DIAMANTE BABPEAPAZ

Resolução

3542206192?profile=original

 

Quando no findar de uma tarde, caminhando calmamente após cumprir meus compromissos do dia, deparei com muitas pessoas, que formavam um aglomerado. Uns riam, outros conversavam e procurei averiguar do que se tratava.

 

Ao acercar-me constatei um menino ativo e vivaz no centro de um círculo. Exclamava aos brados, com todas as forças de seus pulmões:

 

- Quem deseja comprar crucifixos?  Tenho vários modelos ao seu dispor! São amuletos de proteção eficaz. Afastam quebranto, mau olhado, olho gordo, inveja...

 

E neste ínterim pude verificar como as pessoas se interessavam por esta mercadoria. Exposta sobre uma mesinha, revestida com uma cuidadosa toalha, bem estendida e bem guarnecida.

 

Estes amuletos são populares e muitos creem que, por estarem de posse destes objetos, estão protegidos de males diversos. E apenas usando deste artifício, muito usado rente ao pescoço, estarão sob guarda ou proteção e que nada irá lhes acontecer, e deste modo estarão resguardados das adversidades do dia a dia.

 

Usar um amuleto e não se comportar de acordo não vem a fazer a menor diferença. Cá pensei com meus botões. Mas esta não parecia ser a opinião dos que ali se encontravam , em fervoroso alvoroço, em busca de proteção.

 

Pobre menino, poderia por alguém ser considerado um mercenário, visto a imagem contida nos amuletos , que gentilmente oferecia. Porém a renda desta preciosa féria seria provavelmente destinada para manutenção da família em precárias condições.

 

Mercenário? Pensei eu. Acho que não! Positivamente, esses parcos trocados irão acabar em boas mãos, que os destinará para uma utilidade prática, que se faça precisa, veemente e necessária.

 

Outros quem sabe, bem mais comportados, que não participam destas reuniões de venda, e  que não têm a menor necessidade urgente, praticam mercantilismo apenas para demonstrar, que são de fato bem melhores que os demais.

 

Acenei ao menino, que me oferecia um escapulário . Sorri, disse muito obrigada e me fui.

 

Segui o meu caminho, ainda pensativa e aproveitei o espetáculo do ocaso, que acontecia naquele momento.

 

 

 

 Laís Muller

Brasil

 

 

 

 

 

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    Sim Marcia, seria mesmo uma infância espiritual. E se olharmos ao redor do mundo, veremos lugares bem distantes, onde isto é demasiado evidente...

    Bom final de semana!

    beijos querida

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    Querida Laís, um texto maravilhoso que leva á uma profunda reflexão... Parabéns, bjs MIL.

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    Obrigada querida Marcia!

    Sim, concordo contigo. Mas o que revolta é ver outros em ambição desmedida, em cultos de fé "oficiais" explorarem a boa fé alheia. E existem tantos...

    Tua presença é sempre uma alegria

    beijos querida

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    Obrigada querida Marcia!

    Feliz com tua presença 

    Há tantas coisas que nos deixam muitas vezes perplexas e desconsoladas, justamente por ser usada a imagem de Jesus de modo indevido, de modo contrário aos seus próprios ensinamentos.

    Bela noite!

    beijos querida

  • Confesso que apreciei sobremaneira este texto pela temática e pelo humanismo subjacente

    à própria prosa. Parabéns Vóny Ferreira

  • This reply was deleted.
  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    Emocionante conto, que trata das mazelas humanas, dos cultos à fé e da exploração aos sentimentos de outrem.

    Querida Lais, esse talvez seja o mais difícil desafio que lancei no PEAPAZ.

    Parabenizo-te por cumpri-lo tão belamente!

    Muito obrigada, por compartilhares tua inspiração.

    Beijosssssssssssss

    • DIAMANTE BABPEAPAZ

      Querida Silvia, o tema é delicado deveras. Porém fico feliz por assim pensares.

      O obrigada, a gratidão sempre vem no sentido de quem registra as nossas linhas.

      Muitíssimo obrigada!

      beijo

This reply was deleted.