DIAMANTE BABPEAPAZ

Maldição do Amor

Maldição do Amor

Na madrugada insone, o som do teu desejo
perfura o meu sentido e o vil silêncio arrosta...
Há coração que pulsa em tom de realejo
e um sonho adormecido ausculta sem resposta.

Na madrugada insone, a fruta do pecado
colore de fulgor o apaixonado verso...
Há beijo sem saliva e um nada bem-amado
que abraça sem aperto e em mim se faz perverso.

Procuro em fantasia o Amor que é negado
e aspiro no teu cheiro o canto da saudade,
que rasga o peito livre aos poucos enjaulado.

Trafego embevecida esse impreciso rumo
e em pétalas de orvalho ungidas na verdade,
sou flor e sem perfume a solitude assumo.

Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz
Piquete, 6 de junho de 2019 – 4h17

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas