Assuntos e aspectos variados da cultura regional na forma de poemas, duetos, desafios, contos, causos, músicas e canções.

41 Members
Join Us!

METODOLOGIA E PROPOSTAS

ESPAÇO PARA ADMINISTRAÇÃO DO GRUPO

GRUPO COM PROPOSTA DE REORGANIZAÇÃO. TRABALHOS EXPERIMENTAIS E PROVISÓRIOS. TODAS AS COLABORAÇÕES SÃO BEM-VINDAS. DECISÕES A SEREM TOMADAS DIANTE DO QUE SE EXPÕE, PREFERENTEMENTE DE FORMA PARTICIPATIVA E COLABORATIVA.

****************************************************************

Esta página destina-se à Estruturação das REGIÕES que serão contempladas no GRUPO CULTURA REGIONAL.

Mister informar que por REGIÃO será entendida a área físico/geográfica que apresente traços culturais semelhantes. Desta forma, a distribuição espacial das REGIÕES poderá não corresponder à subdivisão do País em Estados, conforme a geografia política existente. Os Estados são delimitados por fronteiras físicas: marcos, mapas, rios, cadeia de montanhas representando o espaço geográfico. As REGIÕES  serão espaços geográficos que apresentem homogeneidade de traços e fatores culturais. Assim um Estado poderá ser subdividido em REGIÕES [por exemplo, no Estado de Santa Catarina (Região de cultura italiana + região de cultura Alemã)] desde que a origem cultural crie diferenças que tornem as REGIÕES significativamente diferenciadas quanto aos fatores culturais preponderantes (etnia, religião católica, protestante, 2ª língua e influências linguísticas, festividades, estrutura familiar, costumes, vestimentas, etc.). Por outro lado, áreas geograficamente separadas poderão vir a integrar uma REGIÃO que tenha características culturais semelhantes, em que pese estarem distanciadas no espaço físico. (por exemplo, quilombolas que constituíram um enclave na Chapada Diamantina, na Bahia, provavelmente apresentem maior semelhança cultural com o Recôncavo baiano que com o espaço geográfico em que está inserido). A pecuária extensiva associada ao bioma caatinga talvez seja o fator de unificação cultural de vasta área que se superpõe a diversos Estados do Nordeste, justificando (ou não) ser tratada como uma única REGIÃO pelas características Culturais semelhantes ao não apresentarem diferenças culturais significativas.

E assim pretendemos desenvolver os trabalhos desse Grupo de Cultura Regional, gradual e sistematicamente, e quem sabe venhamos a ter valiosíssimas colaborações, como por exemplo da Drª Edir Pina de Barros, pós doutora em Antropologia, e de outros profundos conhecedores desses assuntos que porventura frequentem a PEAPAZ.

À medida que formos acumulando conhecimentos, teremos melhores condições de correlacionar Regiões, Cultura e Literatura. e o Grupo estará sendo moldado, para ajustar-se ao estágio de conhecimento  alcançado.

Para podermos iniciar, ainda que com precariedade de informações e de conhecimentos, dividimos (e agrupamos) o espaço geográfico nas seguintes REGIÕES;

1) REGIÃO MINUANO - compreendendo os Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

2) REGIÃO VIOLA - compreendendo o Estado de São Paulo, Oeste de Minas Gerais, Goiás, Tocantins, Mato Grosso do Sul.

3) REGIÃO ALTEROSAS - Centro-Sul e Leste de Minas Gerais.

4) REGIÃO CRISTALINA - correspondendo à Serra do Espinhaço, Chapada Diamantina em Minas Gerais e Bahia.

5) REGIÃO MANDACARU - compreendendo os Estados do Nordeste, excluindo-se na Bahia a Chapada Diamantina, o Recôncavo Baiano, e a Região Litorânea, incluindo-se em Minas Gerais a Região do Jequitinhonha, inserida no Polígono das Secas. .

6) REGIÃO CORCOVADO - abrangendo os Estados do Rio de Janeiro e do Espírito Santo.

7) REGIÃO CACAU, DENDÊ, CANA DE AÇÚCAR - abrangendo a faixa litorânea da Bahia, Sergipe, Alagoas e Pernambuco.

