DIAMANTE BABPEAPAZ

HOMENAGEM TOP PEAPAZ - HILDEBRANDO SOUZA MENEZES FILHO


3542119815?profile=original

Escritor TOP PEAPAZ desde 31 de agosto de 2010

3542120004?profile=original


Chega assim... e permanece em silêncio...
Ninguém lhe ouve o som...
Poucos o sabem entre as muralhas amorosas que protegem este espaço...
A foto do perfil ilustra bem este momento, no qual o poeta quiçá observe o novo recanto poético, por onde fulgurarão seus versos. É sempre assim... Por onde trafega Hildebrando Souza Menezes Filho, luzes faíscam, olhares sorriem e amores levantam-se por todos os lados. Poetiza o amor, a paz, a alegria, a tristeza, a felicidade, a dor... Tudo!

Oras, mas isso não é novidade... qualquer poeta possui este dom! - dirão alguns.

Sim, é verdade... Mas, Hildebrando vai além. Desenvolveu o dom de captar os sentimentos dos demais poetas e convida-os para dançar! Uma dança sui generis - a dança dos Duetos! Requinte especial. Atesto, pois já rodopiei aos seus versos, numa harmonia indescritível!

Querido autor, ofereço-te a primeira dança neste salão, onde brincam juntos, de mãos dadas, a Amizade, o Amor e a Paz! Mas, antes que te pronuncies de forma sedutora por esta pista de dança, permita-me uma singela homenagem.


És o mais novo autor TOP PEAPAZ!!!
Muito obrigada, do fundo do meu coração,
pela presença que tanto nos honra!

3542120004?profile=original

3542120083?profile=original

3542120004?profile=original

Abaixo, o soneto que escrevi em tua homenagem

a partir do qual realizaste um belo entrelace poético.

3542120212?profile=original

3542120004?profile=original

Dueto... dizer... o quê dizer?

Se queres explicar essa cobiça viva,
ensandecida fúria, irreprimido canto,
de entrar no meu reverso, estranho que cativa,
gemer rouco e cansado, alçar-me ao mesmo encanto...

Se queres explicar essa avidez criativa,
cheirar desejo em verso a cada meu recanto,
queimar, enlanguecer, em ode expressiva,
que te me faz delírio... ao beijo sacrossanto.

Dizer... o quê dizer? Se basta o teu ardor!
Rebolo ao doce arbítrio, embalo-me ao teu som,
da vida sou quimera ao vício teu de amor!

Dizer... o quê dizer? Se queres só viver!
Que seja ao meu cantar - refrão - teu doce dom,
que eu seja em tua canção - dueto - em ti prazer!

3542120004?profile=original

Fascínio dos duetos
Sílvia Mota e Hildebrando Souza Menezes Filho


Se quiseres explicar essa cobiça viva,
Que pressinto... Transpiras e inspiras
Ensandecida fúria, irreprimido canto,
Que murmuras e assopras pelos flancos

De entrar no meu reverso,
Cultuando tantos versos
Estranho que cativa,
Tempo todo na ativa

Gemer rouco e cansado,
Na volúpia desesperada
Alçar-me ao mesmo encanto...
Alegre e sem lamentos

Sei que queres explicar essa avidez cativa,
Mas eu quero estar no mesmo plano
Cheirar desejo em verso, a cada meu recanto,
Da pele, pela gruta, labirintos que chamam

Queimar, enlanguescer, em ode expressiva,
Alimentado pelos teus lábios quase santos
Que te me faz delírio ao beijo sacrossanto...
Eu confesso... Não resisto a fazer um exame

Dizer... O que dizer? Se basta o teu ardor!
Não desprezo e nem arredo a esse fulgor
Rebolo ao teu pecado e embala-me ao teu som,
Entoado e ousado entrego-me aos prazeres

Da vida sou quimera, ao vício teu de amor!
Estou e estarei disposto ao que der e for
Dizer... O quê dizer? Se queres só viver!
Sim! Contigo sei que não irei sofrer

Que seja ao meu cantar - refrão - teu doce dom,
Que eu seja em tua canção - dueto - em ti prazer!
Então pra que esperar? Vamos logo fazer.

3542120004?profile=original

Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz

Criadora da PEAPAZ

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Homenagem muito bem merecida!

    Nosso Amigo Poeta Hilde sempre nos emociona,

    com suas deslumbrantes poesias,

    consegue tocar o nosso coração sempre!

    Hilde meus parabéns Amigo,

    continue sempre assim a nos encantar,

    com seus belos poemas! Beijos

    3542849852?profile=original

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    COMENTÁRIOS AO POETA HILDEBRANDO

     

    Comentário de Hildebrando Souza Menezes Filho em 13 setembro 2010 às 21:08

     

    Aqui está querida Silvia o teu poema inacabado em vídeo. Espero que goste

    e não molhe demais o teclado rs.

     

    PERFEIÇÃO!- Dueto: Silvia Mota e Hildebrando Menezes

    https://www.youtube.com/watch?v=u5Y0sQvhwOk

     

    PERFEIÇÃO!

     

    Fazer-te amor

    é ser fêmea no cio

    e garota descalça no meio da rua

    em dia de chuva.

     

    Receber-te seca ou molhada

    É ser macho propício

    e menino calçado

    em doçuras e ternuras.

     

    Fazer-te amor

    é enroscar-me nas estrelas

    e subir ao céu por um instante

    eterno e infinito.

     

    Dar-te amor

    É ler nas entrelinhas

    A compreensão dos teus desejos

    E voar junto contigo nas nuvens

     

    Amar-te

    é mais do que um encontro de corpos

    que se desejam, se excitam

    e se aprazem um dentro do outro.

     

    Completar-te

    É fluir pelas tuas veias...

    Acendendo todas as centelhas

    Muito mais que uma noite inteira

     

    Amar-te

    é esquecer teu sexo rijo

    e à disposição dos meus desejos,

    para ouvir as palavras de amor e ternura,

    que mergulham nos meus ouvidos.

     

    Saciar-te

    É acoplar e incorporar

    Junto aos beijos e abraços

    Toda uma vida de sensualidades

    Desprendida das aprendizagens

    São doçuras e virilidades

    Na suavidade das carícias

     

    Amar-te

    é permitir que galopes no meu corpo,

    onde até os poros se calam

    para sentir-te melhor.

     

    Desejar-te

    É galopar na sinfonia dos teus gestos

    No veludo da tua pele

    Explorando cada célula

     

    Amar-te

    é sujar-me na lama molhada

    e deixar-te lamber a minh'alma,

    neste momento de paz.

     

    Querer-te

    É não temer a explosão

    De uma paixão

    E sugar e se entregar

    Em cada estação

     

    Amar-te

    é ser tudo o que desejares na cama ou na vida;

    é beijar tua boca gostosa e sensual

    e, ao mesmo tempo, beijar-te a alma.

     

    Entregar-se

    É ir ao mais profundo

    De um ser e adormecer

    No colo macio da eternidade

     

    Amar-te é...

     

    Dueto: Silvia Mota e Hildebrando Menezes

    Inspirado no poema original ‘PERFEIÇÃO’ de Silvia Mota 23 anos depois

    http://recantodasletras.uol.com.br/poesiasdeamor/2226864

     

    Nota: “Hildebrando, inédito, até o momento, “Perfeição” é um poema inacabado. Adormeci enquanto o escrevia e preferi deixá-lo assim, da forma como o encontrei na manhã seguinte. É o retrato de um amor-paixão, que, através dos meus versos, eternizou-se nos sonhos. Em solo ou dueto, outro não poderia, jamais, ser o título...O sentimento implícito neste poema, mantenho-o guardado, a sete chaves, aos faróis da minha eternidade...

    Inigualável. Talvez, por tal motivo, não oferecê-lo a outro olhar, que não fosse o meu, por tanto tempo! Vinte e três anos após aquela madrugada inesquecível, sob a forma de versos, buscas um diálogo, na tentativa de materializar respostas que obtive através de olhares, cuja lembrança ainda guardo na retina; e ações, que se tatuaram na minh'alma. Buscas... e alcanças meu paraíso. Sou tua e és meu, aos versos de nós dois. Duo... uno.” Silvia Mota

    Veja o poema em vídeo:

    PERFEIÇÃO!- Dueto: Silvia Mota e Hildebrando Menezes

    https://www.youtube.com/watch?v=u5Y0sQvhwOk

    Download:

    FLVMP43GP

     

    Comentário de Sílvia Mota em 10 setembro 2010 às 13:11

    Editar "Perfeição"? - PERFEITO!

    Um único receio: a emoção que tomará conta do meu coração, tenho certeza!

    Obrigada, mais uma vez!

