Participe!

Espaço reservado aos autores BABPEAPAZ, que desejam se conectar através de parcerias poéticas, como forma de interação.

Os poemas são publicados a partir de uma sugestiva sequência temática, que caracteriza estados da alma em diferenciadas situações.

Os DUETOS e TERCETOS originam dois ou mais poemas, sob o mesmo tema, como se um poeta "respondesse" poeticamente ao(s) outro(s).

Os ENTRELAÇAMENTOS (ou ENCONTROS) originam um único poema, escrito por dois ou mais poetas. O encontro de inspirações será harmônico.

70760723?profile=RESIZE_710x

58 Members
Join Us!

Fórum do grupo

Fotos pertinentes

Página de comentários

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

  • Sinfonia a quatro mãos – Edição de Enise
    Dueto: Arlete Brasil Deretti Fernandes e Hildebrando Menezes

    Silencioso dia a me cingir em seus teares,
    que tramam fios, coloridos e invisíveis;
    Enquanto dos plátanos as folhas de inverno
    caem e se arrastam ao sabor do vento frio.

    De que inspiração foste tecida diva dos altares?
    Nessa revolução recaída de profunda desolação.
    Hei de reerguer-te com a força de mil alteres;
    Pois intempéries jamais contê-la conseguirão.

    Com sempre-vivas adornei meus alabastros.
    Quando te foste, levaste contigo meu coração.
    Os beijos da chuva não demoraram a chegar,
    E a transmigrarem-se em novas emoções.

    Vejo flutuar a leveza dos teus sentimentos.
    Não suporto vê-la triste irmanada á solidão.
    Perceba minhas lágrimas em comum união.
    Páginas mudas pela ausência da expressão.

    Crepita o fogo, esquento a água e bebo o vinho.
    Aqueço a alma, olho as espigas, esqueço a mágoa.
    O piano emudeceu, em seu canto ficou sozinho.

    Tudo arde e não tarda de se revirar o mundo.
    Quando quer a centelha se busca pela paixão.
    A música está entoada nas células da tua pele.

    Amar é uma viagem num caminho indecifrável,
    sinto fome de tua boca, e estou sedenta de teu amor.
    O cheiro do crepúsculo traz com ele uma saudade.

    Haveremos de desvendar tão ardiloso mistério;
    Com o diapasão sonoro do frigir dos nossos lábios.
    No melódico encontro eterno das nossas almas.

    Dueto: Arlete Brasil Deretti Fernandes e Hildebrando Menezes
  • NAVEGANDO EM TI… Beijo os teus lábios, docemente… Brinco com a tua língua, e chupo-a… Depois…com carícia Deslizo a minha língua pelos teus seios Escorrego pelo teu bosque Leve, levezinho… Chego ao teu sexo, dou-lhe um toque subtil Sinto um líquido morno e apetitoso Escorrendo nos meus lábios Pouco a pouco, bebo e delicio-me Como se fosse o néctar dos deuses. Sinto o teu cheiro, que me envolve A minha respiração ofegante Que se vai desvanecendo À medida que os nossos corpos Se vão acariciando Sinto o meu coração bater, desordenadamente Apaixonadamente… Saciado por fim…adormeço Com o sabor nos meus lábios… Do teu delicioso…néctar. Mário Margaride Teus beijos nos meus lábios...Adocicados... Tua língua na minha....Fico excitada Com tuas carícias. Vais deslizando a tua língua Pelos meus seios, que delícia! Meu sexo profundo e aberto Entras levemente no paraíso Meu liquido nos teus lábios Bebes como se fosse o néctar dos Deuses… O teu cheiro me enlouquece Com minha língua desço o teu corpo Sugo o teu sexo.... Teu mel na minha boca Engulo e farto-me, como se fosse o manjar do céu Tudo gira ao redor... Respiro fundo e revigoro-me A medida que nossos corpos, entrelaçados…Se fundem Sinto o coração palpitar, apaixonadamente... Satisfeita, enfim, adormeço Com o sabor do teu mel. Varenka de Fátima
  • DIAMANTE BABPEAPAZ
    Moço corajoso, esse Marcial! Neruda agradeceria! Nós, aplaudimos! Lindo dueto! Beijosss
  • Aplausos, poeta!!
This reply was deleted.

Duetos Poéticos

EL VIENTO EN LA ISLA - Pablo Neruda//Marcial Salaverry

Duetos que não sejam realizados entre os membros desta rede devem ser publicados nos blogs de cada autor. As exceções serão analisadas pelo moderador.

EL VIENTO EN LA ISLA
Pablo Neruda
Marcial Salaverry

" Deja que el viento corra,
coronado de espuma,
que me llame y me busque galopando en la sombra,
encuanto yo,
buscando en tus inmensos ojos,
en esta noche inmensa,
descansaré, mi amor..."

Pablo Neruda
***********************
Cuando pienso en ti, mi amor,
siento una "saudade" inmensa...
Veo-te mirandome con tus lindos ojos,
leyendo en los mios el amor que yo
pongo en la luz, sin ocultar en la sombra,
en la orilla del mar, bajo la espuma
que las olas traem, siempre que el viento corra...

Marcial Salaverry

Duetos em Vídeos

Entrelaçamentos Poéticos

Entrelaçamentos em Vídeos