8) REGIÃO AÇAÍ - correspondendo aos Estados do Maranhão e do Pará.

9) REGIÃO MANAUARA - correspondendo aos Estados do Mato Grosso, Amazonas, Estados ex-territórios, e Territórios.

Assunto em discussão para:

a) Numa primeira análise constatar se existem semelhanças culturais internas de forma a que cada Região das 9 em análise se justifica como REGIÃO.

b) Se existem semelhanças entre regiões que justifiquem agregar duas ou mais numa única REGIÃO.

c) Se existem particularidades em áreas específicas  de uma região de forma a que essa área seja deslocada para outra REGIÃO, ou originar uma nova REGIÃO.

Cada REGIÃO terá dois TÓPICOS.

O primeiro TÓPICO apresentará a caracterização da REGIÃO específica.

O segundo TÓPICO consistirá no Pequeno Dicionario de Termos Regionais para esta REGIÃO.

EPPUR SI MUOVE. rs.

****************************************************************

PARA A CARACTERIZAÇÃO DAS REGIÕES: (Tomando por exemplo a REGIÃO MINUANO)

1) Denominar a REGIÃO (nome dos Estados que a compões), por exemplo : REGIÃO MINUANO abrangendo os Estados: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná.

2) Situar a REGIÃO na ÁREA GEOGRÁFICA a que os Estados pertencem: Região SUL do BRASIL.Anexar Mapa

3) Capitais na REGIÃO: PORTO ALEGRE (Rio Grande do Su), FLORIANÓPOLIS (Santa Catarina), CURITIBA ( Paraná) - Elaborar descrição sucinta, Área em km², População, Data de elevação a Capital, fundadores, Principais Grupos étnicos, segunda língua, principais atividades econômicas, principal vocação (turismo, indústria textil, etc, p. ex), principais atrativos físicos e culturais, datas cívicas e comerciais, religiosas, festividades,  infraestrutura urbana (ônibus, trens, bondes, metrô, aeroportos, hospitais, escolas e faculdades, portos, água, esgoto, comunicações, tv´s, jornais, rádios, pequena história da ocupação territorial, tribos indígenas pre-existentes, dominação, levantes e rebeliões, atrativos para a ocupação, fotografias antigas, fotos atuais, vídeos e filmagens, líderes do passado, influência na Região e no País, artistas, escritores do passado e do presente, esportes, mais o que for relevante e significativo, menos o que não for importante.   l 

4) Cidades Principais na Região: Conteúdo parecido com o das Capitais, adaptado conforme a importância econômica e cultural., fotografias e mapas, vestimentas típicas, festas locais. competições esportivas,  .

5) Outros fatores importantes para a caracterização da REGIÃO, com base na opinião e no conhecimento dos membros da REGIÃO: Lazer, Clima, Flora, Fauna

6) Principais artistas da literatura, da música, das artes plásticas. etc.

7) Poemas, pequenos contos, crônicas, trechos de romances. esculturas e pinturas (fotos) de autores da Região escolhidos pelo conteúdo, pelas particularidades do estilo, pelo vocabulário regional. (poderá alimentar o dicionário da REGIÃO - TÓPICO 2. .

Essa caracterização poderá ser mais ou menos extensa a depender da realidade local, da diversificação dos fatores que diferenciam a REGIÃO, e do poder de síntese dos autores. A ideia não é estender, mas de sintetizar, com destaque para a relevância e para as diferenças. Pretende-se também que o desenvolvimento seja gradual e flexível, acrescentando, modificando ou reduzindo, conforme a evolução do trabalho, sem estresse.

Uma ilustração; agora pensando na Bahia, REGIÃO CACAU, DENDÊ, CANA DE AÇÚCAR:

Três toques do berimbau:

TOQUE MIUDINHO:

https://www.youtube.com/watch?v=ZuPy284C3GA

 

TOQUE TICO-TICO:

https://www.youtube.com/watch?v=Gub05e4FDcM

TOQUE SÃO BENTO GRANDE:

https://www.youtube.com/watch?v=6G9UAYX0D-Y

****************************************************************

METODOLOGIA:

1) Dada a extensão da Região (e das Regiões) o trabalho de elaborar a melhor caracterização cultural da Região, demandará muito tempo. Várias pesquisas a serem realizadas - Quanto maior a Região e mais variados forem os parâmetros, mais complexo se torna o trabalho.