    Beijossssssssssssss

     

    Comentário de Hildebrando Souza Menezes Filho em 10 setembro 2010 às 12:52

    Faço aqui outro pedido à Poetisa Silvia Mota para editarmos nosso próximo vídeo-poema

    com o dueto "Perfeição" como gratidão minha a esse momento único e imorredouro na

    vida de um aprendiz de poeta que jamais imaginou-se estar sendo tão contemplado com

    a generosidade dos amigos deste site.

     

    PERFEIÇÃO!

     

    Fazer-te amor

    é ser fêmea no cio

    e garota descalça no meio da rua

    em dia de chuva.

     

    Receber-te seca ou molhada

    É ser macho propício

    e menino calçado

    em doçuras e ternuras.

     

    Fazer-te amor

    é enroscar-me nas estrelas

    e subir ao céu por um instante

    eterno e infinito.

     

    Dar-te amor

    É ler nas entrelinhas

    A compreensão dos teus desejos

    E voar junto contigo nas nuvens

     

    Amar-te

    é mais do que um encontro de corpos

    que se desejam, se excitam

    e se aprazem um dentro do outro.

     

    Completar-te

    É fluir pelas tuas veias...

    Acendendo todas as centelhas

    Muito mais que uma noite inteira

     

    Amar-te

    é esquecer teu sexo rijo

    e à disposição dos meus desejos,

    para ouvir as palavras de amor e ternura,

    que mergulham nos meus ouvidos.

     

    Saciar-te

    É acoplar e incorporar

    Junto aos beijos e abraços

    Toda uma vida de sensualidades

    Desprendida das aprendizagens

    São doçuras e virilidades

    Na suavidade das carícias

     

    Amar-te

    é permitir que galopes no meu corpo,

    onde até os poros se calam

    para sentir-te melhor.

     

    Desejar-te

    É galopar na sinfonia dos teus gestos

    No veludo da tua pele

    Explorando cada célula

     

    Amar-te

    é sujar-me na lama molhada

    e deixar-te lamber a minh'alma,

    neste momento de paz.

     

    Querer-te

    É não temer a explosão

    De uma paixão

    E sugar e se entregar

    Em cada estação

     

    Amar-te

    é ser tudo o que desejares na cama ou na vida;

    é beijar tua boca gostosa e sensual

    e, ao mesmo tempo, beijar-te a alma.

     

    Entregar-se

    É ir ao mais profundo

    De um ser e adormecer

    No colo macio da eternidade

     

    Amar-te é...

     

    Dueto: Silvia Mota e Hildebrando Menezes

    Inspirado no poema original ‘PERFEIÇÃO’ de Silvia Mota 23 anos depois

     

    Comentário de Arlete Brasil Deretti Fernandes em 3 setembro 2010 às 0:47

    Queridos poetas Silvia e Hilde- É difícil encontrar as palavras mais apropriadas para definir a beleza e a sensibilidade impressas nesta página. Tudo culminou numa cena apoteótica, com a música de fundo perfeita para a beleza do dueto.

    Parabéns aos dois. Beijos da Arlete.

     

    Comentário de Sílvia Mota em 3 setembro 2010 às 0:05

    Minha Vida! Que trabalho belíssimo! Encantada! É a primeira vez que assisto um trabalho meu em video. Nosso dueto ganhou um ar de nobreza, à arte de Enise Lilases. Quanta sensibilidade! E, quer saber de uma coisa? O coração está tão feliz que só me pede para clicar no replay... replay... replay... o tempo todo! Está enamorado... rs Muito, muito, muito obrigada, por este apaixonante presente! Beijossssssssss

     

    Comentário de Marcia Portella em 2 setembro 2010 às 22:44

    Um amor em notas musicais sons arpejos e sensações..

    Dueto de uma beleza ímpar....

     

    Comentário de Hildebrando Souza Menezes Filho em 2 setembro 2010 às 22:13

    Maestros do amor e da paz - Dueto:

    Silvia Mota e Hildebrando Menezes

    https://www.youtube.com/watch?v=V0mIuvt9GSU

     

    Maestros do amor e da paz

     

    Se pudesse...

    escreveria tua beleza

    nas partituras da vida

    e ocuparia um compasso todo

    só por executar minha semibreve no teu corpo.

     

    Se eu quisesse...

