DIAMANTE BABPEAPAZ

O que é um Poetrix?

O que é um POETRIX?

Sílvia Mota

 

No dia 9 de janeiro de 2010, às 15h16min, em um dos meus blogs, Goulart Gomes (o Pai do Poetrix), postou um comentário, agradecendo-me o texto abaixo. À época, ofereceu-me um poetrix. 

Goulart Gomes disse...

Muito grato pelo texto, Sílvia. Um poetrix para você: 

consulesa

se és causa e efeito
não me importo
eu sou o meio 

No dia 6 de março recebi outro e-mail do referido autor, convidando-me para participar da Antologia Poetrix 4 Terra. Tive a felicidade de ver nove Poetrix selecionados para a referida obra, que será lançada na Bienal em São Paulo - 2010. 

**************** 

O POETRIX é modalidade de poesia minimalista criada por Goulart Gomes, nascido em Salvador da Bahia, em 1 de maio de 1965. O autor obteve 65 prêmios em concursos de poesia, prosa e festivais de música e participou de 48 coletâneas publicadas no Brasil, Cuba, Espanha, USA, Itália, França e Coréia do Sul, possuindo trabalhos divulgados em diversos países. Atualmente é o Coordenador Geral do Movimento Internacional Poetrix. Como editor alternativo propiciou a publicação de 53 livros e coletâneas de novos autores. 

Muitas pessoas criam uma frase ou um provérbio, separam-nos em três linhas e pensam ter criado um POETRIX. Não é assim... O POETRIX requer um talento específico, pois como poesia em síntese carrega, em poucas sílabas poéticas, um enredo “por inteiro”. Abrilhantado por ricas metáforas, expõe um fato social, uma história de amor ou desamor, um sonho ou pesadelo, uma ilusão ou desilusão, entre outros. O poder do título carrega a essência dos versos, aos quais se proíbem as orações coordenadas, as conjunções adversativas e as rimas forçadas. O pensamento que subjaz implícito nos versos do POETRIX, expõe mais do que o explícito.

 

Cognominado "poeminha da Internet" o POETRIX acompanha as características do mundo virtual, onde tudo é muito rápido, dinâmico, objetivo, conciso e fugaz. Mas, nem por isso, deve ser “abortado” e considerado inferior às demais modalidades poéticas. Ao contrário, faz-se mister conceber e parir o POETRIX, da mesma forma que ocorre com as demais criações poéticas. O processo criativo requer: inspiração, dom, competência e hábil individualidade, aliados a um exercício contínuo, sem o qual tudo se queda a uma mesmice modorrenta e embolorada. O POETRIX precisa de tudo isso e nada mais do que isso. Salienta-se, contudo: é muito mais fácil errar em 3 linhas do que em 300, 3.000 ou 30.000. Notam-se erros crassos, persistentemente. 

Para explicar o POETRIX em POETRIX criei, em 11 de março de 2009:

terceto em conceito

momento poético
em síntese e ápice:
poetrix 

 ****************

POETRIX vem, POETRIX vai, criaram-se a partir do grupo virtual POETRIX (literatrix-subscribe@yahoogrupos.com.br), variações para o novel estilo, denominadas de “Formas Múltiplas do Poetrix”. Entre essas, surgem os duplix, triplix, multiplix (criações coletivas estruturadas por dois ou mais poetrix, de acordo com as palavras que lhes deram origem), clonix (gerado a partir de outro), graftix (ilustrado), concretix (concreto) e cirandas (séries temáticas). 

No plural, a palavra POETRIX não se altera e os praticantes do estilo são chamados de POETRIXTAS. 

Não se pode olvidar: POETRIX não é HAIKAI. 

A seguir, a evolução do POETRIX, de acordo com o Movimento Poetrix. 