2) Assim proponho que os desenvolvedores pensem e cheguem a um acordo sobre o conjunto de fatores que poderia ser suficiente para caracterizar a Região Viola. Mesmo em se tratando de uma simplificação, só estaríamos levando em conta os fatores significativos para caracterizar e diferenciar a Região.

3) Depois de listados esses fatores significativos, poderíamos subdividir cada fator em aspectos físicos e/ou culturais, históricos, sociais, factuais, que no conjunto cobrisse e desse significação ao fator analisado. Os membros da Região poderão optar para apresentar textos, fotos, vídeos, mapas referentes a suas escolhas. Mais de um membro poderá trabalhar um único fator da lista.

Exemplificando:

a) Digamos que o Fator PLURALIDADE ÉTNICA seja considerado importante para a caracterização da Região VIOLA.

b) Consideremos que Etnia se subdividisse em : b.1) Ocupação espacial anterior à ocupação europeia. b.2) A ocupação portuguesa; b.3) a imigração italiana; b.4) a imigração japonesa; b.5) Outros fluxos migratórios, nordestinos, etc.

c) Isolemos agora um único desses subfatores, por exemplo: b.2) A OCUPAÇÃO PORTUGUESA - e listaríamos para caracterizá-la: b.2.1) JESUÍTAS E CATEQUESE; b.2.2) CAPITANIA HEREDITÁRIA; b.2.3) ENTRADAS E BANDEIRAS; b.2.4) MUDANÇA DA CAPITAL DA COLÔNIA DA BAHIA PARA O RIO DE JANEIRO; b.2.5) MUDANÇA DA CORTE PORTUGUESA PARA O BRASIL; b.2.6) A PECUÁRIA, CAFÉ E CANA DE AÇUCAR, MINERAÇÃO; b.2.7) ESCRAVIDÃO, b.2.8) etc, o que fosse significativo...

d) É preciso não perdermos o foco e que precisamos trabalhar com sínteses. Não estaremos escrevendo livro sobre a Região mas apenas caracterizando-a CULTURALMENTE. Teríamos concluído que a) PLURALIDADE ÉTNICA é fator importante para caracterizar a REGIÃO VIOLA; b) Que a OCUPAÇÃO PORTUGUESA, deixou traços culturais significativos; c) Que a CAPITANIA DE SÃO VICENTE, trouxe portugueses; c) Que o COLÉGIO DOS JESUÍTAS, deslocou os portugueses em direção ao planalto paulista. d) Que os BANDEIRANTES expandiram a ocupação para toda a REGIÃO VIOLA., etc.

e) Ainda como METODOLOGIA: Faríamos um pequena Síntese que agregasse esses subfatores e elaboraríamos textos (telegráficos) que acompanhados de links, fotografias, músicas, pequenos arquivos, mapas antigos e atuais, ilustrassem ou informassem sobre COLÉGIO DOS JESUITAS, BORBA GATO, FERNÃO DIAS PAES, a EXPANSÃO DO CAFÉ E A CONSTRUÇÃO DE FERROVIAS, fixando os PORTUGUESES na REGIÃO.

f) Ultrapassada essa etapa, procuraríamos identificar os impactos dos PORTUGUESES na REGIÃO  em estudo.

g) Reunindo esses fatores, índios, portugueses, árabes, italianos, japoneses etc. terminaríamos por tomar sopa de pedra, acompanhada de kibe e macarronada da nona, à beira do Riacho Timboré, onde fomos assistir a dança da CATIRA.

h) Mas CATIRA,  que diabo é isso? rsrs. Ah! bom, agora sim, vamos mostrar a tal Catira, alguns poemas da Cora Coralina. sabendo porque são como são, e que influências estão neles presentes.

