NOITES SEM FIM

Noitessemfim.jpg

NOITES SEM FIM

 

Nas noites que emergiam sem fim

no alarido da tua voz em meu coração

havia uma dor que doía sentida em mim

sem tuas mãos de carícias e paixão!

 

Eram noites escuras sem o carmesim

dos beijos desbotados do verão

nas noites que emergiam sem fim

no alarido da tua voz no meu coração!

 

Triste nostalgia apunhalou-me enfim

em delírios disfarçados de tentação

em nossas mãos de anjo querubim

querendo–nos enlaçados em sedução

nas noites que emergiam sem fim!


Vilma Piva

 

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

This reply was deleted.