Reservado à publicação de Microcontos, curiosa forma de expressão literária.

Criado por Sílvia Mota

45 Members
Join Us!

O que é um Microconto?

Os Microcontos constituem-se numa nova vertente da microliteratura, consagrada pelo escritor guatelmateco Augusto Monterroso. Uma das suas mais célebres obras, "O dinossauro", é considerado o menor conto da literatura mundial: "Cuando despertó, el dinosaurio todavía estaba allí" - "Quando acordou, o dinossauro ainda estava lá". O repto em destaque é contar alguma coisa em pouquíssimas palavras de calculados toques.

Deve-se ressaltar que os microcontos, tanto na forma quanto no conteúdo, diferem-se dos poetrix, dos haikais e das meras frases soltas. Um microconto caracteriza-se por ser micro-narrativa, que prima pela concisão e brevidade e causa no leitor um efeito de impacto. Este impacto pode ser provocado pelo essencial que permanece no ar e se confunde ao ritmo da atmosfera, pela forma de narrar ou, ainda, pela linguagem sedutora do autor. Conquanto sejam buliçosas as diretrizes, opta-se, neste recanto, por realizá-los em, no máximo, 300 caracteres (contando espaços, letras e pontuação).


Abaixo, alguns Microcontos da autoria de Sílvia Mota


Santa ou puta?

Era uma vez moça pura que virou santa. Um dia, achou seu príncipe encantado virtual. De santa foi puta. E, assim, santa-puta, foi feliz para sempre.


Estrada longa

Quando dobrei a curva do passado, sentei-me a chorar, aliviada.



Mar destruidor

Dos confins da paixão, regressaram o eu-mulher e a fêmea. Tudo o mais se foi.



Fim de caso virtual

Quando Lu se conectou ao msn, Ju não estava mais lá.



Viagens

Pelas vias de Roma, em “Epopéias”, foi cognominado o humano “mais polido” que empunhara um verso e, ao mesmo tempo, o “mais inexorável” sedutor do coração femíneo e o “mais afetuoso” poeta que se conectara à Net, a degustar a pressa das damas.

Ao encontrá-lo no MSN, estremeci.

Grupo aberto à criatividade dos nobres autores

 

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

  • MINICONTO

    Risos e rios

    Risos eram poucos, satisfeita, e que barrigão... No carro lá adiante ele já podia escutar seus passos arrastando a rasteirinha, vinha rindo e acarinhava a barriga, em poucos dias interaria nove meses. Como tinha ficado bonita grávida a danada, mais bonita ainda. Precisava afastar aqueles pensamentos.Foco no plano. Aldroaldo sentia um leve suor, algum palpitar, nada que o afastaria do caminho traçado...
    Élida entra no carro que sai cantando pneus.
    (...)
    Até agora, os bombeiros continuam as buscas.
    O foco: Encontrar o corpo da grávida atirado ao Rio dentro de um tambor...
    Um dia... Pode ser começo, meio e fim da história de cada um...

    # Inspirado em fato real.
  • As cinzas do AMOR

    Todas as noites de sexta eram assim, arrumava-se com alinho e ia à missa. Na volta, o coração apaziguado mudava de cor. Era de um roxo sensual. Trancava-se no quarto, banahava-se e depois de um segundo banho de perfume uma lingerie lilás colocava, rimando com sua sensualidade, ao som uma música... seguida de uma dança,e um estreep-tease....
    Ardentemente em lençóis desalinhados, fazia amor com seus dedos e sonhos, enquanto ao seu lado sobre a cama em um recipiente transparente lacrado com tampa de prata, jazia as cinzas de seu amor perdido, uma foto amarelada que lhe sorri e algumas secas pétalas de flores...
    Lembranças...
  • O Milagre do celular. Pluft

    12-09-09_1421.jpg



    Soaroir
    12/5/10
This reply was deleted.

Forum

Escritor

En vez de pasear

Andaba la niña Luna caminando por las piedras y tenía un espacio nocturno para pasear y ver las estrellas y un señor que la ve le dice: "Luna es de noche sal a pasear que ya el sol se fue y esta contenta como no quiere que el sol la vea sale un ratito a juguetear.Por Pedro Ordaz

Saiba mais…
0 respostas
Poeta e Escritor

A MANUELA DE PRETO

A MANUELA DE PRETO Ele é um Lobo-do-Mar e vai pescar, no mar tinha o pão da sua amada. Na cabeça a saudade de Manuela que deixou bordando na soleira da casa ao entardecer. Foi para regressar ao amanhecer. A pesca esta difícil tentou ir mais além, entre as rochas. A fama não era boa. Seu pai lhe dizia sempre e sempre, nunca deves ir mais além... Pensou nela a bordar e a espera dele com esperança. Ela merecia que ele sacrificasse por ela e foi e ouviu melodiosa musica, só podia vir de uma Musa ou…

Saiba mais…
14 respostas
Poeta e Escritor

O TERCEIRO QUADRO

  Na parede dois quadros, um do seu emigrante e outro dela a fita-lo no outro quadro com amor e saudade e esperança. Hoje o rosto deixou de ser liso e belo e os olhos não têm o brilho e perderam a esperança. Cheia de amargura e sem uma carta de chegada, restam na parede dois quadros, um ao lado do outro e ela uma velha que espera um milagre... O regresso do seu único amor perdido no tempo e na América. Ao lado um espaço vazio era para o quadro do casamento que ficou por…

Saiba mais…
1 resposta
Poeta e Escritor

A JANELA MULTIUSOS

 Ali sentada à frente a janela por onde viu pela última vez o seu amor. Foi e não deu notícias. Mil ideias e um desejo, a vingança... De vingança a vingança tornou-se prostituta e da janela fisgava com as pernas os homens... Ela nunca saberia que ele, seu amor, se perdeu numa rusga e numa guerra, a bala perdida levou sua vida.FimJoão Furtadohttp://joaopcfurtado.blogspot.com

Saiba mais…
2 respostas

Photos