Participe!

Um Grupo em busca da excelência na prática do Letrix.
Aqui um pouco da História e os primeiros esforços de Sistematização para a criação do Letrix.:
http://www.recantodasletras.com.br/teorialiteraria/156107

9213786?profile=RESIZE_710x 

31 Members
Join Us!

Fotos do Grupo

Página de Comentários

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

  • Ficou interessante essa bifurcação à partir do 5º letrix - 2 quintos levando a dois sextos diferentes. Imaginem a quantidade de letrix compartilhados que podem ser obtidos através das bifurcações em um letrix em acróstico para seis letras. Verifico também que nos dois letrix compartilhados, as sequências de 1 a 6 foram mantidas, 1, 2, 3, 4, 5, 6, letra por letra, letrix por letrix. Essa relação de antecedência/consequência necessariamente não precisa ser mantida e se houver saltos, o letrix compart_ilhado fica mais impre_visível e mais mó_vi_montado. Por ex.: letra 4, letrix 1, // letra 1, letrix 2 //  hum... letrix 3, letra n depois.///// rs. Da maneira como foi escrito, cada letrix é apenas consequente aos que estão prontos. Salte_ando e inter_calando, o letrix que está sendo escrito passa a ser ante_cedente e conse_quente aos mesmo tempo - menos line_ar e mais bonito.

    Parabéns aos três autores.

    Marco.

     

     .  

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    É quase Natal // e antecipa-se // a convocação (1)

     

    N o mundo infantil // fantasia // e alegria! (2)

    A sas de tam cores mil // aqui, acolá // de cá e de lá (3)

    T em Papai Noel // que faz seu papel // com presentes de montão... (4)

    A o som do sino a cantar // Blim-blém! Blim-blém!... // aqui e além... (5)

    L uzes de amor // canto loquaz // sonhos de paz! (6)

     

    manuela (1) (3)

    Sílvia Mota (2) (5) (6)

    Marcial Salaverry (4)

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    É quase Natal // e antecipa-se // a convocação (1)

     

    N o mundo infantil // fantasia // e alegria! (2)

    A

    T

    A

    L

     

    manuela (1)

    Sílvia Mota (2)

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    Mamãe usava muito essa palavra para dizer que alguém era bom em alguma coisa. Por exemplo: Aquele professor é tranchant em Literatura.

    Meu filho caçula chama-me de mamis.

    Marco, nosso Letrix ficou tranchant! risos

    Beijosssssssssssssssssss

  • Tranchant é uma palavra do Francês, Manuela. Significa afiada, arestas, acentuadas, gumes e coisas que tais. tranchant pour les livres = afiadas para os livros (ou para os alfarrábios), ou arestas para os alfarrábios (aquele TCC brilhante) . Expressões que já foram usadas com certa frequência no Brasil, em desuso desde a minha infância. rs.

    papis é giria, o papai aqui: o papis aqui = eu sou é bom. rs.

     

    Esse aluno é pretensioso, vaidoso e "acabou" com a professora.

    Se for de mau caráter, envolvente, "cabei com a Cenhora", fiz conforme me orientou, fizemos juntos, ou: foi a senhora que me ajudou. E no subjacente, se estiver errado, quem foi que errou?. rs

     

    abrçs

    ´

     

  • ´

    T ranchant pros alfarrábios // sem blá-blá-blá // - o papis aqui é demais!... (3)

    C ara de pau!... // é cópia da Internet... // - Fessora mal amada! (2)

    C de casa, T de tatu // Cabei, tudo, fessora! ... // (- Com a Cenhora) (1)

     

    Marco Bastos (1) (3)

    Sílvia Mota (2)

    ´

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    ´

    T

    C ara de pau!... // é cópia da Internet... // - Fessora mal amada! (2)

    C - T de tatu, C de casa // Cabei, tudo, fessora! ... // (- com a Cenhora) (1)

     

    Marco Bastos (1)

    Sílvia Mota (2)

  • ´

    T

    C

    C - T de tatu, C de casa // Cabei, tudo, fessora! ... // (- com a Cenhora)

     

    Marco Bastos

  • Nos letrix procuro a linguagem de uma lógica que subjaz, um dizer não dizendo, subliminar, uma multiplicidade de sentidos. As palavras polissêmicas ajudam nessa construção. As associações e as contraposições também. Nesse nosso, as polissemias estão em:

    pira = de pirar, de piração, de fugir.

    pira = de peixe, e na contraposição traíra não é taínha = mentira, tadinha. rs. mas traíra, verbo trair (a verdade) é mentira. 

    pira = crisol, crematório, fogueira, e que fogueira, quando Piro, terra arrasada. rs..

    sucupira = lembra-se do prefeito? mas é madeira de dar em doido. rs. até que sucumba, se não sucumbira. cedro não, é madeira mole, de lei, tal como aroeira, madeira dura. mentira, a madeira mole persiste e a dura já era.

    e sevícia e se vicia

    e se vira. ser vir, viri = viril no latim do macho ou vira virago se for ela fêmea? rs.

    e capeta tá prá capital assim como cá peta tá prá capetá. rs.

    e se for falar em peta que é mentira e tem sinônimos prá dar com pau, mas com teta só alguns combinam, mas teta também tem muitas conotações, de mamata a sinecura. rs e não seios, se até sei-os. rs.

     

    Isso faz do letrix essa coisa que você chamou de fascinante.

    abraços.

    Marco.

    ´

     

  • Certo, Sílvia, daria prá se ler "mentira". Mas o problema é que um letrix começa com o título (uma palavra) na vertical cujo significado deve induzir o letrix. MENIRA não tem significado e começar assim estaria fora da proposta do Letrix:

     

    Nesse caso não há dubiedade pois Menira não existe.

     

    M

    E

    NT

    I

    R

    A sucupira // tempos de egolatria // vitória de Piro, pira (1)

     

    Mas aqui, qual seria o tema do Letrix?:

     

    M

    A

    E

    S

    T

    R

    O

     

    e

     

    M

    A E

    S

    T

    R

    O

     

    Marco.

This reply was deleted.