PRATA BABPEAPAZ

3542251948?profile=original

3542251948?profile=original

No verão o rei sol,
Em cascatas de luzes,
aquece e ilumina.


 Sementes...Nas flores exibidas.

E tantas folhas verdes.

A bagunça dos passarinhos

Diverte quem os observa...


No outono,
As aves cantam
Na despedida do dia que se vai.

Há renovação da vida
Na doçura das frutas.

Nas folhas que caem

Que mudam de cor

E descem plainando

Para  dar  lugar ás  outras

Para renascer.

 

No inverno,
Geadas que maltratam,
O vento assobia em círculos.

Árvores tristes e solitárias.
As vaquinhas leiteiras

Tremem com o gelo sobre a cabeça

Os pássaros foram embora,
Animais hibernam,
Outros escondem-se
Nas tocas.

Primavera,
Espalhas uma sinfonia
De beleza e colorido.

A natureza toda vibra e canta
Notas sussurrantes,
Ninhos e perfumes,

Canção nos crepúsculos
de cores vibrantes.

Arlete Deretti Fernandes

            Brasil

3542251948?profile=original

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    Uma festa das emoções da Natureza, delineadas em belos versos...

    Parabéns, querida Arlete!

    Beijossssssssssssss

  • PRATA BABPEAPAZ

    Lindo encanto de poema! parabéns, querida Arlete! Beijossssssss

  • BRONZE BABPEAPAZ

    poesia do dia-a-dia da Terra! com seus animaizinhos, criaturinhas todas e seus elementos!

    Gostei que falasses das vaquinhas com frio no rigor do Inverno! Tadinhas delas!! Do ciclo da Vida em que se fenece para dar lugar À Renovação punjante da Vida!!

    achei teu poema como a Terra: Sempre renovada e linda!

    Grata por este momento!

    chantal

    3543262113?profile=original

    • PRATA BABPEAPAZ

      GRATA A TI, QUERIDA CHANTAL.

      TUAS PALAVRAS SÃO SEMPRE MUITO DELICADAS.

      ESTA ROSA VERMELHA SOBRE O FUNDO BRANCO É LINDA.

      BEIJOS, CARINHO      DA       ARLETE.

    • PRATA BABPEAPAZ

      OBRIGADA, QUERIDA CHANTAL. TUAS PALAVRAS SÃO SENSÍVEIS E MOSTRAM UMA PARTE TÃO BONITA DA lITERATURA.  AGRADEÇO-TE COM CARINHO E TAMBÉM Á LAÍS, FIZERAM-ME LEMBRAR DE UM DOS ORTÔNIMOS DO FERNANDO PESSOA SE NÃO ME ENGANO O ALBERTO CAIEIRO , QUE ESCREVIA SOBRE TRECHOS BUCÓLICOS..

      VOU CONTAR PARA TI  E PARA A LAÍS DE ONDE LEMBREI DA VAQUINHA.  FOI NUMAS FÉRIAS DE JULHO TERRÍVEL DE FRIO, QUE MEUS 3 FILHOTES, UM MENOR E OS OUTROS DOIS PRÉ ADOLESCENTES., COM MEU MARIDO TAMBÉM.  FOMOS PASSAR UNS DIAS DE FÉRIAS NUM SÍTIO DE UMA PRIMA. QUE MORAVA NUMA CIDADE GELADA,  TINHA UMA PROXIMIDADE Á fAMOSA SERRA DO RIO DO RASTRO, . GELOU ÁQUELA NOITE.  quando ACORDAMOS PARA TOMAR CAFÉ,  NOTAMOS 2 VAQUINHAS LEITEIRAS PERTO DA ESTREBARIA E TREMENDO, AS CRIANÇAS DE MINHA PRIMA MOSTROU-NOS;  -VAMOS VER AS VACAS. AÍ A GEADA EM CIMA DA CABEÇA ENTRE AS ORELHAS E NO DORSO DAS VAQUINHAS TINHA GELO E ELAS TREMIAM.  OS  CANOS DE ÁGUA ESTAVAM  CONGELADOS.    vCS. SUGERIRAM-ME ESCREVER UM CONTO. tINHA PORCOS, FRANGOS E OUTROS BILHOS., FOI UMA ÓTIMA IDÉIA, OBRIGADA, QUERIDAS AMIGAS!  BEIJOS.  ARLETE.

