DIAMANTE BABPEAPAZ

Desejo mundano pode ou não ser fonte de iluminação

Desejo mundano pode ou não ser fonte de iluminação

Primeiramente, deve-se explicar o sentido do termo “mundano”. Todas as situações do mundo material e socialmente considerado, que instiguem as convenções e futilidades, são mundanas. Neste refrão, as pessoas que se consagram aos prazeres imediatos, que ignoram os valores éticos e morais, para entregarem-se à ostentação frívola e passageira dos bens materiais, são consideradas mundanas.

Deve-se, portanto, passar ao largo das pessoas que cultivam o Mal e a Maledicência e fugir dos pensamentos mundanos? De que forma é isso possível?

Hodiernamente desconhece-se o Outro. Quiçá, desconhece-se a si, quando em jogo os próprios interesses. O ser humano trafega por diversos mundos. Desenha o luar como se fosse um monstruoso dragão a colocar sanha pelas ventas, ou colore a perdição como se fosse divinal pureza. Tudo, pela incapacidade corrente de enxergar a própria sobrancelha - tão próxima dos seus olhos - sem o uso de um espelho. Tudo, pela inépcia de manter o equilíbrio dos estados mentais inerentes à própria vida: Inferno, Fome, Animalidade, Ira, Tranquilidade, Alegria, Erudição, Absorção, Boddhisatva e estado de Iluminação (há milênios reconhecido como o estado de Buda).

Impossível (re)conhecer o Outro em toda a sua extensão. Impossível, talvez, saber de si, quando em jogo interesses próprios. E, se impossível(?) conhecer de si, como penetrar no mundo que significa o Outro na sua individualidade? - Não existe meio termo ao desbravá-lo - Significará descobertas, que propiciarão conhecer-lhe o lado Solidário, Amoroso e Saudável, ou significará perigo. Sim, perigo - não porque necessariamente contamine, mas porque afeito à destruição de tudo o que se constrói em nome do Amor e da Paz. Para sobreviver à derradeira opção é preciso conter a força interior de mil gigantes mitológicos, além de cultivar a verdade como ideal máximo e o justo nas ações diárias. Assim sendo, quando o espírito é inapto a esbanjar forças e determinação – é melhor que não se aventure por mundos desconhecidos, antes de fortalecer os seus mundos interiores.

Por nada saber, cabe ao ser humano a busca do mínimo conhecimento a respeito das coisas e pessoas que o cercam. Neste contexto, as aparências nada valem e muito menos valem os discursos falaciosos, por si, sem fundamento. Os prazeres, ao serem colocados ao alcance do coração, não devem ignorar a razão, por mínima seja a parcela requisitada.

Por diversas vezes, adentra-se mundos estranhos. Por diversas vezes, sofre-se em razão desta audácia. Por diversas vezes, o sorriso brota seguro, fruto da coragem desafiadora. Mas, o que não se pode ignorar é que alegres ou tristes, será erro crasso subestimar o Outro, antes de conhecer as verdadeiras verdades que se escondem através das palavras provocadas pela maldade humana intencional ou exaradas ao alvedrio sugerido por problemas circunstanciais. Fugir do Mal não é garantia do Bem. É melhor fortalecer o Bem que existe em si, para que vença o Mal do Outro – ou, no mínimo, mantenha-o em equilíbrio.

Impossível sair ileso de um Mundo. Marcas positivas ou negativas se farão, porque alegrias e tristezas são fatos da vida. E, se resplandecerá a alegria a ser repetida no futuro, que as tristezas não se perpetuem. Antes, postem-se à evolução de cada um.

As situações mundanas não devem ser temidas, pois impossível desvencilhar-se delas no mundo atual. Afortunados de boa sorte, são aqueles que através de discernimento próprio conseguem sobreviver a tais iniquidades, sem vivenciá-las. Derrotados, os que sucumbem aos obstáculos. Por outro lado, alguns seres humanos lambuzam-se do Mal, para depois desafiá-lo e vencê-lo. Vitoriosos também serão, conquanto exibam com mais intensidade os sinais do sofrimento que poderia ser evitado. Esses seres necessitam sacrificar-se ao Mal para evidenciar o Bem. Donde se conclui, que desejos mundanos são também fontes para se alcançar a iluminação.

