Participe!

Espaço reservado às publicações em Verso e Prosa condizentes ao tema DEPRESSÃO, sob os seus diversos enfoques. Mera tristeza é fato da vida, não depressão. Objetivo do grupo: eliminar tabus, ao trazer à baila temas relevantes na contemporaneidade.

9213786?profile=RESIZE_710x

 

80 Members
Join Us!

Poeta suicida

Às saudades... todas as saudades...



Poeta suicida

Há dias aos quais sonho a vida
de forma tão insana,
que desgrudo meu olhar de mim
e afloro primavera queimada.
Hastes secas,
pétalas ressequidas
ao sol do meio dia
- enxerto mal feito -

Há dias aos quais morro em vida
e de forma incontida
revelo a insolência tola
do peito atrevido.
Exibo ao mundo
uma indecorosa felicidade,
que chora escondida

e se amofina à cópula dos ratos.

Há dias aos quais fantasio sexo
através das rendas
e veludos vermelhos
enfurnados na lembrança.
Cubro-me de lingeries
negra, verde, azul, branca...
e colorida de ilusões
enluto-me na saudade.


Há dias aos quais me acavalo
na cauda dos arco-íris
e sumo no vento, pelo Infinito,
a sugar o sexo dos anjos.
Embebedo-me consciente
ao sabor agridoce... gota a gota...
empanturrando-me de vertigem,
até vomitar Eras no paraíso das estrelas.

Nesses dias, aos quais sou humana,
h u m a n a m e n t e monstro de mim,
é preciso estourar os tímpanos
com a granada da Esperança.
Emparedo-me viva – como vampira,
nos poros sanguinolentos da própria pele
e por apodrentar em perfume,
suicida viva, despetalo.

Ao então, quando a escuridão desaba
e o Universo se arrasta aos meus pés
a bolinar-me morta, os meus Eus imortais
arreganham-se em orgasmos múltiplos.
Nessa ménage indescritível
arrombo o sarcófago da inércia
e renasço falena... meio fada... meio bruxa...
borboleta noturna... meio fêmea... meio poeta...





************** *********************
Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz
Cabo Frio, 30 de março de 2010 – 16h45
Fundo musical: Charles Aznavour. Mourir d'aimer ♥Charles Aznavour. Mourir d'aimer♥

Página de comentários

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

  • Tempos de depressão

    Nesses tempos de pandemia
    Do coronavirus se espalhando
    A de perdas, sem alegria
    Quando muitos estão chorando

    Entes queridos em transição
    Muitos doentes em agonia
    Mas há almas em transformação
    Num aprendizado que silencia

    A dor na alma é imensurável
    Muitos não conseguem suportar
    Numa pandemia lamentável
    Que está tantas vidas a ceifar

    Só com misericórdia e amor
    Para limpar este rastro de dor
    Com um pouco de carinho e calor
    As pessoas se dão mais valor

    Esse fato ficará na história
    Com muita ficando gente doente
    Não conseguem apagar da memória
    Tantas perdas juntas ficam dementes

    Quando se instala então a depressão
    Muitos precisando ser ajudados
    Repartido estão seus corações
    Na luta para serem curados

    A vida vai continuar também
    Mas o trauma é grande demais
    Da família muitos foram para o além
    Restam a tristeza e nesses sinais
    (Norma A S de Moraes)
    04/05/2020
  • Depressão e suicídio
    Venho aqui falar um pouco sobre esse assunto, porque é um mês bem propicio, onde muitos abordam este assunto.
    A depressão não é frescura, como muitos falam, ela é uma doença muito séria que pode levar ao suicídio.

    Há dois tipos de depressão, uma a endógena, que advém de algumas doenças crônicas, de medicamentos, e física, hormonal e a outra exógena que vem de alguma trauma, separação, dor, perda, da tristeza, desespero.

    A pessoa pode ter as duas, e pode ter a predisposição hereditária também. A depressão mais grave pode até levar a crises psicóticas muito graves, alguma necessitando de internação, por dias e até meses, conforme o caso e gravidade. Há tipos de depressão que vem e acontece também em pessoas que já tem algum problema mental grave, em que há surtos.

