ABANDONADO

3542235727?profile=original

O Sol sempre acorda
Nas manhãs cerradas
Da minha solidão.
Ele não me vê,
Ele não me sente,
Ele não me aquece.
Sob o manto da noite,
A Lua sempre vem nova,
Indiferente, faceira,
Cansada de iluminar,
Despertando ciúmes,
Deflorando amores
Ela deixa as minhas noites
Entregues a milhares
De estrelas vulgares
Que me desejam
E que me abandonam
Por uma outra qualquer.
Ele é Sol.
Ela é Lua.
E eu, um verme.
Que rasteja nas pedras,
Que espera por ele,
Que se nega a ela...

CLÁUDIO AVELINO DA COSTA. O POETA DOS SENTIMENTOS. (Brasil)

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

This reply was deleted.