A cada qual o seu destino. A cada qual o desejo de vencer ou não as vicissitudes impostas pelo seu destino.

Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz
Rio de Janeiro, 5 de dezembro de 2011 - 16h19
Imagem capturada na Internet - através do Google

♥Ernesto Cortazar. Sentiments♥

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

  • BRONZE BABPEAPAZ

    ´Um texto verdade.

    Um conselho dado por  todas religiões que conheço algo,

     então é universal.   O homem não é muito diferente em sua essência. Talvez fale ou coloque diferente ou vista diferente mas somos os mesmo. E erramos igualmente

    Existem sim muitas formas de desejos e as escolhas  mas sabemos as que não devemos s  desejar o    inconsciente nos diz . Sabemos que matar é ruim e roubar também e outros mas existe a curiosidade por caminhos sem volta.  Sei que existem caminhos que desconhecemos e que devem não ser mencionados,  o oculto atrai e este é algo perigoso. Gostei do texto  e concordo deve ser evitado e não desejado e se desejamos é aberta a possibilidade do querer conhecer.

    Abraços Silvia querida pelo texto .Abraços amigos

    Dione Fonseca

  • Belo texto. Muito aclarador.

     

  • BRONZE BABPEAPAZ

    muy agradable, felicitaciones

  • Penso assim: - O minuto seguinte já foi escrito.

  • Que maravilha de texto,quantas reflexões que nos faz pensar e repensar

    Meus aplausos,Silvia!

    Beijosssss

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    COMENTÁRIOS REALIZADOS NO PORTAL PEAPAZ

    COMENTÁRIO REALIZADO POR SÍLVIA MOTA EM 25 FEVEREIRO 2014 ÀS 0:39
    Agradeço aos queridos leitores, os gentis comentários. Beijosssssssssss

    COMENTÁRIO REALIZADO POR MÔNICA DO S NUNES PAMPLONA EM 25 FEVEREIRO 2014 ÀS 0:37
    Relendo e ainda achando muito interessante.
    Bjsssss.

    COMENTÁRIO REALIZADO POR WAULENA D'OLIVEIRA SILVA EM 7 JANEIRO 2014 ÀS 18:16
    "... Fugir do Mal não é garantia do Bem. É melhor fortalecer o Bem que existe em si, para que vença o Mal do Outro – ou no mínimo mantenha-o em equilíbrio.
    ... Donde se conclui que desejos mundanos são também iluminação.
    A cada qual o seu destino. A cada qual o desejo de vencer ou não as vicissitudes impostas pelo seu destino."
    Propriedade e sabedoria nesse texto, de humanístico teor. Cala fundo n'alma e faz refletir.
    Parabéns Querida Silvia! Bjs Wau

    COMENTÁRIO REALIZADO POR MARIA FERNANDA REIS ESTEVES EM 15 DEZEMBRO 2011 ÀS 18:22
    Sílvia querida,
    Belo texto que nos obriga a reflectir no verdadeiro sentido da vida.
    Beijinhos
    Feliz Natal

    COMENTÁRIO REALIZADO POR MARCIA PORTELLA EM 7 DEZEMBRO 2011 ÀS 8:40
    Texto profundo e sábio. Todos sabemos o melhor caminho a seguir, não podemos colocar a culpa só no destino, sempre podemos escolher como conduzir nossas ações........... bjus

    COMENTÁRIO REALIZADO POR LAIS MARIA MULLER MOREIRA EM 6 DEZEMBRO 2011 ÀS 14:43
    "A cada qual o seu destino. A cada qual o desejo de vencer ou não as vicissitudes impostas pelo seu destino"
    Magnífico texto. Parabéns!

    COMENTÁRIO REALIZADO POR MÔNICA DO S NUNES PAMPLONA EM 6 DEZEMBRO 2011 ÀS 3:08
    Fugir do mundo mundano, do sofrimento... Não significa que esteja vivendo em limpas páginas, pois saber lidar ou contornar a situação, requer sapiência, preparo de espirito e um bom psicológico. Se estamos aqui nesse plano para resgatar nossos erros. Acredito que se deva tentar viver em paz com mente e coração, sempre os policiando para que não caiam em qualquer armadilha. Muitos quando atingidos por uma traição, mentira, desgosto... Logo se deixa levar por pensamentos negativos. É quando se é necessário dar uma pausa em sentimento e pensamento para não alimentar tanto veneno dentro de si. Por isso a fuga não é a melhor opção, e sim encarar os acontecimentos, lidando da melhor maneira possível.
    Gostei muito do tema. Daria para escrever páginas e páginas sobre o assunto.
    Bjsssss

    COMENTÁRIO REALIZADO POR MANOEL NAZARENO DE OLIVEIRA EM 5 DEZEMBRO 2011 ÀS 22:22
    A escolha do aludido tema já foi por si só excelente... Demonstras muita propriedade sobre o assunto, tal qual, pude ler e saborear o conteúdo... Acredito que todos nós tenhamos um destino e que por vezes não concordamos com opiniões contrárias as nossas, porém temos que respeitá-las e com relação ao texto, digo-lhe que concordo com toda sua explanação... Parabéns...

    COMENTÁRIO REALIZADO POR JORGE CORTÁS SADER FILHO EM 5 DEZEMBRO 2011 ÀS 19:20
    Verdade! Não se sabe, e pouco importa saber, porque estamos juntos em alegrias ou não nesta pequena bola que gira no Universo. Sílvia é clara: não ser mundano é estender a sua existência ao próximo, sem perdê-la.
    Parece que uma simples palavra pode esclarecer tudo: na medida do possível, divisão.
    Beijos, poeta.

    COMENTÁRIO REALIZADO POR AMÁLIA FAUSTINO EM 5 DEZEMBRO 2011 ÀS 18:28
    Muito agradecida pela sua reflexão, Silvia. Impossível sair ileso de um Mundo. Marcas positivas ou negativas se farão, porque alegrias e tristezas são fatos da vida. Parabéns!

    COMENTÁRIO REALIZADO POR JOAQUINA VIEIRA EM 5 DEZEMBRO 2011 ÀS 18:27
    Parabéns SILVIA!!!
    Seu texto e bem eloquente, da vida moderna que se vive…
    Ser mundano, não é mais do que uma feira de vaidades,
    Onde os valores se foram, e o que prevalece é o aqui, e agora.
    Ainda bem, que eu já estou longe, deste mundano, tão atraente para muita gente.
    Só uma pessoa instruída, nos poderia trazer assunto, tão sério e reflectivo.
    Obrigada por me lembrar de que estou certa nas minhas atitudes.
    O texto é muito poderoso…
    Abraços, Joaquina

    COMENTÁRIO REALIZADO POR ZÉLIA MENDONÇA CHAMUSCA EM 5 DEZEMBRO 2011 ÀS 18:21
    O texto revela que sim O DESEJO MUNDANO PODE SER FONTE DE ILUMINAÇÃO, contrariamente, Sílvia Mota não teria escrito este artigo tão profundamente reflexivo, sobre o enigma do ser humano, em toda a sua dimensão, a impenetrabilidade nos seus valores éticos e morais, na sua consciência, o confronto entre o Bem e o Mal, rsrsrs.
    Por outro lado, O DESEJO MUNDANO PODE NÃO SER FONTE DE ILUMINAÇÃO, quando o desejo é dominado pelo negativo, isto é, se o desejo for exacerbadamente egoísta e maléfico não haverá lugar para iluminação, no sentido de ascensão espiritual, purificação da alma.
    Isto segundo a minha visão não exatamente a expressa pela ilustre articulista Silvia Mota.
    Muito bom texto que merece uma análise aprofundada.
    Parabéns!
    ZCH

    COMENTÁRIO REALIZADO POR LÚCIA CLÁUDIA GAMA OLIVEIRA EM 5 DEZEMBRO 2011 ÀS 17:50
    Um texto fabuloso e muito inteligente, o que não é nenhuma novidade em tua genialidade como escritora. O tema é bastante sugestivo e nos leva a uma reflexão profunda. Obrigada amiga por ampliar cada vez mais meus poucos conhecimentos. Beijosssssssssssss

  • Boa Noite! 

    Em minha experiência o experimentar a vida é parte fundamental para iluminar a caminhada e poder assim dar o próximo passo com coerência e precisão. Acredito quem não o faz acaba por se tornar um hipócrita e alienado de sua própria história. 

This reply was deleted.