BRONZE BABPEAPAZ

TRIVIOLETRA (TC) & (TS): JUNINAS [concluído]

TRIVIOLETRA TC: JUNINAS

J ogos paixões // noivos // vestido branco camisa xadrez (4) 

U s mio mió doce! // chimarrão pinhão // festança quente prá durá (7)

N há moça de babado // baba de moça // pro gaiteiro arretado (2)

I nté que o dia amanheça // quero quentão // forró e quadrilha! (6)

N o arraiá em festa! // salto fogueira! // - vamu dançá!? (5)       

A mor quadrilha // FOGUEIRA PIPOCA // quentão união (1)

S anto António_Pedro_João // toca a banda // dança o povo (3)

Dione Fonseca - 1

Laís Müller - 2

João Pereira Furtado - 3

Antonio Domingos - 4

Chantal Fournet - 5, 7

Silvia Mota - 6


TRÍVIOLETRA TS: JUNINAS

A mor quadrilha // FOGUEIRA PIPOCA // quentão união (1)
N
há moça de babado // baba de moça // pro gaiteiro arretado (2)

S anto António_Pedro_João // toca a banda // dança o povo.(3)

J ogos paixões // noivos // vestido branco camisa xadrez (4)

N o arraiá em festa! // salto fogueira! // - vamu dançá!? (5)

I nté que o dia amanheça // quero quentão // forró e quadrilha! (6)    

U s mio mió doce! // chimarrão pinhão // festança quente prá durá (7)

3542331505?profile=original

3542331571?profile=original

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

    • DIAMANTE BABPEAPAZ

      Estimado Antonio,

      A valsa "Ondas do Danúbio", não me lembro de ter tocado.

      Recordo-me das valsas: "Danúbio Azul" e "Sobre as Ondas", adaptações de Mário Mascarenhas para os iniciantes no instrumento acordeon.

      Toquei muito essas valsas. Com o tempo, tornaram-se mais difíceis de executar, mas nada que não pudesse aprender corretamente no Conservatório Musical de Lorena, onde desenvolvi meus estudos musicais.

      Eu, "sanfoneira" (acordeonista)

      numa festa à caipira, em 1966 ou 1967.

      3544398736?profile=originalEm 1968, também, fui a "sanfoneira" da festa (por tal motivo vestida de homem).

      Na foto, com minha segunda professora particular de acordeon, Tia Nair,

      à época, ainda namorada do meu tio José Sílvio.

      3544398814?profile=originalTempos bons, esses...

      Beijosssssssssss

    • Expressivas recordações. Belas Fotos.

      Por gosto de minha mãe iniciei aos 10 anos (1962) o aprendizado de acordeão. Tenho um Baú com muitas fotos para digitalizar, mas foto com acordeão não devo ter. O livro inicial foi o do Mascarenhas, lembro-me "Minha Primeira Valsa" " Baratinha Tonta " e outras...As valsas "Sobre as Ondas" e "Danúbio Azul" é a mesma Valsa com dois títulos. Não sei o porquê ? Já Ondas do Danúbio é outra Valsa. Lembro-me : Minha Primeira Valsa" " Baratinha Tonta" "Noite Feliz""Ondas do Danúbio" "Danúbio Azul" e muitas outras ...Como dissestes a coisa ficou complicada, difícil, exigia muitas horas de treino, dedicação etc.., Interessante: Meu ouvido para música é quase Zero, mas aprendo por partitura.Isto foi uma das causas que me fez abandonar o acordeão e depois o violão.Era mais fácil compor uma música minha do que tocar uma do rádio(de ouvido).No violão compus umas 120 músicas,, já ganhei festivais estundantis de músicas com violão, agora perdidas no tempo.;Tive de trabalhar muito cedo e cedo tive filhos.

      Estou feliz em saber mais uma de suas habilidades, pessoa inteligente, de conhecimentos multifacetados , belo currículo e com certeza persistente em seus objetivos e metas.

      Abraços e felicidades felizes

      De seu amigo das letras

      antonio domingos

    • DIAMANTE BABPEAPAZ

      Estimado Antonio Domingos.