INICIALMENTE, o MANIFESTO DO POETRIX foi concebido da seguinte forma: 

  1. No POETRIX, o título é desejável, mas não exigível. Ele exerceria uma função de complementaridade ao texto, Definindo-o ou sendo por ele definido (depois, o título passaria a ser uma exigência).
  2. Não existe rigor quanto ao número de sílabas, métrica ou rimas no POETRIX, mas o uso do ritmo e da similaridade sonora das palavras, sim (depois, foi estabelecido o limite de 30 sílabas métricas).
  3. O uso de metáforas e outras figuras de linguagem são uma constante no POETRIX, assim como a criação de neologismos.
  4. A interação autor/leitor deve ser provocada através da subliminaridade do POETRIX.
  5. O POETRIX é necessariamente uma arte minimalista, ou seja, procura transmitir a mais completa mensagem com o menor número de palavras.
  6. O POETRIX considera Passado, Presente e Futuro numa só dimensão: TEMPO, podendo ser utilizado indistintamente.
  7. No POETRIX o observador (autor), as personagens e o fato observado podem interagir, criando condições suprarreais ou ilógicas ("non sense").

POSTERIORMENTE, algumas regras para a realização do POETRIX sofreram mudanças e criou-se a BULA POETRIX.

 ****************

BULA POETRIX

 

O hai-kai é uma pérola; o poetrix é uma pílula.

Goulart Gomes

 

Em 2009 o POETRIX completa 10 anos de criação. Nesse período ele obteve uma significativa propagação no Brasil, Portugal e em outros países de língua latina. 

Com o objetivo de melhor defini-lo, estabelecendo critérios quanto à sua forma e conteúdo que possam orientar mais precisamente os seus autores - os poetrixtas – a Coordenação Geral do Movimento Internacional Poetrix (MIP) divulga, agora, esta BULA POETRIX, conjunto de orientações para o aperfeiçoamento e uniformização desse gênero literário. 

1 POETRIX – Informações Técnicas 

CONCEITO 

Poetrix (s.m.): poema com um máximo de trinta sílabas métricas, distribuídas em apenas uma estrofe, com três versos (terceto) e título. 

FORMAS MÚLTIPLAS 

São criadas em contextos comunicativos e constituídas como derivações do POETRIX; sua elaboração tem como características básicas o dialogismo, a intertextualidade e a polissemia da linguagem. Identificadas e reconhecidas pelo MIP como Duplix, Triplix e Multiplix são mesclagens de dois ou mais poetrix que se compõem com a participação obrigatória de variados autores e com suas poéticas formando sentidos complementares entre si (individualidade-interação-universalidade). 

2 CARACTERÍSTICAS DO POETRIX 

2.1 O poetrix é minimalista, ou seja, procura transmitir a mais completa mensagem em um menor número possível de palavras e sílabas.

2.2 O título é indispensável. Ele complementa e dá significado ao texto. Por não entrar na contagem de sílabas, permite diversas possibilidades ao autor.

2.3 Não existe rigor quanto à métrica ou rimas, mas o ritmo e a exploração da sonoridade das sílabas é desejável.

2.4 Metáforas e outras figuras de linguagem, assim como neologismos, devem ser elementos constitutivos do poetrix.

2.5 É essencial que haja uma interação autor/leitor provocada por mensagens subliminares ou lacunas textuais.

2.6 Os tempos verbais – pretérito, presente e futuro - podem ser utilizados indistintamente.

2.7 O autor, as personagens e o fato observado podem interagir criando, inclusive, condições supra-reais, cômicas ou ilógicas (nonsense).

2.8 O poetrix deve promover a multiplicidade de sentidos e/ou emoções, não se atendo necessariamente a um único significado. 

