquece

E acrescenta.

Minha gratidão a todos.

Meu abraço carinhoso.

Sejam todos muito Felizes!

 Façam sempre o possível

para ser felizes!

 

“Que o ano que vem chegando seja para todos um motivo mais de alegria, de felicidade e de reflexão; porque os anos vão sendo cada vez mais duros, mais frios, mais curtos, tal como o tem querido a incompreensão humana. Devemos lutar para que os anos futuros voltem a ser cálidos, longos e ditosos para todos. Eis aqui o meu anelo”.(Da Sabedoria Logosófica).

 

A cada um, deixo o meu abraço fraterno

Saiba mais…
PRATA BABPEAPAZ

Carpe Diem

 

 

             Desde o primeiro momento em que te amei,

             Vivo a  beijar-te sempre, a todo instante.

              Não sei se teu corpo todo eu já beijei.

                    

              Tua boca sensual hei de beijá-la sempre

                 Se este prazer profundo e permanente

                     Teve começo ou terá fim, não sei.

Saiba mais…
PRATA BABPEAPAZ

Meu primeiro amor.

                    .

 

 

 

 

 Eramos pequenos, estávamos na escola,
no segundo ano primário. Em nossos
gestos inocentes, conversávamos lado a 
lado. E nos considerávamos namorados.

Numa segunda-feira veio uma notícia mortal,
Ele fora ferido, na pescaria dominical.
Cidade interiorana, não havia recursos médicos.
Na mesma semana ele morreu e eu vi 

o triste cortejo fúnebre passar,
mas meu coração de criança entristecido, 
estes mistérios silenciados não compreendia 
E guardava o segredo que só eu sabia

Saiba mais…
PRATA BABPEAPAZ

As crianças. (crônica)

  Quando observamos a ternura que transparece num olhar de criança, sentimos o que ali há de anjo, de pureza e de inocência.

 

Crianças sâo como pingos de luz que se refletem em meio á vida adulta.

Elas nos encantam, alegram, pulam e brincam. Correm, enternecem avós e tios, com o sorriso   inocente.

Fazem traquinagens, sobem em árvores, em janelas e escadas e até no telhado para pegar o passarinho!. Temos que estar sempre atentos.

 

A nós, adultos, pais, padrinhos, professores, tios e amigos, cabe-nos uma responsabilidade ética na condução destes pequenos seres. Na transmissão de valores e de conceitos.

A criança precisa ter estímulos positivos na formação do próprio caráter.

 

Se observamos que há desamor, intolerância e outras atitudes que nos descontentam, precisamos perguntar: - “ O que estamos fazendo para mudar”?

Vemos nos noticiários, diariamente, na sociedade mundial, adultos, jovens e crianças apelando para a violência mais cruel.

 

Carlos Bernardo González Pecotche, grande pedagogo e humanista, Criador da Ciência Logosófica, ensina que “a mente da criança é terra virgem e fértil”. Até a idade de 7 anos, tudo é assimilado. As sementes que aí caem florescem e crescem.  A criança também não é uma folha em branco, como dizia Rousseau. Ela traz em si uma herança gravada, que pode ou nâo ser positiva. Daí a importância de nossa observação e orientaçâo constante.

 

Na formação que nós adultos oferecemos à criança, certas atitudes firmes são essenciais. Enquanto os pais saem de casa para o trabalho, mentes inocentes ficam a ver todo o tipo de filmes e jogos com cenas de violência e impróprios para a idade.

 

 As crianças tem uma esperteza muito maior do que imaginamos. Desde muito cedo elas captam e compreendem muito do que escutam e do que se passa à sua volta.

Tenho um amigo que levou um grande susto. Chegou em casa do trabalho e ficou a ver um filme na TV., com o filhote de  2 anos ao seu lado brincando. Quando no filme surgiram tiroteios com mortes, o pequeno ficou de pé e disse:

-“traz um revolver, pai, que eu também quero matar”.

 

Naquele momento o pai saiu dali e passou a agir diferente.

Sob o ponto de vista tecnológico o homem já fez grandes conquistas, mas a respeito de si mesmo, de seu mundo mental, ainda não chegou lá. E Sócrates há dois mil anos já dizia: “Conhece-te a ti mesmo”.

 

Quando Arquimedes disse: - “Dá-me uma alavanca e com ela levantarei o mundo”, o sábio não quis referir-se à parte física e material, mas a este outro tipo de conhecimento que nós, seres humanos precisamos ter.

 

Não podemos apenas cobrar atitudes dos governos, quando a responsabilidade é de todos nós.