Agora sim, podemos escrever poemas, causos, contos, conversas de compadre com comadre não achando que decorrem da invasão de seres verdes antenados na nau do Villegagnon, ou que Manoel de Barros nada tem a ver com João de Barro, ou que os dois foram batizados no João das Botas, numa roda de samba do Crioulo Doido. rs.

****************************************************************

DELINEAMENTO DO QUE SE PROPÕE:

Depois do discurso, comentário em PÁSSARO FERIDO, carroça e tudo, gauches desassombrado, do Mauro Martins Santos, só antecipando a criação do Pequeno Dicionário Compreensivo para a Região Minuano - EU JÁ NÃO SEI MAIS PRA ONDE VAI ESSA CARROÇA!... rsrs. Preciso conversar com Sílvia sobre a organização que estou pensando. É preciso que se defina: 1º) Se é possível a organização do GRUPO (que passaria a ser denominado de "CULTURA REGIONAL" por TÓPICOS. 2º) Que o Grupo funcionaria dividindo o País em NRegiões Culturalmente  quase homogêneas mesmo que isso se desse com descontinuação geográfica, pela Geografia Política, e para cada Região teremos 2 e somente 2 TÓPICOS: 3º) Com base no item 2º), o Grupo funcionaria com um número fixo de TÓPICOS = 2 X N; 4º) No primeiro TÓPICO de cada REGIÃO específica teremos a definição da abrangência geográfica da REGIÃO, as principais Etnias que historicamente a ocuparam, e os principais Grupos Linguísticos que definem ou influenciam a sua Linguagem atual. 5º) Ainda no primeiro TÓPICO de cada REGIÃO específica, procuraríamos subdividir cada REGIÃO, em sub regiões caracterizadas por etnias e não somente, mas também por atividades econômicas e Grupos culturais influentes. 6º) Ainda no primeiro TÓPICO, seriam apresentados traços culturais, sociais e econômicos da REGIÃO específica, tais como, religiões praticadas, História e principais eventos históricos, datas cívicas, festividades cívicas, religiosas e culturais, agricultura e pecuária, pesca e extrativismo animal, mineral e vegetal, industrialização, forma de organização política, expoentes da política, principais autores da literatura, pequena amostra da produção literária. 7º) O que mais (ou menos) vier a ser associado à REGIÃO específica para melhor caracterizá-la culturalmente. (O trabalho é grande e envolverá pesquisa por parte dos membros de cada REGIÃO, mas deverá ser realizado gradualmente, na medida das possibilidades e sem data para término - para se ter uma ideia, somente para analisar as Elisões, Substituições e Apagamentos no modo de falar do paulista, encontrei duas teses da USP, nas áreas de Linguística e Semiótica), 8º) Os desafios são grandes e se por um lado isso pode motivar algumas pessoas, por outro pode desestimular a participação de quem somente quer curtir a poesia regional deformando a maneira de falar do caipira, com base em coisa nenhuma. Vai ser preciso muito nó de pinho pra botar a carroça no rumo certo. rsrs. 9º) O segundo tópico de cada REGIÃO específica consistiria no "Pequeno Dicionário de Termos Regionais" - E cada Região construiria o seu para atender  as necessidades imediatas, explicando cada termo na medida em que aparecessem nos textos publicados. 10º) Definidos os dois TÓPICOS de cada REGIÃO, toda a produção e interação de todos os autores seria postada nos COMENTÁRIOS e nos  COMENTÁRIOS a COMENTÁRIOS, nos diversos níveis que o Portal disponibiliza. 11º) Precisaria definir com Sílvia um período para aproveitamento ou descarte dos textos publicados, conforme nova estrutura, caso aceite que o GRUPO (se vier a ter adeptos) trabalhe nos termos aqui pensados. 12º) Alguns textos publicados já contemplam uma estrutura como essa, a exemplo da última publicação de Maria Iraci Leal. Os recursos de multimídia são fartos, como já demonstraram a Mineira Selda, o Gaúcho Mauro Martins Santos, e alguns mais. 13º) Estou criando EXPERIMENTAL E PROVISORIAMENTE o segundo TÓPICO da REGIÃO MINUANO para que o Mauro tenha espaço para iniciar o que ele chamou de Glossário Gauchesco. Ao mesmo tempo convido Maria Iraci Leal e demais maragatos para trabalharem em conjunto na implantação da República Sul Riograndense. rs. A REGIÃO MINUANO, em princípio abrangerá  os Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. A REGIÃO VIOLA corresponderá aos Estados de São Paulo, Oeste de Minas, Goiás, Tocantins e Mato Grosso do Sul. (Assunto aberto à discussão). Bom dia a todos.

