PRATA BABPEAPAZ

Figurante eterna

3542211380?profile=originalDeslocada do eixo,derrama em

ondas no deserto da sua lógica..

Grita maldição!...sentindo a vida

esvair-se entre seus sentidos.

Abre os braços crucificada,

paralisada em dores...entre espinhos.

Blasfema contra as forças  da natureza

que continuam passivas em perene

sanidade ante sua loucura...

Solta os pulsos,tolhe a voz...

Encerra-se entre as paredes

do tempo_fera que come cinzas 

 alimentando-se de morte,tecendo

mortalhas,quebrando elos,

apagando imagens...

O grito perde-se ...na solidão

do monólogo...

Sombra caminhante,

figurante eterna,

Do teatro da vida...

                                 Marcia Portella_Go

                                  28/08/13

 

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    Belíssima obra neste tema, a beleza da poética no discorrer dos versos á insanidade, parabéns querida Marcia, grande beijo MIL..

  • Teu poema é como um labirinto e à medida em que se avança nele, tem-se a sensação da perda gradual da sanidade. E a imagem expressa bem o que vamos encontrar ao final. Mas ocorreu-me agora, que há sempre um fio, como o de Ariadne, a ligar o que está perdido de volta à luz da consciência, da sanidade, da realidade. É mais do que aquilo a que chamamos esperança, palavrinha tão desgastada. É a luz que está presente e nem sempre se vê. Belo-triste-sortílego poema.

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    Belos versos, para inquietante poema.

    Parabéns, sempre!

    Beijosssssssssss

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    Sintomas que enclausuram a mente em destruição.

    Perdendo total sintonia com a realidade.

    Penetrei em teu poema, e quase pude sentir essa insanidade.

    Brilhante, querida Márcia!

    Envolventes versos.

    Parabéns.

    Bjssssss

This reply was deleted.