    Descreveria as sensações

    Que a tua batuta

    Desperta nos corações

     

    Na mínima expressão da tua face

    burilaria as semínimas artes do teu gosto

    e as colcheias carnudas dos teus lábios

    renderiam gostosas semicolcheias

    que me deixariam fusa e semifusa...

     

    Eu pegaria da delicadeza dos teus versos

    e passo a passo comporia com compasso

    entre beijos e abraços envolvido

    em teus braços adormeceria

    no colo macio das tuas coxas

     

    Se pudesse...

    buscaria a emoção do teu sorriso,

    fosse breve, longa ou máxima,

    mesmo aquela mais perdida,

    nas brumas do esquecimento...

     

    Se eu quisesse...

    Soltaria o meu riso largo, aberto e franco

    Para romper com os desencantos

    E em simbiose estancaria o teu pranto

    Com o manto sagrado da tua própria música

     

    Na fórmula do teu compasso

    e, no passo adequado,

    voariam as roupas que te arrancasse,

    mudando de quando em quando

    o andamento do teu beijo...

     

    Embevecido do teu toque mágico

    Convocaria os anjos lá do céu

    Para fazer coro numa orquestra celeste

    Para ajudá-la a tirar nossas vestes

    Entre véus e nuvens sugaria do teu néctar

     

    Se pudesse...

    Em cada nota pontuada

    estenderia meus suspiros, sem pausas...

    Na tua clave de sol,

    sustentaria meu fá e, talvez, meu dó,

    com voz rouca e grave, de agudas sensações...

     

    Se eu quisesse...

    Convocaria os sustenidos

    De todos os sussurros e gemidos

    Do ré mi lá si unido ao teu dó e fá

    Na clave mais poderosa que a do sol

    Para ver o universo dos teus versos

    Completando a obra de arte dos séculos

     

    Deslocaria nossos sons

    em bemóis e sustenidos,

    alterando-lhes o timbre

    conforme o vibrar do nosso diapasão.

     

    Nessa mistura de sons enlouquecidos

    Estremecíamos as paredes...

    Dos lustres e dos vitrais

    Na euforia dos nossos ais

     

    Na tonalidade das nossas peles

    indicaria a escala certa,

    por onde nosso tempo

    elegeria nova modulação...

     

    Nesse movimento 'alegro'

    Ma ‘non tropo’ nossos dedos

    Se escapariam pelas curvas

    Em viagens labirínticas...

     

    E, pianíssinimo, piano, mezzo piano,

    mezzo forte, forte, fortíssimo...

    crescendo e diminuindo, maior e menor

    em solo, em duo...

    cunharíamos, em orgia sensual,

    nossa cinética musical!

     

    No orgasmo cósmico do AMOR E DA PAZ!

     

    Dueto: Silvia Mota e Hildebrando Menezes

    Veja o poema em vídeo:

    Maestros do amor e da paz - Dueto: Silvia Mota e Hildebrando Menezes

    Download:

    FLVMP43GP

    https://www.youtube.com/watch?v=V0mIuvt9GSU

     

    Comentário de Hildebrando Souza Menezes Filho em 1 setembro 2010 às 10:38

    Querida Silvia,

     

    Já pedi à minha primeira parceira de duos (Enise) que edite o nosso vídeo.

    Enquanto aguardo a edição irei postar em meu blogger aqui todos

    meus videos anteriores e assim traçar então uma agenda de participação

    gradativa neste valioso espaço lúdico-poético de aprendizagem.

    Um beijo carinhoso pra ti e meu renovado agradecimento pelo

    privilégio de estar aqui ao lado de todos. Desde já meu abraço

    fraternal à Mônica, PC e os demais que comentarem. Hilde

     

    Comentário de Mônica do S Nunes Pamplona em 1 setembro 2010 às 10:30

    Concordo com PC.

    Poema que não foi feito para se comentar,apena sentir.

    Parabéns,ao poeta e poetisa.

    Bjsssss

     

    Comentário de Sílvia Mota em 31 agosto 2010 às 20:24

    Nossa, que emoção, Hilde! Claro que autorizo! Tenho "namorado" teus vídeos em outras paragens e confesso-te o desejo reprimido de que realizasses um com algum dos nossos entrelaces poéticos! Cheguei a procurar em vão pela Net... (rsrsrs)

    Considero "Maestros do Amor e da Paz" o mais belo! Apoio a escolha. Muito obrigada, pelo presente tão sensível! Beijossssssssssssssss

This reply was deleted.