****************************************************************

Região Viola - sugestão para o item 2 da proposta metodológica, apresentada por Sílvia Mota

1- ORGANIZAÇÃO DA VIDA POLÍTICA

2- ORGANIZAÇÃO DA VIDA SOCIOCULTURAL

2.1- Características étnicas

2.1.1- Origens continentais das diferentes populações do Brasil

2.1.2- Linguagem

2.1.3- Relação com o meio ambiente

2.2- Características culturais

2.2.1- Festas populares

2.2.2- Danças

2.2.3- Artesanato

2.2.4- Culinária típica

2.2.5- Crenças

2.2.6- Educação

2.2.7- Produção do conhecimento

3- ORGANIZAÇÃO DA VIDA ECONÔMICA

3.1- Acesso às riquezas materiais

3.2- Distribuição das riquezas materiais

3.3- Troca das riquezas materiais

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

  •  

    MAS BAH! ALGUNS DITOS GAUCHESCOS TCHÊ...

    3543221644?profile=original

    “Mais engraçado do que gordo de bombacha larga.”

    “Mais ligado que rádio de preso.”

    “Mais feio que borracho brigando de faca.”

    “Mais beijado que anel de bispo.”

    “Mais sebento que telefone de açougueiro.”

    “Mais batido que bengala de cego.”

    “Mais desocupado do que barbeiro de índio.”

    “Mais vazio que despensa de pobre.”

    “Mais perdido que filho de tirana em dia dos pais.”

    “Mais perdida que velha surda em bingo.”

    “Mais fechado que porta de convento.”

    “Mais desafinado que bêbado tocando gaita.”

    “Mais folgado que piazote em bombacha do pai.”

    “Mais metido que biquíni fio dental em gorducha”

    “Mais frio que focinho de *cusco.”  * cachorro.

    “mais quente que panela sem cabo.”

    “ Mais sem graça que dançar com a irmã em bailanta.”

    “Mais amassado que dinheiro de bêbado.”

    “Mais enrolado que namoro de cobra.”

    “Mais enfeitado que cavalo de cigano em dia de festa.”

    “Mais feliz que formiga em tampa de xarope.”

    “Mais gostoso que beijo de prima.”

    “Mais curto que coice de porco.”

    “Mais angustiado que barata  revirada de costas.”

    “Mais longe que esperança de pobre.”

    “Com mais novidades que badulaques da China.”

    “Reclama mais que vereador de oposição.” 

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    Rica interação dos poetas.

    Bão dimais.

    Bjsssss

  • PRATA BABPEAPAZ

    Poema do querido poetaamigo, Marcial Salaverry em resposta ao SÔ MINERA, UAI!
    Pruma mineira de verdade, que tem orguio de seu rincão, óakiprocêvê, o tantão que eu gosto de seu rincão:
    VERDES CAMPOS MINEIROS 
    Marcial Salaverry

    É indescritível a beleza
    com que a Natureza
    premiou estas serras mineiras...
    As verdejantes campinas
    desta bela região de Minas,
    que desde longe se avista,
    estende-se a perder de vista.
    E o espetáculo supremo...
    O nascer do sol...
    O por do sol...
    Mostrando a força de Deus,
    no maior espetáculo da Terra,
    que apreciamos nesta serra
    de encantos mil...
    Lembranças saudosas, trazendo
    doces momentos de recordação,
    vividos com muita emoção,
    que ficam para sempre no coração.
    Prazeres vividos...
    Prazeres sentidos...
    Apreciando as maravilhas
    Que a Natureza nos dá.
    E a tradicional
    e muito especial
    cortesia do povo mineiro,
    sempre gentil e hospitaleiro.
    Pelas ruas a caminhar,
    e sempre a escutar...
    Djia... Tardje... Noitje...
    No singular falar mineiro,
    sempre gostoso de ouvir...
    Saudade de Minas...
    Saudade de Araxá...
    Mas... saudade mezzz...
    E um mondibejus, uaisô...