      "Sobre as Ondas" e "Danúbio Azul" são duas valsas diferentes.

      Seguem, abaixo.

      Danúbio Azul é a primeira das 7 valsas apresentadas:

      Sobre as Ondas:

    • BRONZE BABPEAPAZ

      Vem meu amor . vem por fasor  uma valsa que diz mamãe quer dançar co papai , cantávamos quando crianças

        Uma  Valsa que fala de flores que fala de amores....

      Lembrei agora parte da canção que cantavamos

    • DIAMANTE BABPEAPAZ

      120 músicas!!! Que legal, Antonio Domingos!!!

      Eu só compus UMA musiquinha, com uma letra que falava do primeiro amor. Foi um sucesso na minha pequenina cidade, pois todo mundo sabia do meu amor proibido. Papai era muito bravo! Numa festa do Dia das Mães, toquei-a ao acordeon, para acompanhar minha amiga Regina, que cantava muito bem. Todos os olhares dirigiram-se para o meu amado, que estava na plateia com outra namorada... kkkkkkkkkk... Eramos o casalzinho Romeu e Julieta de Piquete. Lindos, os dois!

      Feliz, porque nos conhecemos mais um pouco, meu amigo. Quantas afinidades, pelo mundo das artes!

    • BRONZE BABPEAPAZ

      Que romântico rssssssss a namorada deve ter ficado roxa rss

       b bjus e falando em música hora de eu ir conservatório Bjus 

    • Amiga,

      Estas vivencias da pré..  e adolescência jamais são esquecidas, eu não esqueço jamais. Tempos bons: Namoro proibido, encontros escondidos, matar aulas para namorar, jogar um futebol, para ir a praia...Enfim, cada de nós todos temos histórias, Por trás de cada membro aqui do Portal tem uma história passada; Vive uma história do presente, ás vezes triste , alegre. ,

      Como diz nossa amiga Laís ,Não resisti.. e escrevo....

      Eu carregava o violão para namorar de dia lá em Santa Cruz, ía de trem, ramal Central- Santa Cruz

      Lá tinha duas boas escolas públicas. O Princesa Isabel e o Barão do Rio Branco. Eu ficava com vergonha de carregar o violão e de namorar também, eu me achava feio e ela linda, mas passou com uma bela história Eu 16 anos ela 13 anos, Pais portugueses, duros na queda....

      grato pela atenção

      antonio

      Veja o vídeo pelo link que publiquei de uma das minhas primeiras músicas O Traçado. Na época esta bebida era um mistura de Quinado e Conhaque (nunca bebi esta mistura, mas um colega de esquina, papo e violão, bebia muito e tinha muitas dificuldades em ter uma namorada, além disso, era um perna de pau no futebol. Me inspirei neste colega para escrever a letra Traçado e depois pus uma música.

      Sabemos que a inspiração não tem limites ou fronteiras.

      Atualmente moro em Pindamonhangaba,Vale do Paraíba,um região de histórias fantásticas, Esou a 25 km de Aparecida do Norte, a 53 km de Lorena a 73 km de Piquete. Conheço muito bem Guaratinguetá  e um pouco de Lorena.

      Se subo a serram estou a cerca de 55 km de Campos do Jordão .Minhas filhas e Genros, quando aqui em Pinda, aproveitam uma noitada de inverno.

    • https://youtu.be/SPFnwoSS7bI

      Um Link  Uma surpresa pessoal

    • BRONZE BABPEAPAZ

      3544407091?profile=original

      uuuuaaaaauuuuuu!!!

      gostei de ouvir!!!

      PARABENS!!

    • Que bom amiga Chantal.

      Minha mãe cantava bem e muito e como tu sabes somos descendentes da Ilha da Madeira.

      Ela , Magdalena, cantava muitos fados ."Lisboa Antiga" ela cantava com sotaque. Saudades...de nossa pequena colônia portuguesa...Muitos já partiram e levaram certas tradições...

      Lisboa Antiga na voz de Amália Rodrigues ,uma dramaticidade singular e natural desta intérprete.

      https://youtu.be/v6P68KXeBy4

This reply was deleted.