Muito boa BABPEAPAZ

Ano IX. Tertúlia Poética nº 3

Edição nº 83 - 13 maio 2018

Tema: Dia das Mães

Classificação do evento: tertúlia poética, de caráter meramente participativo.

Tema: poemas, textos e imagens alusivos à data em epígrafe.

Tipologia poética: admitem-se todos os formatos poéticos.

Tipologia gráfica: arquivos jpeg e gifs, entre outros.

Número de publicações: cada autor apresentará quantas obras desejar.

Diploma de participação: todos os participantes receberão um diploma de participação.

Divulgação dos trabalhos apresentados: na ocorrência de participação significativa, será editada uma página com as publicações de todos os participantes.

Local para a publicação dos trabalhos: a participação se fará diretamente e apenas nos espaços reservados para os comentários. Não criar novas discussões no grupo. 

Criadora do Evento:

Sílvia M L Mota - Criadora do Portal PEAPAZ

Para publicar clique aqui

As postagens aparecerão nos próprios blogs dos autores

Poemas:

Alexandre Montalvan. Mãe

Antonio Domingos Ferreira Filho. Mãe Magdalena

Gustavo Antonio Drummond. Busca-se uma mãe

Isabel Cristina Silva Vargas. Minha amada mãe

JBCampos. Dom Amor

Kapardeli Eftichia. Μάνα μου εσύ 

Kapardeli Eftichia. Μhtepa

Kapardeli Eftichia. Mother

Kapardeli Eftichia. Mother

Kapardeli Eftichia. Sorry mother

Maria-José Chantal Fournet. Mãe

Miriam Inés Bocchio. Sin querer te imité

Nina Costa. Oração pelas mães

Paulo César. O olhar manso de minha mãe!

Sandra Leone. Mãe, saudades eternas

Sibylla Ignês Steuernage. A todas as mães

Sidnei Piedade. Mãe

Textos:

Nina Costa. Nascimento de Arabel

 Imagens:

Imelda

Livita

Margarida

Sílvia Mota

 Cumprimentos:

Vera Regina Cazaubon. Parabéns Mães

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

  • Poetisa e Escritora

    Dia das Mães

    Não é apenas neste dia que lembramos com muito amor da mulher amada que nos colocou no mundo.
    Todos os dias eu me recordo de minha mãe e sou-lhe grata por toda a proteção que me deu e por todas as coisas que fez por mim.
    Não há como não deslizarem lágrimas, quando a doce lembrança toca em nossos corações.
    Toda a mãe traz em si a chama do amor e da valentia para viver e para enfrentar os embates da vida.
    Minha mãe não está mais aqui fisicamente, e eu presto-lhe a minha gratidão por ter nascido daquela mulher forte, inteligente e leal que tanto amou a todos os filhos, familiares e demais pessoas que precisavam de ajuda, em muitas circunstâncias apresentadas pela vida.
    Conhece melhor a mãe, quem viveu mais tempo próxima a ela, em seus momentos de dor, de alegria, de solidariedade. Quando algum de seus filhos adoecia, ela passava a noite à cabeceira da cama, ora medindo a febre, ora ministrando o remédio que o haveria de curar. Cantava uma doce canção e, se preciso o embalava junto ao peito e contava histórias.
    E a renúncia, qual mãe não pratica para o bem de sua família? É uma potente virtude, que se pratica com a paciência, a tolerância e a prudência.
    São muitos os esforços para o bem de seu marido, de sua mãe, dos filhos, alunos e amigos.
    Busca a melhor escola para matricular os seus rebentos. A formação, os valores que ensina, ficam para toda a vida!
    Quem diz: -“! Minha mãe é um anjo”, o afirma com toda a certeza. O anjo que alimenta, protege, ensina e faz tudo o que pode para que seu filho cresça saudável e feliz.
    E, quando cresce e está na hora de “bater as asas,”quantas saudades e lágrimas ficam nos lugares onde conviveu, cresceu e plantou flores de variadas cores.
    A mãe, junto à janela, vê o filho partir, e chora de saudades olhando o infinito se descortinar distante.
    Corre ao álbum de fotos e são tantas as belas lembranças: -mãozinhas pintadas, pezinhos pintados, um rolinho de cabelos colados com durex. E aquela criança que tanto amou, não mais está alí, sob a sua proteção.
    E, fala baixinho:
    “-Segue de agora em diante o caminho da tua própria vida.
    . Leva contigo as sementes de bem e de amor que brotaram e cresceram em teu coração.”
    E o adolescente segue firme. De vez em quando larga sua mala no chão e joga muitos beijinhos.

This reply was deleted.