    Marcial Salaverry

    DIREITOS AUTORAIS
    Creative Commons License

  • PRATA BABPEAPAZ

    Sô minera, uai!
    Ói, sô minera, uai!
    gosto de ispiá primero pra dispois chegá...
    tenho amor a minha terra
    guardo um trem grande no peito
    quando o coração apita,
    dou tremedera
    tenho orguio de minha gente
    jogo conversa fora
    na bera do fogo
    conto mintira que vira verdade
    na boca do povo...

    pe cá pe lá daqui e dali me ponho a cantá...
    sô minera prendada, cara de jeca
    mas mi ingana que eu gosto...

    penso no ouro, nas terra
    penso nos fio da vida
    lavro a PA/ Lavra
    lapido quimera
    planto cultura
    reflexão das serra

    no meu aconchego
    fico matutano idéias
    de liberdade...


    CAMPOS, Graça. Poema. Sô Minera!
    DIREITOS AUTORAIS
    Creative Commons License

    3543120527?profile=original

  • Seja bem-vindo o cumpadi Jorge Linhaça. Vi lá sua postagi dus cordé. Tava memo fartano dizê pra tudos nóis como é qui se faz essa letreiratura.Us cordé pareci inté locura mas só nas camisa di força, das rima, das métrica, dos pé. Tá di parabéns u cumpadi.

    abraço.

This reply was deleted.

Forum

PINGOS E CORCÉIS

Mauro Martins Santos - Moji Guaçu - SP  PINGOS E CORCÉIS[ Divisão Regionalismo Minuano]Rio Grande do Sul  A Esperança triunfará dando um amanhã melhor que hoje,Como um pajador gaudério do Bem, tecendo a teia da vida:Virá montada a selote num zaino, A Prenda a Camperear.[m m s] __________________________________Às vezes o trilhar é doloroso ao volveres ao rincão,O caminho de volta podes a ti nunca ser o mesmo,Vais achar pedaços de ti espalhados pelo chão.Tu ficarás imaginando que és a criança…

Saiba mais…
5 respostas

ACARINHANDO O CORAÇÃO

ACARINHANDO O CORAÇÃO Poesia sulista - RS _____________________________ Choro meu pouco, por esta vida às vezes tirana, Mas ora me reponta nesta fronteira castelhana: De nunca reclamar, sim, dar graças à existência De jornada a trote rumo à compaixão e ao amor,Espantando as más lembranças da adolescência, Nos rastros do caminho acarinhando o coração, Sentindo na lembrança o doce mel da querência, Folgando por de ontem, a velha alma do galpão.   [M. Martins Santos]

Saiba mais…
2 respostas

ACARINHANDO O CORAÇÃO

ACARINHANDO O CORAÇÃO Poesia sulista - RS _____________________________ Choro meu pouco, por esta vida às vezes tirana, Mas ora me reponta nesta fronteira castelhana: De nunca reclamar, sim, dar graças à existência De jornada a trote rumo à compaixão e ao amor,Espantando as más lembranças da adolescência, Nos rastros do caminho acarinhando o coração, Sentindo na lembrança o doce mel da querência, Folgando por de ontem, a velha alma do galpão.   [M. Martins Santos]

Saiba mais…
0 respostas

[REGIÃO MINUANO] - RAMALHETE CAMPESTRE

RAMALHETE CAMPESTRE A galope vai o meu ginete pela estrada, Respiro o aroma do pinheiral silvestre Congelo o tempo ao lembrar a amada: Ao entregar-lhe o ramalhete campestre. Na ânsia do encontro meu flete é campeiro, Carrego dentro de mim galanteios sem jeito, Quando varre os pampas tal minuano ligeiro, Abichornada saudade levo a pealo no peito. Se o medo é um Não, o Sim um coroamento: Do velho da prenda, este gaúcho tem a graça, Varo o pampa a camperear bagual ao relento, Maneio o laço a te…

Saiba mais…
2 respostas