Temos  a Ciência Logosófica que ensina o ser humano em qualquer idade a superar-se através de um Processo de Evolução Consciente.

A Logosofia nâo tem fins lucrativos.

 

Há muitas pessoas empenhadas neste trabalho educativo nas Escolas Logosóficas, onde as crianças e os jovens sâo conduzidas ao “desenvolvimento pleno de suas aptidões físicas, mentais, morais e espirituais, formando as bases de uma nova humanidade mais consciente de sua responsabilidade frente à própria vida, á sociedade em que vive e ao mundo.”

    <
    Saiba mais…
    PRATA BABPEAPAZ

    Saudades do poeta louro

     

     

     

    “Procuro desenhos dentro das palavras –  Sonoros desenhos     

    Táteis/ Cheiros, desencantos e sombras...”  L. Bell

     

     Em dezembro fará dezoito anos que perdemos Lindolf Bell.

    Aos sessenta anos um aneurisma coroniano roubou-nos o carisma do poeta louro que  iluminou as ruas de São Paulo, conduziu seus versos às universidades, às camisetas, às fábricas, às ruas e viadutos.

     Como cita o cronista Sergio da Costa Ramos: - “Santa Catarina muito deve ao seu poeta louro, como ainda deve ao imortal poeta negro. Bell foi um competente marqueteiro de produtos poéticos, um humanístico mercador de palavras”.

     Lindolf Bell teve uma trajetória muito especial na poesia brasileira. Estreou no Viaduto do Chá, ao ar livre, em algumas universidades, tornando-se  conhecido em todo o Brasil. Depois recolheu-se à sua amada santa Catarina, aos vales queridos, em Blumenau e Timbó.

     “ O lugar da poesia é estar onde possa incomodar... onde possa intrometer-se no epitélio das pessoas”.

     Ninguém neste Brasil levou a poesia  a tantos e tão diversos  lugares.

     Para Sergio da Costa Ramos, “Bell foi um arcanjo da poesia, que declamou a vida a plenos pulmões. Reuniu no perfil  byroniano o alcance vocal de um tenor e o virtuosismo poético de um Drummond, um Bandeira, um Cruz e Sousa.’

     O poeta negro, gostava de declamar pelas ruas mansas de Florianópolis de tempos mais antigos: -“ Ah! Plangentes violões dormentes/Mornos soluços ao luar/Choros ao vento...”

     Santa Catarina foi berço e palco de dois dos maiores poetas da humanidade-

    O negro e o louro

    Saiba mais…
    PRATA BABPEAPAZ

    Flores para MARIA HELENA.

     

       

     

     

     

     En 2008 fué cuando la vi por ultima vez. Esperava encontrarnos más veces, pero en este año, no he podido ir a Barcelona, como lo querria.
    Maria Elena siempre fué para mi un nombre romántico y bello. Ella era argentina. Cuando el esposo falleció ella fué para Barcelona, vivir con la hija y yerno, también mis amigos.
    En el tiempo que estuve allá, vivimos con intensidad nuestra amistad, en nuestros paseos por la bella y encantadora ciudad, en sus alredores, playas y museos.
    Maria Elena fué alguien muy especial. Una charla tranquila, una mirada suave, una persona dulce y amiga, como lo eran la hija y el yerno.
    Siempre nos quedamos muy amigos, cuando encontramos alguien que tenga mucha afinidad, y jamás pensamos que puede ser el último encuentro.
    Charlávamos en el departamento de Barcelona, y también en la Playa de Lloret del Mar. Hablávamos de hijos, de países, de amigos, de la vida.
    Un tema de los favoritos era sobre las plantas, y tenia muchas plantas. Ofreci a ella un pié de Aloe Vera, y supe que crecia bien.
    Para cocinar, eran maestros. Maria Elena ayudava la hija en la cocina, y hacian comidas deliciosas. Nuestro querido amigo era el responsable por los vinos. Siempre que alguien venia de
    Barcelona para Florianopolis, ella nos mandava comidas deliciosas y muy especiales.
    Cuando supe de su enfermedad, nadie imaginaba que seria su final.
    Voy hablar del su perrito de estimación, "Whisky", que era siemnpre muy cariñado, y siempre salia con nosotros a pasear de coche.
    Al saber de la muerte de Maria Elena, senti mucho dolor en mi alma. Las afinidades hacen esto.
    Mismo con conocimiento de que la muerte no existe, que simplemente cambiamos de estado, es logico sentirmos "saudade" de las personas queridas.
    En la tarjeta de la ceremonia del velorio, hay un ensinamento que nos dejó emocionados:
    > “ NO MUERE LO QUE EM VERDAD
    > HABÍA DE INMORTAL
    > EN EL ALMA DAQUELLOS QUE
    > AL DESPRENDERSE DE SU ALMA FÍSICA,
    > PERMANECEM PRESENTES
    > EM EL RECUERDO DE TODOS”. (CARLOS BERNARDO GONZÁLEZ PECOTCHE).