3 COMPOSIÇÃO 

O POETRIX deve ser composto por ao menos um dos seguintes elementos, inspirados nas Seis Propostas para o Próximo Milênio, de Ítalo Calvino: 

3.1 CONCISÃO: o mínimo é o máximo. O importante é dizer muito, falando pouco. O poetrix é uma pílula, que tem seu propósito determinado; é um projétil em direção ao alvo;

3.2 SALTO: é a metamorfose da ideia inicial, provocada no segundo ou terceiro verso da estrofe, acrescida de outros significados, permitindo uma nova perspectiva de compreensão do poetrix;

3.3 SUSTO: é o elemento inusitado e imprevisível que provoca surpresa ao leitor; é a fuga do lugar-comum, da obviedade, que desconstrói e amplia horizontes, mostrando outros caminhos, possibilidades, contextos;

3.4 SEMÂNTICA: exploração da polissemia de determinadas palavras ou expressões, permitindo a possibilidade de variadas leituras ou interpretações;

3.5 LEVEZA: jeito multifacetado de utilização da linguagem. Nesse sentido, o uso de imagens sutis deve trazer leveza, precisão e determinação ao poetrix e, com isso, provocar, no leitor, a abertura de renovadas construções mentais impregnadas de imprecisões e indeterminações, de novas possibilidades de interpretar a realidade, de desanuviar a opacidade do mundo.

3.6 RAPIDEZ: máxima concentração da poesia e do pensamento; agilidade, mobilidade, desenvoltura; busca da frase em que todos os elementos sejam insubstituíveis, do encontro de sons e conceitos que sejam os mais eficazes e densos de significado;

3.7 EXATIDÃO: busca de uma linguagem que seja a mais precisa possível como léxico e em sua capacidade de traduzir as nuanças do pensamento e da imaginação;

3.8 VISIBILIDADE: qualidade de expressar e pensar imagens, colocando visões em foco; reflexo da qualidade imagética do poetrix, em cor, sombra, contorno e perspectiva; é o substantivar da poesia;

3.9 MULTIPLICIDADE: expressão da pluralidade de possibilidades intertextuais e polissêmicas, provocando interações e criando novas formas;

3.10CONSISTÊNCIA: através da fuga das obviedades, dos lugares-comuns, buscando expressar-se de forma original. O poetrix rompe, naturalmente, com antigos esquemas simplificantes e reducionistas e investe num sistema complexo, cujas categorias são opostas à simplicidade: a complexidade, a desordem e a caoticidade, próprias de sistemas não-lineares, capazes de realizar trocas com o meio envolvente. 

4 INDICAÇÕES: 

4.1 EXPLORAR O PODER DO TÍTULO,. para o qual não há limite de sílabas. Uma das grandes vantagens do poetrix é a existência do título, que habitualmente não existe no hai-kai . 

4.2 MINIMALIZAR. Eliminar todas as palavras que estão sobrando. Escrever um poetrix é lapidar um diamante. Raramente um texto está pronto em sua primeira versão. É necessário, sempre, aprimorá-lo. 

4.3 PESQUISAR. Uma idéia original pode ser enriquecida com informações complementares, ampliando-a em conteúdo e significado. 

4.4 UTILIZAR FIGURAS DE LINGUAGEM. Em todas as formas poéticas, o uso de figuras de linguagem, metáforas, tropos e imagens enriquecem bastante o texto. 

4.5 PERMITIR QUE O NÃO-DITO FALE. Evite menosprezar a inteligência e a perspicácia do leitor. O poetrix deve instigá-lo a buscar significados nas entrelinhas, a descobrir outros contextos e sentidos. 

5 CONTRA-INDICAÇÕES: 

5.1 EVITAR AS ORAÇÕES COORDENADAS. Um poetrix não é uma frase fragmentada em três partes. 

5.2 NÃO CONFUNDIR POETRIX COM HAI-KAI. Para isso, é importante conhecer, também, os fundamentos do hai-kai, que tem suas próprias características. 

5.3 CONJUNÇÕES EMPOBRECEM O POETRIX: mas, contudo, porém, todavia, não obstante, entretanto, no entanto, pois, geralmente não servem para nada em um poetrix, podendo ser eliminadas sem prejudicar o texto. 

5.4 NÃO FORÇAR RIMAS. Poetrix não é trova. Às vezes pode-se dispensar completamente uma rima utilizando-se bem o ritmo, a sonoridade e a riqueza semântica das palavras. 

