DIAMANTE BABPEAPAZ

 

3542125010?profile=original

 

Tertúlia Poética exclusiva para os membros da PEAPAZ

Tema: Dia do Poeta

Modalidade: Livre expressão

Participação: Livre

A publicação será realizada neste espaço,

nas caixas de comentário abaixo.

Período: 20/10/2011 a 23/10/2011

Sílvia Mota - Criadora da PEAPAZ


3542125033?profile=original


Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • PRATA BABPEAPAZ

    3542740178?profile=original

    porque és poeta, alcança infinitos espaços na ousadia do entendimento das mais acentuadas perspectivas...

    porque és poeta, ouve estrelas, mergulha em profundezas , acerta corações...  

    Tu és poeta quando teu corpo cala e na mudez de tudo, tua alma exala poesia!...

      

    Graça Campos,23/10/2011.

  • De poeta e louco...também quero um pouco

    Disseram-me
    Que tudo transformo em poesia
    Ledo engano de percepção
    Destino ou acaso
    A vida por abstração
    Faz-me entender
    Realidade ou ilusão
    O poema é mera absorção
    Da simplicidade que busco da vida
    Um acaso torna-se paixão
    Fantásticos elos em construção
    Falta-me o desembaraço
    Senso prático ou sedução
    Por vez...Me agito
    Sonho e alma fica leve
    Solitária não concebo ser
    Volta e meia, curva do caminho
    Vem dizer-me que as nuvens
    Não chegarão ao chão
    E eu,que  vá até elas
    Sopro o vento..olho as ondas do mar
    Minha mente e meus pés,
    Sentem a liberdade de pisar a terra
    Concentro momento por momento
    O sol surge, brilhante e silente
    Outra manhã a despertar-me
    Como é ruidoso o alvorecer
    A tarde cai, cansada do dia
    Busco a noite , calmaria!
    Escrevo versos, alcanço as nuvens
    Em pensamento..diga-se
    Meus pés nunca sairam do chão
    Alma de poeta...Sim!
    Razão dessa intensidade de ser
    Definida. Não acato o
    Meio termo saber viver.
  • 3542739773?profile=original                                      Imagem Google

     

    AVATAR DA POESIA!

    (Homenagem ao poeta virtual)

     

    Sou figurante do mundo poético virtual
    Na lógica interface maquina/ poesia
    Habito essa existência, mundo abissal
    O transformar palavras/versos em ousadia

    Nesse determinante voo, me sentido poeta
    Mesmo sem habilidade expressa literal
    Criando poema em inebriante cançoneta
    No mesclar desse universo real em potencial

    Construo meu mundo essencial
    Nesse recurso de completas possibilidades
    Em expressão/comunicação extracorporal

    Nessa fonte sensorial de tecnologia
    Transfigurando-me em deusa avatar
    Em artística anatomia,do cosmo poesia

    Lufague

  • DIAMANTE BABPEAPAZ
    3542739916?profile=original
    Poetas
    Na poesia não há superstição
    O poeta escreve à sua feição
    Seu mundo é de ilusão
    Quimeras loucas em profusão
     a pureza de um poema
    é como a luz de uma estrela
    que ilumina a terra inteira
    pura brilhante na sua esteira
    Irmana-se no regozijo e no amor
    poeta não inventa mas alimenta
    Abriga os cânticos do mar
    Recolhe o seu lamentar
    As suas fúrias de vociferar
    Escuta os frémitos da terra
    Recolhe a consonância das serranias
    Transforma alegorias fadas e devaneios
    junta as ruínas do nada
    e entrelaça o seu poema
    com a voz de uma princesa magoada
    Pranteando as dores de ser mal fadada
    E de seu amor que tanto tarda
    de tta
  • DIAMANTE BABPEAPAZ

     

    3542739493?profile=original

  • PRATA BABPEAPAZ
    3542739244?profile=original
  • Enquanto o poeta dorme - Um duo...

     

    As palavras cruzam-se num ato de amor
    E os leitores se aquecem
    Os pensamentos florescem...
    As letras se roçam
    As vogais se coçam...

