Regras para participação, na página de abertura do grupo.

Idealizador e Administrador do Grupo: Paulo César.

37 Members
Join Us!

ORIENTAÇÕES

REGULAMENTO DO GRUPO “RÉPLICAS POÉTICAS”

1.   Definição das características de “Réplicas Poéticas”

§.  Para maior facilidade de entendimento do que aqui se define, esclarece-se que:

a). Replicado – É o autor e o texto publicado em primeiro lugar e que tenha servido de inspiração ao replicante;

b). Replicante – É o autor e o texto criado em segundo lugar, após a leitura dum texto inicial que, de alguma forma, tiver servido de inspiração à sua criação.

 

1.1. Por “Réplicas Poéticas” entendem-se os textos elaborados, construídos e/ou escritos a partir de outros, que lhes serviram de inspiração, seja pelo conteúdo ou pela forma, pelo tema abordado ou pelos sentimentos desencadeados a partir da sua leitura, pela sua beleza e encantamento ou até pela sua eventual fealdade;

1.2. Todas as “Réplicas Poéticas” devem ser construídas de forma original e independente do texto inicial replicado, não devendo utilizar, no todo ou em parte, frases, versos ou qualquer estrutura frásica que conste do mesmo, salvo quando as mesmas forem incluídas “entre aspas”, de modo a significar que são uma transcrição do texto inicial;

1.3. Não há lugar, nas “Réplicas Poéticas”, a qualquer tipo de entrelaçamento, continuação, reconstrução, reelaboração do texto inicial do autor replicado, como acontece nos duetos, devendo os textos ser únicos e independentes entre si;

1.4. Os textos replicantes podem adoptar ou não a estrutura do texto replicado, quanto à sua forma de apresentação, podendo definir-se por réplicas semelhantes ou idênticas, quando seguem o mesmo sentido e sentimento poético, ou réplicas dissemelhantes ou antagónicas, quando se afastam ou recusam as premissas do texto replicado.

 

2.   Dos autores e das suas responsabilidades, obrigações e direitos

2.1. Todos os membros do Portal PEAPaz poderão participar no Grupo “Réplicas Poéticas”, desde que se inscrevam como membros do Grupo;

2.2. A publicação de textos replicantes apenas poderá ocorrer se o autor do texto replicado for igualmente membro do Grupo “Réplicas Poéticas”;

2.3. No momento da inscrição como membro do Grupo, é tacitamente concedida, à totalidade dos pares, autorização para a replicação dos seus poemas, sem necessidade de quaisquer outros formalismos;

2.4. Nos casos em que os autores não aceitem conceder autorização para a replicação dos seus poemas, a sua adesão ao Grupo não será aceite ou, será cancelada, logo que ocorra a expressão dessa vontade;

2.5. A publicação dum texto replicante não implica obrigatoriamente que seja publicado o texto replicado, que lhe tiver dado origem;

2.6. É no entanto obrigatória a identificação, no início do texto, dos dados identificativos relativos ao texto replicado, concretamente:

  - Título do texto, nome do autor e data da sua publicação;

Só deverão ser replicados poemas publicados nos blogues pessoais da Rede PEAPAZ, excluindo-se, inclusive, os publicados nos diversos Grupos existentes na Rede.

2.7. O não cumprimento das regras constantes dos parágrafos anteriores implicará a exclusão do membro em questão e a retirada dos seus textos do Grupo.

 

3.   Questões finais e situações omissas

3.1. Infere-se que, a inscrição de qualquer autor como membro do Grupo “Réplicas Poéticas” implica o conhecimento e aceitação das regras constantes deste Regulamento do Grupo, não podendo ser invocado desconhecimento do mesmo após a inscrição;

3.2. Sempre que surgirem situações omissas no presente Regulamento do Grupo, deverão os membros remeter o assunto ao seu criador/administrador que, depois de analisar as mesmas, decidirá, publicando, para conhecimento de todos, um aditamento ao presente Regulamento.

 

Grupo "Réplicas Poéticas", 13 de Setembro de 2014

Paulo César, Criador e Administrador do Grupo

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Forum

BRONZE BABPEAPAZ

Minh’Alma! Minh’Alma! - Poema II de Réplica a Mote: Alma Gémea

Minh’Alma! Minh’Alma! Minh’Alma! Minh’Alma! Onde estás?! Dá-me o eco da tua voz! Dá-me teu riso, tua mão Segura e prende as minhas no teu coração Meu grito ouve e solta! Ah meu amado! Como estás longe, meu coração! Anos-luz distante…           Meu Amor! Amor... Amor... Amor … Meu eco soa vazio! Onde estás minh’Alma? Meu grito ficou, sem chama nem som, entalado. Palavras apagadas do nosso livro sem nome       Sem ti, nele a sombra desce no sol. Sou praia vazia sem luz, sal, sem mar nem…

Saiba mais…
7 respostas
DIAMANTE BABPEAPAZ

Almas gêmeas... Poema replicante

Almas gêmeasEncontro que é dádiva de profunda e mágica afinidade, uníssono de corações e mentes, um para o outro voltados, não vivem separados! Alma gêmea, alma gêmea, diz-me quem é você, que seca o meu pranto, me envolve com encantos, faz-me sorrir plenamente! Quem é você, que sem saber conheço tanto, toca no meu sentimento, me faz querer-te para sempre. Antes de você eu mal conhecia o que é amar verdadeiramente,de estar no viver com alegria, pelas metades eu vivia! Me chegas e de repente,…

Saiba mais…
10 respostas

É A MINHA ALMA GÉMEA - RÉPLICA DE ALMAS GÊMEAS

 É A MINHA ALMA GÉMEA Aquela que um dia na minha vida Entrou e nunca mais saiu Aquela que sempre que afasta Faz-me sentir sem segurança Aquela que ao regressar Seus passos fazem-me adivinhar Que a minha vida vai sorrir É a minha alma gémea! Aquela que me arrastou ao altar E fez-me jurar “é para sempre…” Aquela que ao meu lado dorme e acorda vendo-me contempla-la Se sofre, sinto a dor e se alegre, faz-me rir É ela certamente a minha alma gémea!João Pereira Correia Furtado…

Saiba mais…
8 respostas
BRONZE BABPEAPAZ

ALMAS GÊMEAS

                                                                                           Do outro lado do salão em festa                         Senti teu olhar penetrante a me fitar.Nossos olhos se encontraramEm um instante de mágico enlevo.Reencontro de outras vidas, talvezQue se reconhecem em perfeita sintonia. Somos almas gêmeas identificadas.Ao me olhar é a ti que enxergoUm sem o outro não existe.Somos o côncavo e o convexoO branco e o preto, o tudo e o nadaO yin e o yang, a luz e a…

Saiba mais…
7 respostas

Photos