5.5 POETRIX NÃO É PROVÉRBIO, MUITO MENOS DEFINIÇÃO. Muito menos, frase de parachoque de caminhão. 

Coordenação Geral do Movimento Internacional Poetrix

Brasil, Janeiro de 2009 

Versão 1.2 - Janeiro/2010 

(Participe do Grupo Virtual Poetrix enviando um e-mail para: poetrix-subscribe@yahoogrupos.com.br) 

Outros contatos: movimentopoetrix@hotmail.com

Movimento Poetrix 

****************

Sites relevantes sobre o POETRIX:

Site de Goulart Gomes: http://www.goulartgomes.com

Site do Movimento Poetrix: http://www.movimentopoetrix.com ;

****************

 

No mais, ADORO escrever e ler POETRIX.

Gosto tanto, que o nome do meu Rottweiler é Poetrix! rs

 

Sílvia Mota A Poeta e Escritora do Amor e da Paz

Rio de Janeiro, 16 de julho de 2009 – 12h25

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    COMENTÁRIO DE JORGE CORTÁS SADER FILHO EM 26 OUTUBRO 2011 AT 10:29
    Sílvia, quer saber? Não sou dado a frescuras e bajulações. Seus poetrix são superiores aos de Goulart Gomes.
    Beijos.

    RESPOSTA DE SÍLVIA MOTA EM 26 NOVEMBRO 2011 AT 17:30
    Releio-te, querido Jorge. O perigo é que sempre levo muito a sério teus comentários... kkkkkk
    Beijosssssssssss

    RESPOSTA DE SÍLVIA MOTA EM 26 OUTUBRO 2011 AT 10:55
    Eita! Que elogio é esse, Jorge! Palavras de amigo são quase sempre exageradas... (risos) Agradeço-te, querido menino. Beijossssssssssss

    RESPOSTA DE JORGE CORTÁS SADER FILHO:
    Sílvia, quer saber? Não sou dado a frescuras e bajulações. Seus poetrix são superiores aos de Goulart Gomes.
    Beijos.

    COMENTÁRIO DE MARCO BASTOS EM 26 OUTUBRO 2011 AT 12:55
    Obrigado, Sílvia.
    E lendo Jorge, vou procurar observar melhor os poetrix do Goulart Gomes. rs.
    Eu também te considero uma ótima poetrixta. Goulart que se cuide. rsrs. - uma das discussões que tivemos foi a respeito de que os poetrix também têm sexo - os poetrix da mulher são mais doces e menos incisivos/assertivos, É aquela coisa de ela passar e o perfume ficar no ar. rs. e isso no poetrix é muito bom. Uma das diferenças que observo entre os estilos, é que você trabalha mais com os "grafismos", com as dissociações e rupturas das palavras, com neologismos, fazendo com que o leitor procure as associações das idéias. Goulart consegue o "susto" que provém do entre-choque das idéias através das figuras de estilo - mostra aquilo que não é usual se ver de uma forma muito simples. Ainda bem que a linguagem do poetrix comporta variedade de estilos.
    beijos.
    Marco.

    RESPOSTA DE SÍLVIA MOTA EM 26 NOVEMBRO 2011 AT 17:28
    Releio, releio e releio... Adoro "ouvir-te" sobre as minhas composições... risos
    Beijossssssssssssss

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    COMENTÁRIO DE MARCO BASTOS EM 26 OUTUBRO 2011 AT 0:33

    Para termos um panorama atual, complemento as informações de Sílvia Mota com esse texto de Goulart Gomes sobre as formas múltiplas do POETRIX, conforme se encontram na presente data. (documento recebido por email e divulgado no Facebook em 12/10/2011).

    Quanto aos LETRIX a história de sua criação, em 2006, é essa: http://www.recantodasletras.com.br/teorialiteraria/156107

    Como os amigos podem observar, o processo em que foram criados é muito semelhante às "brincadeiras" que fazemos na Peapaz, no grupo Soletrix. Dada a intimidade que temos, aguardo apenas que o meu salsichinha escreva o seu primeiro letrix para que seu nome PINGO seja trocado para LETRIX. rs. E brincadeiras à parte, é bom que se pense em não deixar que o desânimo tome conta de nossas intuições quando percebemos que algo de belo e bom pode ser criado, em que pesem as vozes da inércia e da ortodoxia levantando suas barreiras. A vida vale a pena quando se renova e cria. A irreverência e a alegria são fatores que fortalecem a criatividade e o prazer que se encontra nisso é muito grande. O que de novo encontrei no MIP - Movimento Internacional Poetrix nos mais de três anos em que por lá escrevi, foi esse ímpeto na direção da inovação e da criação. Aqui na Peapaz sinto que algumas vozes já se levantam buscando trilhar tais caminhos e elas são altamente valiosas e necessárias. 

    FORMAS MÚLTIPLAS DO POETRIX

    Por Goulart Gomes em POETRIX ·  Editar documento

    Em complemento à BULA POETRIX, estamos apresentando as definições das Formas Múltiplas, reconhecidas pela Coordenação do Movimento Internacional Poetrix. Exemplos das mesmas podem ser encontrados neste site ou em www.www.recantodasletras.com.br. 

    Poetrix (s.m.): poema com um máximo de trinta sílabas métricas, distribuídas em apenas uma estrofe, com três versos (terceto) e título. Criador: Goulart Gomes. 

    Duplix (s.m.): poema composto pela junção de dois poetrix de autores diferentes, em que o título e os versos se complementam, originando uma nova composição. Criadores: Pedro Cardoso e Tê Soares. 

    Triplix (s.m.): poema composto pela junção de três poetrix, de pelo menos dois autores diferentes, em que o título e os versos se complementam, originando uma nova composição. Criadores: Pedro Cardoso e Tê Soares. 

    Multiplix (s.m.): poema composto pela junção de quatro ou mais poetrix, de pelo menos dois autores diferentes, em que o título e os versos se complementam, originando uma nova composição. Criadores: Sávio Drummond, Sara Fazib, Pedro Cardoso e Fausto Valle. 

    Grafitrix (s.m.): poetrix graficamente ilustrado, seja com uso de uma fotografia ou desenho que se harmonize com o poema. Criador: Murillo Falangola. 

    Videotrix (s.m.): poetrix apresentado com a utilização de recursos audiovisuais de animação. Criador: Murillo Falangola. 

    Clonix (s.m.): poetrix criado a partir de um original, com a devida permissão do seu autor, onde é substituída uma ou mais palavras ou pontuação, proporcionando uma nova leitura. Criadores: Goulart Gomes e Nathan de Castro. 

    Letrix (s.m.): poetrix em que o título - de até sete letras - é disposto no sentido vertical e as estrofes horizontais - de no máximo dezessete sílabas cada - contém em cada linha um terceto com os versos separados por //. Podem ser poemas individuais, compartilhados, múltiplos com acróstico, (quanto à autoria); simples e plenos, duplixados, triplixados, etc (quanto à forma). Criadores: Pedro Cardoso Machado, Patrícia Essinger, Rejane (Mel) Britto, Marco Bastos e Sandra Mamede. Estruturação, sistematização e nome Letrix: Marco Bastos. 

    Palavratrix (s.m.): poetrix constituído por uma única palavra, segmentada em três versos, de forma a produzir uma nova interpretação da mesma, sendo complementada pelo título. Criador: Pedro Cardoso. 

    Acrostrix (s.m.): poetrix em que as primeiras letras das três estrofes formam uma palavra. É um acróstico em poetrix.  

    Tautotrix (s.m.): poetrix em que todas as palavras começam com uma mesma letra. Tautograma em forma de poetrix. Criador: Carlos Fiore. 

    Concretrix (s.m.): poetrix composto por caracteres gráficos, à excessão do título. Criador: Pedro Cardoso. 

This reply was deleted.