Poetisa e Escritora

Águas de Janeiro (crônica)

Postado por Arlete Brasil Deretti Fernandes em 3 janeiro 2011 às 11:11

 

Jorram abundantemente e com generosidade, penetrando na terra e dando vida às plantas e a todos os seres.  É o efeito do El niño que estacionou nas proximidades do país.

 A água, como um dos elementos vitais, tem um apelo forte. É símbolo de transformação, de flexibilidade e renascimento. Sua força também pode destruir.

 Preocupo-me e muito quando vejo a poluição dos nossos mananciais, o derretimento das geleiras, o crescimento do nível do mar.

 Hoje, temos a bênção da fartura, nada melhor do que tomar aquele banho com abundância de água!  Ah, mas que delícia!!!

 Será verdadeira a previsão de que num futuro teremos que comprar água em garrafas, para tomar banho? Como vou tirar bem os vestígios de shampoo e o condicionador de meus cabelos? (!!!)

Já pensaram que tomar banho de caneca é uma conseqüência penosa, mas poderá até ser obrigatório em anos vindouros?

E os dois litros de água que tomo diariamente para a minha saúde? E....E..........

E as futuras gerações, que legado lhes caberá?

 Muito se fala em preservação, mas a consciência ainda chegou a poucos.

 Li sobre mansões em algumas praias brasileiras onde são construídos poços artesianos para gastarem águas à vontade, principalmente nas grandes piscinas. E estas águas não passam nos hidrômetros para que sejam pagas as taxas normais e necessárias.

 Li sobre pesticidas que são aplicados em ervas daninhas, em locais onde podem contaminar lençóis freáticos.

 Há alguns anos Leonardo Boff, o teólogo e cientista respeitado, escreveu que diariamente em nosso planeta são destruídas vinte espécies entre animais e vegetais, que levaram milhões de anos para chegarem ao atual estado de evolução.

 Se cada qual fizer a sua parte, muito poderá ser prevenido.

 

 

 Comentário de Sílvia Mota em 23 fevereiro 2011 às 0:16

Releio, pela excelência.

Beijosssssssssssssssss

Comentário de Mônica do S Nunes Pamplona em 10 janeiro 2011 às 14:10

Todods teremos que fazer nossa parte.Água é vida.Sem ela não existiremos.

Texto com relevante tema.

Bjss

Comentário de Arlete Brasil Deretti Fernandes em 8 janeiro 2011 às 17:22

Queridos Gio, Márcia, Silvia e Hilde. Só tenho a lhes agradecer comentários tão ricos sobre o tema.

Os poemas do Hilde aqui acrescentados são completos e enriquecedores, ótimos.

A postagem do vídeo "" Planeta Água"" do Guilherme Arantes, pela Silvia, é linda e muito preciosa.

Meu carinho e beijo a vocês.

Comentário de Hildebrando Souza Menezes Filho em 8 janeiro 2011 às 15:42

Excelente reflexão! Que só poderia vir da lavra dessa grande poetisa
que sabe nos contagiar com sua sabedoria e a exemplo da Silvia Mota
também não resisti o adendo ao seu chamado consciencial...

Amar é Preservar

Nós! Os humanos... Desumanos...
temos atração pela água do mar.
Talvez porque lá está a nossa origem...
ou porque somos formados 90% d'água.

Na bolsa amniótica há essa semelhança química.
Um magnetismo oceânico, navegador. "Maritimico"...
Dizem que a terra é a mãe. O mar será o pai?
Seríamos filhos dessa conjugação: Terra e mar?

Se isso é verdade por que então tanto abandono...
Vemos multidões que se reúnem, não para preservar.
Mas para depredar o nosso próprio berço. Por quê?
De um lado florestas queimando. No outro a poluição...

Tudo aflorando, matando, corrompendo, dizimando.
Quando a água acabar e o solo rachar? O que vai restar?
O calor irá nos cozinhar... Com os raios dos céus. Matar!
Há que se formar mutirões para nossa vida melhorar.

