DIAMANTE BABPEAPAZ

Sensata utopia! Poema MIL

 

Sensata utopia!

 

Deixo o absoluto concreto
Esqueço o sensato real
Lanço-me ao sonho sem nexo
Atravesso o ilimitado
Descarto o improvável
Beijo a alienação
Minhas asas são
A supremacia da vontade
Meu eu em liberdade
Dispenso a forma
Transgrido normas
O incabível já não me vale
Fique meu corpo na Terra
Entre as areias da submissão
Minh’alma vai ao Cosmos
Sem estrada nem direção
Deitar numa nuvem cor de rosa
Planar o impossível e inimaginável
Olhar a chuva que cai
Molha de amor e dá vida
Ser um átomo que se move
Dança, canta e ri pela nebulosa
Desvenda o livro das origens! 

Maria Iraci Leal/MIL
POA/RS/Brasil
16/07/2010

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

This reply was deleted.