MUNDO CIGANO

 

Eis o desenrolar de um mundo encantador

Que atravessa séculos através das estradas

E deixa em seus rastros tradições vinculadas

À cultura de um povo de sabedoria e amor.

 

Universo em que abundância é a liberdade

Do ir e vir pelas veredas que marcam espaço

Em que a confraternização é sempre regaço

Que registra o câmbio de pura autenticidade.

 

Saias rodadas em colorido alegre e decente

É retrato das donzelas que dançam inocentes

Num rebolado astucioso do perfil feminino...

 

Colares multicores adornam belos pescoços,

Penteados que singram de magia os moços

Que enfeitiçados bebem na taça do aperitivo.

 

Indivíduos que sabem desvendar o destino

Pela leitura detalhada das linhas das mãos

Ou incorporando sapiência nas cartas do tarô...

 

Verdades absolutas não revelam desatinos

Ditadas pela alforria de jovens e de anciãos

Que espontâneos se dedicam a este labor.

 

Belos exemplares de uma raça que curte o sol

E se debruçam felizes sob os eclipses da lua...

Peregrinos da terra, vagueiam e se perpetuam

Indiferentes aos olhares atemporais do arrebol.

 

Marcha lenta... estalagens nos vales e campos,

Violões que sorriem melodias através do tempo,

Classe social desprotegida das leis e sem assento,

Mas que escreve sua história isenta de prantos!

 

 

 

De Ivan de Oliveira Melo 

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

This reply was deleted.