Escritor Poetisa e Escritora

Não há mais volta a dar

 

Cheguei desavisada
Crédula, envergonhada
Humilde, não!
Dentro de mim
Um mar de direitos
O papel que me cabe
Só eu sei…
Trago-o no peito
Não há mais jeito
Há todo um ensaio que faço
E já não sinto embaraço
Se são rosas o que trago
No regaço da fantasia
Não é milagre o que faço
Que culpa eu tenho
Se minh´ alma é poesia?
Assim sendo, para acabar
Já não há mais volta a dar!

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

This reply was deleted.