Que tal começar agora? Vamos plantar a cons-ciência?
Um verso aqui outro acolá. Um lixo aqui outro ali...
Vamos enterrar as milhões de sacolas de plásticos...
que poluem as nossas águas, os nossos mares?

Eles formam a trilha fatal que matam a flora e a fauna...
Os objetos são largados na costa e as marés os carregam
No mar... As tartarugas, os golfinhos engolem os plásticos
pensando que são alimentos...e morrem!

Esses abomináveis dejetos navegam dezenas de anos...
arrastados pelos ventos... São instrumentos de destruição.
Como se parecem com as medusas... São ingeridos.
Tristeza! Este é o retrato da devastação da natureza.

A falta de capacidade dos "animais", dos peixes, de imaginar
que nós os "humanos" sejamos capazes de tamanha proeza...
acabar com a fonte da nossa própria vida. Seremos vítimas!
A tampa e a sacola plástica permanecerão por séculos...

Pesquisadores provaram que estes produtos tóxicos são
encontrados nos estômagos de filhotes de albatrozes...
então... Na próxima vez que você for a uma praia, não jogue!
Faça a sua parte. Recolha! É a sua praia! Seu mar! Seu mundo!

Reúna seus amigos e façam gincanas para ver quem consegue...
juntar mais desses objetos e dar a eles um destino mais nobre.
Fazendo assim... Iremos dar uma aula inesquecível de ecologia.
Devolvendo uma vida sadia para nossa triste, abandonada natureza.

" Não se pode defender o que não se ama, e, não se pode amar
o que não se conhece". Conheça e ame. Papai do Céu agradece!

Hildebrando Menezes
Assista em vídeo:
https://www.youtube.com/watch?v=s_XdnxVPL-Q

Fonte da Vida!

Nasce, escorre,
alimenta e morre.
Renasce, goteja,
oxigena e vive.

Deságua das nuvens...
dos olhos, das lágrimas,
das mágoas, das chuvas,
das plantas, dos poros.

Jorra da terra... Encanta!
Escassa... Rarefeita... Perfeita!
Afoga, afaga, desafoga,
lava, mata a sede.

É a maior parte do teu corpo.
Está presente... Impulsionando
Pulsando à natureza. A proteja!
Nos seus mananciais... Substanciais.

Não lance produtos químicos nela.
Lixo... Dejetos... Plásticos... Eles matam...
Não incendeiem também a mata...

Cuidem melhor das florestas... Encostas...
Córregos... Lagos... Cascatas... Reservatórios
Dos seus riachos... Veios... Poços e rios...
A vida dos peixes... Das plantas... Da terra...
da flora... Da fauna... De todas as espécies
Dependem do nosso carinho e proteção

Na sua ausência o mundo implode...explode!
Ela é a seiva da vida... Bendita!
Pura, santa, dadivosa na essência.

Benfazeja, soberana, protetora...
Todos os dias está em nossas casas
Quente, ao natural ou gelada... É amada!

Nada se compara à sua força...
É o maior dos nossos tesouros
Mais até que o diamante e o ouro.

Siim! Estou falando dela mesmo...

Da ÁGUA!

Hildebrando Menezes

Comentário de Marcia Portella em 8 janeiro 2011 às 15:36

Bela crônica Arlete, é um alerta para todos  em relação a esse líquido vital..........bjus

Comentário de Sílvia Mota em 8 janeiro 2011 às 15:18

Muito bom teu trabalho consciencial!

Perdoa-me, mas não resisto à divulgação deste sucesso da década de 80:

 (Silvia se refere ao Planeta Água, letra e música de: Guilherme Arantes.) Encontrar no You Tube,

ou no link abaixo..

 

  https://youtu.be/xzh0j4xt7io

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

This reply was deleted.