    Os acentos sopram
    As consoantes se espreitam...
    As cedilhas deitam
    As vírgulas ferem
    Os pontos finais fogem...

    E os tremas sobem
    O vocabulário se esconde...
    O verbo logo age
    O sujeito aparece...
    O parágrafo resplandece

    O objeto se perde...
    Entre o direto e o indiretamente passado
    O dicionário é aberto
    Para ver o mais que perfeito instalado
    Mas o pretérito se explode!

    E os adjetivos vibram!
    Os subjetivos exageram
    As interjeições promovem comoções
    Na curiosidade das interrogações
    Os pronomes dançam... Entre eu e você...

    Os predicados são sacados
    Os artigos ficam indefinidos
    O presente e o futuro se confortam
    As preposições arrasam...
    E as silabas são seqüestradas...

    Os sufixos ficam fixos
    Enquanto os poemas dormem
    Nos braços dos radicais
    As reticências se insinuam
    As conjunções não conjuminam
    E os versos não terminam...

    Porque brigam com as metáforas
    E se assanham com as parábolas
    Que insistem em fazer bagunça...
    No namoro do prólogo ao epílogo
    Tudo se enrola
    A tese transa com a antítese
    E nasce a síntese...

    Então fica o dito pelo não dito...
    E assim escrevemos mais um dueto
    Ou será um soneto... Meio canhoto
    Vai ver que é mesmo destro
    Sem o respirar do ponto e vírgula
    Ou o chapéu do circunflexo.

    Estamos perplexos!

    Mas será o Benedito?

    Duo: Enise & Hilde

    Veja o poema em vídeo

    Enquanto o poeta dorme - Um duo...

    https://www.youtube.com/watch?v=Dq0-y_0IMqo

  • DIAMANTE BABPEAPAZ
    3542738897?profile=original

    3542739089?profile=original

    Camaleoa

    - Converto tudo em poesia-
    das lágrimas vertidas ou juguladas,

    aos sonhos sonhados ou prometidos;

    dos sorrisos nascidos ou pensados,

    aos desejos expressos ou refreados...


    - Converto tudo em poesia -

    mal-fazer em bel-prazer,

    mal-me-quer em bem-me-quer...


    - Converto tudo em poesia -

    eu em ti

    ou tu em mim.


    3542739017?profile=original
    Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz
    Rio de Janeiro, 29 de março de 2009 – 4h50 – madrugada

  • NAVEGANDO AMOR

     

    Quando fecho os olhos...
    Sonho pousar às suas mãos.
    Beijar de leve a sua face.
    Escorregar meus lábios...
    Nos seus... Grudá-los!

    Estar num intenso abraço.
    Corpos juntinhos cobertos...
    Aquecidos de ternuras.
    Pele na pele. Canduras.

    Nossas almas vão querendo...
    Ver o amor acontecendo.
    Os nossos dedos explorando...
    Caminhos. Curvas. Buscando.

    Respiração ofegante. Volúpias.
    Beijos molhados. Línguas...
    Languidas... Dormentes.
    Numa sede delirante.

    O perfume... O cheiro...
    Num frenesi ardente.
    Bocas se procurando.
    Carícias esparramando.

    Corações acelerados...
    Batimentos eletrizados.
    Ritmo descontrolado.
    Dois seres apaixonados.

    O mundo parece até que parou...
    Para ver e sentir a esse amor.
    Tudo tão divino e maravilhoso.
    Lúdico, profundo e gostoso...

    A realização dos desejos.
    Na modelagem de anseios...
    Desenhada pelos deuses.
    Numa explosão de prazeres.

    No vai e vem o tempo voa...
    O sangue trafega nas veias.
    Preparam juntos a ceia.
    Onde os dois... Serão... Um.

    Hildebrando Menezes
    Veja o poema em vídeo: NAVEGANDO AMOR
    https://www.youtube.com/watch?v=qSU_k0MJaRc&feature=channel_page

This reply was deleted.

Página de Comentários

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

  • DIAMANTE BABPEAPAZ
    Belos momentos, em que a inspiração dos peapazianos transbordava em nossas páginas. Recuperaremos aquele enlevo no Portal BABPEAPAZ.
This reply was deleted.