O adeus - aliterativo "O"

O momento, o retrato.

O passo à direita.

Ódio relutante em olhos frios,

olhos tão azuis e tão vazios.

 

O medo, o túmulo,

o passo à esquerda,

oposição ao sentimento bonito;

onde está agora aquele amor aflito?

 

Ocasiões amargas, absorto,

outras recordações do tempo feliz,

o desejo de voltar mais uma vez:

o mesmo sol brilharia, talvez.

 

O último dia, o adeus,

o momento, o retrato,

ódio fulgurante dos olhos seus.

O amor acabou, isso é um fato.

 

O céu chora. Eu também choro.

Onde existiu amor um dia,

onde havia a felicidade

ouço apenas gemidos de dor,

ouço só lamentos de saudade.

 

O amor acabou. Fim do poema.

 

 

Do livro "Alma, corpo e sangue"

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

This reply was deleted.