Muito bom BABPEAPAZ

Cadê us sanfonero?

Cadê us sanfonero?

Mirs ami dechi arraiá,
tô pordimais apreocupada
cum sanfonero quinda num chegô.
Num sei pruquê Marcu Bastão
aconvidô arguém dos cafundó dos Juda!
O home siiscondim Jisgifora,
cidadi pertin du Ridijanero.
Por vidasdúrvida me vesti di home
e pindurei a sanfona nus ombro
caudisquê vô i entrá no lugá do cabra.
Esse trem pesado me dói na cacunda,
mais dechá eche mondigente cum cara de coió,
jururú, a chorá as pitanga
por farta de sanfoneiro, é pecado!
Bamo evita bafafá.
De home fico um tanto amulherado,
por causa dos quadrir avantajado.
Mir tia aqui do lado
adebochô de mir, fidumaégua!
Qui fazê, se dóro a marvada?
É mir tia perferida desdi minina.
Ocêis ispia direitim prá me falá
se dá prá enganá os povo...

Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

This reply was deleted.