PRATA BABPEAPAZ

3543670556?profile=RESIZE_710xVIII FESTIVAL VIRTUAL DE POESIA

- 21 de março de 2018 -

ESPAÇO RESERVADO PARA AS PUBLICAÇÕES DO EVENTO

3543670556?profile=RESIZE_710x

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Respostas

  • 3544136253?profile=original

  • BRONZE BABPEAPAZ

    TREZE HORAS NAS DEZASSEIS HORAS DUMA VIDA…

    Explicação do Título:

     A Primavera entrou no Hemisfério Norte às 16h15m

    O Outono iniciou-se no Hemisfério Sul na hora Brasileira às 13h15m!

    3544135526?profile=original

    3544135397?profile=original

    Poema curto, poema leve,

    Poema sem mágoa…

    É desejo amigo para compor a tarde.

     

    Como se a flor abrisse na aurora

    Orvalhada e fresca.

    Como a folha de ouro, já caída,

    No calor que sufoca

    Na tarde esvaída.

     

    É poema toado

    Em jeito de nada.

    Em jeito de tudo.

    Celebrando o Outono

    Celebrando a Primavera

    Em jeito de Vida…

    No ouro da vida, a frescura nascendo!

     

    Poema já curto não é

    Poema leve, poema sem mágoa.

    Grinalda de frutos colhidos

    Doces, maduros, sumarentos de sol!

    Grinalda de flores nascidas

    Ainda frias de geada

    Encimadas de alguma neve

     

    São vigorosas promessas

    Esperanças e sonhos

    A Vida chegando!

    Colheitas frutadas e floridas!

    Em que balas são rebuçados de mil cores

    Bolas de sabão irisadas

    Rebentando 

    Ao sol nascente e ao sol-posto

     

    Vamos co-criar a Esperança, o Entusiasmo

    No Poema leve, Poema sem mágoa

    Que já curto não é!

    Chantal Fournet

    20/3/2018

    Portugal

  • 3544135124?profile=original

    A natureza da poesia

     

    O poema é como um esplendoroso

    Amanhecer: pode brilhar muito,

    Mas não é tão forte e tão poderoso

    Quanto o meio dia e, em tal fortuito

    Esquecimento, nos dá alegria...

     

    O poema é como o nascimento

    Encerra em si mesmo potência

    Máxima de todo o seu momento,

    Em uma tal vontade, sem carência,

    Que é luz, mil raios, extasia...

     

    O poema é como uma floresta,

    Todas as suas espécies tem seu valor:

    Se uma só perecer, cai, nada resta;

    E é assim porque foi feita com amor

    Pelo Criador que tanto bem queria...

     

    O poema é como uma onda alta,

    Vai bem acima, mas no fim tem

    Que descer, trazer do mar a malta

    Dos marulhos na areia, porém quem

    Diria ser, sim, menos do que poesia...?

     

    Mauricio Duarte (Divyam Anuragi)

This reply was deleted.