    Há depressão que passa logo, fazendo tratamento por dias, ou até em dois meses mais ou menos passa, é transitória, mas há aquela que é crônica pois envolve a parte física cerebral. E muitas vezes a pessoa precisa tomar remédio a vida toda, pois se parar ela volta.

    Depressão é coisa séria e pode levar a pessoa a cometer suicídio, na fase mais grave. A ideia de morte martela a cabeça da pessoa até que num impulso a pessoa comete o suicídio, muitas tentativas ainda há socorro no tempo necessário, mas a maioria é fatal.

    Até criança pequena pode ter depressão, ela não ocorre só em adultos, é preciso ficarmos atentos no comportamento de pessoas a nossa volta. Comportamento atípicos, como o isolamento, falta de apetite ou apetite demais, tristeza, choro, a pessoa que só quer ficar sozinha no quarto, que não quer conversar e conviver com outras pessoas, aquela que não consegue cuidar de si, trabalhar, que não tem interesse em nada, não sai de casa, não tem motivação para nada, é preciso ficar em atenta observação.

    Todo ser humano pode ter picos de melancolia, alguma tristeza, até desespero, mas quando atípico, pode ser depressão. Então é preciso buscar ajuda médica ou psicológica. Atualmente há muitos medicamentos, e cabe ser receitado aquele que vai se adequar, pois alguns remédios podem fazer piorar e, fazer a pessoa entrar em grave crise psicótica.

     E o principal de tudo, é mudar alguma coisa na vida, buscar alguma motivação que possa ajudar no combate a depressão, quando crônica Muitos idosos, (citando um exemplo), entram em depressão param tudo. Idosos também necessitam ter alguma motivação na vida. Sair, escrever, fazer parte de algum grupo, pintar, ir para Associação de Terceira Idade, natação, viajar, parque, igrejas, artesanatos, não importa a atividade, mesmo dentro de casa, com a tecnologia um idoso pode interagir com outras pessoas.

    A repressão demais causa depressão, não pode  tirar toda liberdade do idoso ativo. Aliás é preciso respeitar cada pessoa em sua individualidade. O diálogo, conversar, cada um mostrar o que está sentindo, falar dos desejos, buscar as realizações pessoais, mesmo que pequenas. O difícil de viver, é que há muitas possibilidade, e também muitas escolhas, que deixam o ser humano em profundas dúvidas. Conscientizar sobre isso ajuda muito. Não podemos ter tudo, vale focar nas prioridades. Na felicidade, na paz, no amor, na família, em Deus.
            A FÉ AJUDA MUITO NA CURA DA DEPRESSÃO. 
    (NORMA APARECIDA SILVEIRA DE MORAES)
     
     
  • Silvia, obrigada pelo convite. Cá estou a participar do grupo. Sempre uma satisfação, interagir com essa familia. Adorei o convite.Bjs! 

    Depressão

    Chega silenciosa

    É Invasora e pretensiosa.

    Parece conhecer

    Os mais íntimos segredos

    Do ser fragilizado.

     

    Comanda o sentimento,

    Queda  as forças,

    Deixa  a’ lma amarguada.

    É sinistra e severa.

    É a pior das condenações!

     

    Depressão é possível...

    Querer superar é imprescindível.

     

    dinapoetisadapaz

  • Lamento é...
    Fatima Mello[fofinha]

    É o vai e vem do berço
    Embalado por mãos exaustas
    Da tríplice jornada de uma mãe

    O andar trôpego
    Do andarilho de lata em lata
    Em busca de algum resto de alimento

    O suspiro doído
    Dos doentes nos saguões
    Dos hospitais em busca de atendimento

    O tremor dos mendigos
    Nas noites gélidas do inverno
    Embaixo de uma marquise qualquer

    Dos passos cansados
    De um pai a todo lado
    Na busca incessante por um emprego

    Lamento...
    Eu sinto no peito
    Em ver meu povo dia após dia
    Em busca do pão, da casa; do emprego

  • Não leve tudo que direi ao pé da letra. É que hoje completo 65 anos.

    Nasci pequena, cresci  desacostumada a grandes aplicações;  em seguida investi  tudo no mercado de capital aberto; os índices das ações flutuaram... hoje vivo dos dividendos distribuidos , em cada exercicio social.

