DIAMANTE BABPEAPAZ

Texto Humanístico

Texto Humanístico
Sílvia M L Mota

Origem e significado do termo

O vocábulo humanismo deriva do latim humanus, que significa humano. Por tal disposição, sugere o saber que se refere ao ser humano, ao seu conhecimento e desenvolvimento, tanto no plano individual quanto social.

São palavras de Jostein, na obra O livro das religiões: “Podemos definir brevemente um humanista como alguém cuja visão do mundo confere grande importância aos seres humanos, à vida e ao valor do ser humano. O Humanismo realça a liberdade do indivíduo, a razão, as oportunidades e os direitos."

Filosoficamente, encontram-se no humanismo diversos valores, como o antropocentrismo (relaciona-se tudo ao ser humano), a valorização da razão, o pacifismo e o otimismo (no sentido de ter fé nas ações humanas).

Movimento Humanista

O Movimento Humanista, hoje em voga, é a manifestação prática do ideal de humanizar a Terra e o anseio de dirigir-se para uma Comunidade Humana Universal. Ainda que neste momento pareça utópico, cultiva-se o germe de nova cultura decorrente de uma civilização que se preocupa/adapta a valores mínimos universais. Civilização que antevê encruzilhada difícil, diante da qual não ousará estancar os passos, que permitirão ao indivíduo desfrutar da própria liberdade. Ao admitir e valorizar as diversidades que permitem ao ser humano ostentar a dignidade que merece pelo mero fato de nascer, concretizar-se-á a igualdade de direitos e de análogas oportunidades.

Campo de estudo

O estudo dos temas humanísticos insere-se no campo das Ciências Humanas e as informações transmitidas dialogam com várias disciplinas, entre essas:

Filosofia: discorre sobre as reflexões humanas
Sociologia: estuda o ser humano quando inserido no corpo social
Psicologia: estuda a mente humana
Semiologia: ciência da comunicação
Passado Histórico/Cultural: História, Arte e Literatura

Classificação

Conquanto difícil uma classificação, assinalam-se os textos humanísticos da forma abaixo consignada:

a) por tema: literários, filosóficos, sociológicos e históricos;
b) pela entonação empregada pelo autor: culto, coloquial, informativo, irônico, lírico, satírico, entre outros;
c) pela atitude do autor: críticos e analíticos.

Visão literária

O tipo de texto mais utilizado na exposição das disciplinas humanísticas, qualquer que seja a temática em foco, é o ensaio que, a partir dos Essais de Montaigne, publicados em 1580, desenvolveu-se até alcançar a forma habitual de expressão do pensamento intelectual do século XXI.

Hodiernamente, o texto humanístico é breve e combina a prosa literária com a investigativa, o que lhe oferece caráter didático e de análise ou crítica de uma determinada realidade. Sua principal característica é a originalidade, por divulgar descobertas, invenções e conclusões de diferentes modalidades.

O texto humanístico supõe reflexão aberta e livre a respeito dos mais distintos temas, no intento de oferecer sugestões sobre algum aspecto concreto do tema-base. O escritor oferece uma visão pessoal (subjetiva) do objeto em estudo e para alcançá-la utiliza todos os procedimentos que o uso da palavra escrita põe ao seu alcance (classificação anterior). O discurso dominante é a exposição escoltada por argumentação consistente e rica. O desenvolvimento do tema deve ser dedutivo ou analisante (do geral para o particular) e sua estrutura global realiza-se em parágrafos, que seguem o esquema básico: análise, argumentos e conclusão. Salienta-se, que o ensaio permite certa liberdade estrutural, sendo frequentes as digressões (inclusão de temas alheios ao central), citações, anedotas, impressões pessoais, enfim, uma liberdade estrutural decorrente da sua condição de reflexão livre e aberta.


Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz
Rio de Janeiro, 26 de setembro de 2011 – 11h21
Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

This reply was deleted.