    Saiba mais…
    PRATA BABPEAPAZ

    Silvia Mota

     

                                                            

     

     


    Em teus lindos versos,

    Palavras meigas, suaves e fortes

    Espalhas como pétalas macias

    Que perfumam e acariciam.


    Amor, Acalento,Ternura.
    Autora, Amiga admirada,
    Maga das palavras,
    Alma que enleva a poesia.

    Em tuas mãos e nobre coração

    As rimas, a métrica, a sensibilidade

    Acariciam a Paz, a Amizade e a Vida,

    Poemas em forma de doces canções.

     

     
     
    Saiba mais…
    PRATA BABPEAPAZ

    OBRIGADA, JOSÉ SARAMAGO

     

      

     José Saramago é um escritor digno de toda a consideração e respeito  pelas idéias e princípios que defendeu com tanta integridade.

     Foi o primeiro e até hoje o único  Nobel de Literatura da Língua Portuguesa, sempre engajado, imaginativo e sem medo da polêmica.

     “O escritor que apresentou a Língua Portuguesa ao Mundo, colocou nosso idioma no mapa-mundi da melhor literatura contemporânea.”

     Sua obra é magnífica, sobre ela foram escritas muitas teses. Ele reinventou a escrita saramágica, com seus parágrafos enormes e sem pontuação.

     Criou uma Blimunda que via a alma das pessoas; criou um Caim que, viajante no tempo do Velho Testamento, questiona a justiça de Deus e destrói o mundo matando toda a humanidade na Arca de Noé e assim se vingando por ter sido preterido.

    Criou Madalena que proferiu uma das frases mais teológicas de sua obra: “Ninguém na vida teve tantos pecados que mereça morrer duas vezes”. Com esta frase ela impede que Jesus ressuscite Lázaro.

    Redimiu Madalena consagrando-a como a discípula amada, transformou o Diabo numa espécie de terceiro homem da trindade, redimiu Judas.

     Eis o Saramago ateu declarado, mas apaixonado pela Bíblia e seus personagens. Para ele, Jesus Cristo era a chave para o humano e não para o divino.

     Sua crença maior chamava-se Homem. Filósofo e defensor do Antropocêntrico afirmava em um de seus romances:   “Que os homens são anjos nascidos sem asas, é o que há de mais bonito nascer sem asas e fazê-las crescer”.

     Seu maior prêmio foi o Nobel de Literatura em 1998. Ganhou também o Prêmio Camões, em 1995.

     Detentor de 120 prêmios, títulos e homenagens em mais de vinte países, é o escritor português mais traduzido em outros idiomas.

     Um desapontamento: a não indicação do seu romance O Evangelho Segundo JesusCristo  a um prêmio literário português. Setores  conservadores da igreja católica pressionaram e o governo não indicou o livro. Por conta deste fato se auto-exilou em Lanzarote.

     Sua maior crítica: o capitalismo.

    Seu maior desencanto: todas as esquerdas.

    Um momento romântico: o abraço em Pilar, no aeroporto quando voltava da premiação do Nobel.

     Para João Marques Lopes, autor português  do recém-lançado livro “Saramago: Biografia,”  Editora Leya Brasil, são três as principais características que marcam a ficção saramaguiana e destacam sua obra: “ A oralização da escrita, sua imaginação de reescrever a história do ponto de vista do povo anônimo e humilde e a construção de poderosas alegorias da realidade contemporânea, sobretudo, em Ensaio Sobre a Cegueira.”

     A vida de Saramago: Nasceu em 1922 em Azinhaga, aldeia do Ribatejo, família pobre, avós criadores de porcos, pais humildes, mãe faxineira e analfabeta. Seu estudo: Só até a Escola Técnica. Faleceu em 18 de junho de 2010 em Lanzarote, Canárias.

     

    Saramago, aos 76 anos de idade recebe o Premio Nobel das mãos do rei da Suécia,

    em Estocolmo, em 1998.

    Ao receber o Premio,  inicia seu discurso com uma homenagem ao avô, o camponês Jerônimo Melrinho, o que também pode ser visto como uma crítica à pompa das instituições literárias.