    • BRONZE BABPEAPAZ

      Querida Arlete de deus e do céuuuuuuu TADINHAS DAS VAQUIIIIIINHAAAAAS!!!! Meu Deus!! as vaquinhas não são como as lãzudas ovelhas!! aiiiiii..........

      Bem... vamos a Alberto Caeiro e seu Guardador de Rebanhos!! Sim era ele o bucólico heterónimo de Pessoa!! Amo esse poeta!! É lindo o que ele escreve dá assim a sensação de um todo +em plena comunhão!

      abraços

      chantal

      Deixo aqui uma pagina que vais gostar sobre Caeiro!! http://www.prof2000.pt/users/jsafonso/port/caeiro.htm

      Caeiro é o poeta da Natureza que está de acordo com ela e a vê na sua constante renovação.

      -

      Poemas-de-Alberto-Caeiro - Luso Livros

      escrever.” Como poeta, Alberto Caeiro apresenta-se como um simples "guardador de rebanhos" que escreve sobre a natureza e só se importa em ver de forma.

    • PRATA BABPEAPAZ

      É IMPOSSÍVEL  NÃO GOSTAR DE UM POETA ASSIM MARAVILHOSO.

      OBRIGADA PELO QUE ME MANDASTE.. QUALQUER DIA VOU ENVIAR-TE ALGUM TEXTO DE CAEIRO.

       “Eu não tenho filosofia: tenho sentidos...

         Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é.

         Mas porque a amo, e amo-a por isso,

         Porque quem ama nunca sabe o que ama

         Nem por que ama, nem o que é amar...”  CAEIRO.

      OBRIGADA, QUERIDA CHANTAL   MARAVILHOSO. -HOJE, NÃO VOU CONSEGUIR DESFRUTAR DESTAS LEITURAS, PQ. PARA MIM  JÁ VEIO9 O SONO E GOSTO DE LER COM TEMPO E CALMA..  DEPOIS QUE PUDER LER, TE COMUNICO MINHAS IMPRESSÕES.

      EU SOU APAIXONADA  PELOS ESCRITOS DOS ESCRITORES PORTUGUESES.   BEIJO, AMIGA.

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    Querida Arlete, este teu poema a meu ver é extremamente poético...

    as tuas referências às cenas prosaicas do nosso cotidiano, como a bagunça dos passarinhos, as vaquinhas leiterias, os rigores da geada... são passagens marcantes...que em teus versos, que saem tão naturais, tão espontâneos, se tornam de uma beleza descomunal...

    e isto é poesia!

    Parabéns!

    beijos

    • PRATA BABPEAPAZ

      OBRIGADA, QUERIDA LAÍS,PELA GENTILEZA E PALAVRAS TÃO BONITAS, MUITO ESTIMULANTES.  A CHANTAL TAMBÉM GOSTOU DAS CENAS RURAIS. É ÓTIMO QUE VENHAM ESTAS OPINIÕES, PORQUÊ ALGUMAS VEZES A GENTE PULA ESTAS CENAS, POR BOBEIRA MESMO.  UM DOS ORTONIMOS DE FERNANDO PESSOA, (nÃO RECORDO NO MOMENTO, POIS ERAM TANTOS) TINHA ESTE TIPO DE POEMA SOBRE  O CAMPO).

      VALEU. OBRIGADA, AMIGA. OBRIGADA TAMBÉM Á CHANTAL..

      BEIJOS,    ARLETE.

This reply was deleted.