Olhares: Reflexão poética

3542146998?profile=original

 

Se eu apertar com bastante força meus lábios, conterei meu choro. Sem ar, tiro-me o fôlego... Mas não morrerei.

- Deixe-me então reativar as tuas forças diante do impacto mútuo do nosso súbito contato, para que possamos junto reviver outros passos.

Ajeita minha cabeça e parece tentar me equilibrar dentro de um soluço, diante de alguma coisa que não consigo ver.

- Estou aqui diante de ti para o afago a estancar qualquer nebuloso presságio e a mergulhar nesse olhar tão bonito.

Emoldura-me num mundo como se ele - espelho para mirar-me. As avessas tropeço no seu “Suspiro” que dói-me tanto quanto um " nunca mais" ...

- Inevitável reencontro de si mesmo diante da leveza suave que se abriga, no íntimo do nosso recôndito e sofrido ser a pedir socorro.

Confortavelmente no meu rosto comprido, fino e melancólico... Olhos “distante,  como no primeiro dia...

- Agora já engolimos algumas auroras, depois da coragem de abrir: Frestas, portas e janelas do nosso Eu para que o sol trouxesse vida e calor.

Sei da minha fragilidade... É do tamanho de todos os espaços. Mas sei, também, que divido a verdade que se reparte em tudo...

- E ela está a postos a fortalecer e entrelaçar nossos laços. Atar os nós desatados, juntar e amalgamar nossos cacos a nos tornar unos.

Que é tanto. Assim tenho “você minha verdade inteira” e a nudez maior dentro das minhas... Perguntas mudas.

- Sim! Há que se transbordar por inteiro... Que venham então as perguntas a despertar as respostas dissipando a inquietude pelo sadio confronto.

Quando o mistério é impressionante demais, a gente não ousa desobedecer.

- Então obedeçamos aos desígnios do que nos foi traçado para que se desvende o enigma desse adorável processo de amar sem medida.

 

Fall & Hilde

Nota: Desdobramento do poema “Os teus olhos...”publicado em:

http://silviamota.ning.com/profiles/blogs/os-teus-olhos?xg_source=activity

http://www.recantodasletras.com.br/prosapoetica/3893074

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • This reply was deleted.
    • Uauuuu nobre e talentoso poeta... Vamos ter que arranjar um jeito de juntar nossos versos,

      podendo cortar alguns dos meus e intercalar nos seus, para sair daqui um dueto de acariciar

      os  românticos corações, sem explodi-los é óbvio rsrsrs. Você faria isso por nós? Hoje eu tô super gripado mais pra lá do que pra cá mas não quero perder esta valiosa oportunidade de fazer outro duo contigo... Pode mexer à vontade que acredito que vai sair algo bem sonoro e poético. Vai lá meus versos para serem burilados pelo Mestre e sair algo bem supimpa.

      Abra seus olhos ao coração...

      Ao que está aqui bem próximo
      Até ali na imensidão do cosmos
      Do cenário maior e maiúsculo
      Ao seu mais minúsculo músculo

      Da perfumada pétala de rosa
      Ao bico e penas do beija-flor
      Das favas do néctar da abelha
      Aos lábios de mel da centelha

      Bailado das asas da borboleta
      Vento frio que ao corpo açoita
      Ao ignóbil réptil atrás da moita
      Espetacular estampido da arma

      Ao projétil que baila no pentagrama
      Ao som que acaricia teus tímpanos
      Do eriçar dos teus pêlos em arrepio
      Laço de fita que enlaça as tranças

      Dos madrigais aos festivais musicais
      Escorrer da bola no fundo das redes
      Ao grito vibrante da alegria do gol
      Do orgasmo preso pela carícia negada

      Riso incontido na estridente gargalhada
      Ao projeto de vida que dorme no ventre
      Primo que prima na conjunção das rimas
      Sinfonia leve e solta que paira e pára no ar

      Ao desenho das nuvens que escondem o luar
      Esplendor dos raios solares a dourar horizontes
      No vôo de balé das gaivotas no mergulho ao mar
      Entrelace dos dedos das mãos de fé em oração

      Do lapidado sentimento vivo vestido de emoção
      Abra seus olhos para o espetáculo da vida
      Apreenda a luz fugitiva nas frestas das florestas
      Utilize das retinas à beleza contida na estética

      E dê férias a penumbra que habita nas catacumbas
      Assim sendo transcenda sua alma bela e generosa
      Mate o escuro obscuro e taciturno das horas noturnas
      E se embriague e se confunda com a própria natureza

      É aí... Bem aí... Que reside toda a sua pureza e beleza
      Ponha nos olhos no lugar da tristeza... Sua delicadeza!
      E o mundo inteiro se abrirá em inspirados improvisos...
      Captados numa fascinante alegoria de risos e sorrisos.

      Hildebrando Menezes
    • Obrigado pela confiança querido amigo então vai lá... Abraços fraternos.

      OLHOS DO CORAÇÃO

      Os Olhos do Coração
      Tem a visão sutil transcendental
      Sabem captar nossa melhor emoção
      Por isso tudo fica assim tão original

      Aquela que os olhos não podem ver
      Que se esconde no fundo d ‘alma
      E que o corpo não pode ter
      Mas, que logo vem e nos acalma.

      Nossos sentidos não podem perceber
      Que na pele a gente vê algo diferente
      Ou que as mãos não podem percorrer
      Mas, ele que é sábio toca e pressente

      O coração sente o ser ausente
      Como um instrumento sensível
      Dando-nos esse presente
      Tudo então se faz bem visível

      Para nossa triste alma
      O que era impossível...
      Assim toca e finalmente a acalma
      O amor se faz então plausível

      Os “Olhos do Coração” sabem ver
      Quando a felicidade pode chegar...
      Quem a nosso lado queremos ter
      Mas, para isso há que se aconchegar.

      Seja uma ausência de momento
      Temos que nos aproximar e dengar
      Que por vezes é só um tormento
      Que o amor dissipe e flutue pelo ar

      Seja uma ausência definitiva...
      Pela cruel e tristonha partida
      A sentir-se sempre viva...
      Na esperança de nova chegada

      Se soubermos ver com os “Olhos do Coração”
      Tudo fica claro, intenso, real e mais bonito.
      Sempre sentiremos essa gostosa sensação
      De que valeu a pena ter este dueto escrito!

      Duo: Marcial Salaverry & Hildebrando Menezes

      http://www.recantodasletras.com.br/poesiasdeamor/3897453

    • Os teus olhos... Hildebrando Menezes - Olhares: Reflexão poética - Fall e Hilde

      https://www.youtube.com/watch?v=R0qNK7dNzLo&list=UU9U5iTZiBfjQD1...

This reply was deleted.