     

     

    Bolsa de valores

    © Soaroir Maria de Campos - 16/10/07  15:52

    P/poesia on-line do RL "O que perdemos por orgulho"


    No leilão da vida pus preço Nas ações de meu orgulho Apregoado na bolsa da razão Vieram os lucros e dividendos. Ao final do pregão, arremates Entre as perdas e os danos Na dação em pagamento Comutei meu patrimônio. Não invisto mais em orgulho Seu destino é a insolvência Fico com o líquido e certo Sem encargos, a modéstia.

    Soaroir
    Enviado por Soaroir em 16/10/2007

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    Que belo poema querida poeta Benedita! Adorei! Beijossssssssss

  • Depressão, por quê?
     
    Minha linda amiga,saia ao pátio e vejao horizonte azul.
    O marulhar das águasa bater nas pedras,o vôo da gaivotaa voltar ao ninho.
    Veja minha linda!O vento a soprare a brisa suavea brincar com teus cabelos.
    Veja o sol que brilha solitário, mas nunca deixa de levantar-secom a aurora, para embelezare aquecer os corações aflitos!
    Seu calor é vida a transbordar!Quer apareça ou não, segue o seu caminho, a sua eterna rota lá no infinito e jamais desistirá.
    Busque o calor do sol a pino,deixe queimar este desalentoe vá em frente, mesmo sem saberonde vai parar, nunca desista!
    És  mulher moderna e tenstanta beleza, que podes rir ou chorare ainda assim, serás bela florcheia de nectar a oferecer amor.
    Minha amiga oculta,oculta esta tristeza!Ame-se! Esqueça esta agonia e busque sua paz interior!
    Praia do Anil, 09 / 05 / 2007
    Benedita Azevedo
  • PRATA BABPEAPAZ
    Resgate

    Quando te procuro em
    suas noites mal-dormidas,
    sou tua fada,teu fado,teu sonho.
    Olhar velado,sorriso enigmático
    teu destino ,que se despe
    cercada de luz........
    Singrando noites,navego tua
    alma,cantando canções de
    ninar,entorpecendo o tempo,
    adormecendo horas.
    Venho te resgatar ao luar
    sugando tua alma com
    meus ábios nos teus,
    soprando ao vento,te
    seguindo suavemente ,
    na brisa transparente........
    Ao tocar minha pele
    translúcida,ouvirás o
    silêncio acariciando
    o rosto do mundo,
    Dormirás......

    M_P
  •                                  Pesadelos

     

    Repouso nas noites mal-dormidas,

    Agitado por pesadelos angustiantes.

    Deliro em sonhos enlouquecidos

    Mergulhado nesse espaço vazio,

    Castigado pelo vento frio

    Duma brisa gélida cortante.

    Desperto feito sonâmbulo

    O corpo exsudado e trêmulo.

    Prostrado na solidão vivida

    Soçobrado por murmúrios sibilantes.

    Vivo do passado longínquo,

    Refúgio das tristezas incessantes.

    Ora atormentado pela insônia

    O corpo fatigado e pungente.

    Prisioneiro do labirinto da vida,

    Banhado por lágrimas infrenes.

    Afago os cabelos em desalinhos

    Escovado por mãos suaves, ausentes.

    Nos delírios dos espasmos sofridos

    Durmo sobre seios inexistentes.

    Sonho, às vezes, contigo

    Acordo sempre na saudade.

                             ***

     

  •                                                 Nada

     

    Nada é uma palavra

    Que dentro de mim exprime:

    As noites sem as estrelas,

    Os mares sem as ondas,

    Os campos sem as flores,

    As rosas sem perfumes,

    As fontes sem as águas,

    As luzes sem o brilho,

    O sol sem o calor,

    Uma vida sem sentido...

    A tristeza que me alegra,

    A solidão que me acompanha,

    O vazio que me enche,

    A fuga que me prende,

    Sentimentos desconcertantes...

    É o desespero que me consola,

    É um desabafo mudo,

    É um apelo sem resposta,

    São as lágrimas que já não rolam,

    É um pranto sem soluço.

    É a coragem que me prostra,

    É a esperança morta...

    Nada é a vida sem você.

    Nada é tudo que me resta.

                                               ***

     

This reply was deleted.
Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –