DIAMANTE BABPEAPAZ

Na roça a dôdiamô desce ao gargalo

Na roça a dôdiamô desce ao gargalo

Falá de dôdiamô, machuca mais,
num dá pra mentir não – doidera só,
doído doido, aqui e alí... demais!
Prá mim o chororô é rococó,
qui nem sombrero grande apara tais.
Viola canta braba qui nem galo
atráis das fêmea, geme-geme o falo.
Vacina aqui num dá – devorve ao cais,
qui vá curar prá longe dos meus ais.
NA ROÇA A DÔDIAMÔ DESCE AO GARGALO.

Rio de Janeiro, 2013

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas