O que nos resta amor? - Um duo

3542288500?profile=original

Foto copiada de Lourdes Ramos

Tudo já foi dito e feito
Experimentado e vivido...
Mas resta falar do que foi sentido
Ou até do que foi malfeito

Fizemos uso de tudo, inclusive...
Do tempo de solidão, de silêncio.
Reconheço que aproveitamos bem
Mas sentimentos não cabem num compêndio

Tempo em que meu olhar só assimilava o teu
E o teu olhar perdia-se no meu como as gaivotas
Que se acasalam para vida inteira.
No calor humano da poesia resoluta

Onde as palavras trocadas eram magias de açúcar
E em cada encontro estrangulávamos a infelicidade.
Com o toque sutil e amoroso que encanta
Preenche os espaços vazios da indiferença

Agora mergulhamos inteiros na procura,
E só encontramos lembranças de um tempo intimidade
Que nos enlaçava em abraços e beijos demorados
Onde o amor era cúmplice viril e escandaloso

Onde nos preenchíamos extasiados de mistérios,
Segredos, entusiasmos e inocências de amor.
Tudo se locupletava em atos e fatos inenarráveis
Com a ternura e textura do olhar generoso

O que nos resta amor?
Para eternizarmos tanto louvor
Se em poesia já dissemos e fizemos

Decerto foram as paisagens distanciadas entre nós,
Sem justificáveis objetivos ou ramificações no futuro...
Tudo se deu e tudo entre nós aconteceu

Perdemo-nos completamente no passado,
Esse tempo estratégico, que não funciona mais.
A não ser para registrar aqui e agora
Todo calor e intensidade de nós dois.

Lufague  & Hilde

 

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

This reply was deleted.