    “O homem mais sábio que já conheci em toda a minha vida não sabia ler nem escrever”.

    E passa a discorrer sobre memórias de sua infância, suas fontes de inspiração e formação, e sobre alguns de seus principais livros e personagens.

     

    Fazendo uso do espaço, da atenção e notoriedade conferidos pelo Prêmio Nobel, Saramago denuncia as injustiças sociais e defende com coração e alma as causas que abraça.

     

    Saramago não foi somente um escritor de Língua Portuguesa, ele foi escritor do mundo. Viveu e morreu dispensando todas as crenças. Não necessitou delas nem para a vida, nem para a doença, nem para a morte e foi feliz assim.

     

     

    REFERÊNCIAS:

     

    FERRAZ, Salma -  Artigo “O Ano da Morte de José Saramago”, escrito em 18 de junho

                                 de 2009. Autora do Dicionário de Personagens da Obra de Saramago                                

                                 e de As Faces de Deus na Obra de um Ateu.

     

    SARAMAGO, José

    ____________Caim; Ed. Caminho; dez/2009; Portugal.

    ___________  Ensayo Sobre La Ceguera, Edição. de 2009; Santillana         Ediciones                   

                              Generales S.L. Madrid, España

                             .

    ___________  Memorial do Convento; romance/ 35º ed., Bertrand Brasil, 2008; R. J.

    ___________  O Evangelho Segundo Jesus Cristo; 2005, S.P.; Ed. Companhia das

                             Letras.

    Saiba mais…
    PRATA BABPEAPAZ

    Missão do Poeta

     

     

    Missão do poeta



    Para compreendermos melhor o que é o poético será bom entendermos que a divisão da literatura em gêneros é apenas um expediente didático-classificatório. Não é o verso o único veiculador de poesia. O caráter poético pode amalgamar-se com o narrativo, o dramático, o épico, em qualquer forma ou estrutura literária.

    Literatura é comunicação. A arte literária objetiva a comunhão entre os seres humanos. E o desenvolvimento e aperfeiçoamento desta arte vamos adquirindo com o nosso esforço, o tempo, o estudo e a boa vontade.

    Já que poesia é comunicação, a missão do poeta é comunicar os próprios sentimentos e emoções e os apelos da razão e da sensibilidade. A própria maneira de ver e interpretar tudo o que está à sua volta, com dignidade e ética na busca de princípios de paz, de justiça, de bondade, de denúncia, de amor, para que por suas palavras possa refletir e levar alguém à reflexão.

    Pela palavra e pela união de princípios e valores surgem as idéias que podem melhorar o mundo à nossa volta.

    É por isto que escrevi sobre o poeta catarinense Lindolf Bell, falecido ainda jovem.
    E que em décadas passadas criou um movimento de declamar os próprios poemas em
    praças, teatros e vários lugares públicos. Lindolf fez isto no Brasil e exterior e o fazia com um grande entusiasmo.
    Saiba mais…
    PRATA BABPEAPAZ

    A Poesia

     

     

                              Poesia  

                    São  palavras, gestos,

                        Momentos e formas.

                               Avivam

                          os  sentimentos

                        que  te vão  na alma.

                          A dor e a alegria.

                        O amor e a maestria

                       de um instante  ímpar.

     

                                 São flashes,

                          Tua mente e teu coração

                        Fotografam e transferem

                                As idéias,

                                As paisagens,

                       As flores recebidas com amor

                        Naquele retorno de viagem.

                        

                         As pessoas,

                       Aquele prato especial.

                      Os aromas  sentidos,     

                      Os sonhos   vividos,

                      Angustias  existenciais.

                      

                          O ontem, o hoje, o agora.

                          É a vida em muitas nuances,

                          formas,   e  diversas realidades

                          que guardas no cofre de

                          teu coração a sete chaves.

                      

                        É dormir e sonhar,

                        É aquele teu jeito de amar!

                        Segredos,

                        Entregas.

                        A tradução

                  dos teus enigmas,

                   que carregas num canto da alma.

             

                  São   retratos

                  Enquadrados

                  Em molduras,

                  Ou palavras soltas

                  Na imensidão.

     

                    Poesia é som,

                    É dança, é espera,

                    É surpresa,

                    É lembrança,

                    É chegada.

    Saiba mais…
    PRATA BABPEAPAZ

    Poetrix - Ao Poeta

     

                                                          

     

                                          Ao Poeta.

                                    Solta teus sentimentos,

                                     Alivia tua dor,

                                     Escreve as angustias do amor!

     

                                         

                                  

     
     
    Saiba mais…